Voltamos à velha máxima: o que vale é a vitória!

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, foi um domingo difícil. Impossível na cabeça de qualquer são-paulino imaginar-se um dia jogando contra Rogério Ceni, torcendo contra o M1TO. Mas esse dia chegou. E, como preguei a semana toda no Jornal Tricolornaweb, todo respeito do mundo a Rogério Ceni. Todas as homenagens seriam absolutamente merecidas e seriam até poucas para o que ele representou ao São Paulo e já significa ao Fortaleza. Mas quando a bola rolasse, teríamos que esquecer tudo, porque a instituição São Paulo está acima de tudo e de todos. Não tem Rogério Ceni, Raí, Leco, seja quem for, que se iguale à instituição.

Dito isso, parece que os jogadores do Tricolor respeitaram demais a presença de Ceni no banco do Fortaleza. Afinal, esqueceram do que é jogar futebol e fizeram um primeiro tempo pífio, típico daqueles solteiros e casados que passaram a manhã inteira na praia de Fortaleza, tomando uma caipirinha, comendo um peixinho, e vieram de pança cheia para jogar uma pelada.

Se alguém merecia sair ganhando no primeiro tempo, esse time seria o Fortaleza. Thiago Volpi foi exigido ao menos três vezes e garantiu o resultado para o São Paulo. O meio de campo não tinha criatividade alguma. Hudson, Tchê Tchê e Liziero ficaram o tempo todo marcando e não conseguiram ligar o ataque uma única vêz. Antony e Everton viraram auxiliares de laterais, enquanto Toró ficava abandonado lá na frente do meio de dois zagueiros. E ainda assim o São Paulo sofreu vários contra-ataques, com jogadores cearenses de velocidade entrando nas costas da zaga.

A mudança feita por Cuca no intervalo mudou o time. Hernanes entrou no lugar de Igor Vinicius, outro que não justificou a escalação, passando Hudson para a lateral direita. Isso consertou aquele setor e encorpou o meio de campo. O Fortaleza se preocupou em marcar Hernanes e perdeu a velocidade e o contra-ataque.

Com a entrada do Profeta o time equilibrou o jogo e passou a ter bola no ataque. As jogadas passaram a sair.

O gol acabou sendo um detalhe, pois sairia a qualquer momento. E depois, com o Fortaleza se lançando ao ataque, o São Paulo teve mais duas chances claras em contra-ataques, mas Antony perdeu um gol, em bela assistência de Hernanes, e o próprio Profeta acabou perdendo outro.

Não sei se levado à emoção e ao respeito a Rogério Ceni, ou por qual motivo, mas o fato é que foi a pior exibição do São Paulo nas mãos de Cuca. Mesmo assim trouxemos os três pontos de Fortaleza. Assim como falamos que um mal resultado, perdendo pontos em casa, será sentido lá na frente, essa vitória lá em Fortaleza será lembrada positivamente lá na frente, mesmo o time tendo feito uma má apresentação.

15 comentários em “Voltamos à velha máxima: o que vale é a vitória!

  1. O time fez 10 pontos em 12 disputados, 83% de aproveitamento.
    Não existe há muito tempo o futebol espetáculo. Precisamos de time vencedor e isso temos.

  2. Vi outro jogo! Vi um S.Paulo acovardado que se beneficiou das deficiências técnicas do jogadores do Fortaleza. Achou um gol e, daí sim, controlou o jogo. Mais por ter o Fortaleza sentido o gol tomado do que por méritos do treinador; do Hernanes ou qualquer outro tricolor.
    O time entrou com três volantes; uma linha de quatro e tomava bola nas costas toda hora. Em nenhum momento do jogo tentou marcar a saída de bola do adversário e, por isso, não testou seu goleiro no primeiro tempo todo.
    Outra coisa: agora acham que precisam contratar centroavante “de profissão” – e, no mínimo vão gastar uma bala com outro perna de pau com grife – como se a culpa fosse a falta de um centroavante.
    Apenas para exercitar o raciocìnio de quem não tem o hábito de pensar, consideremos a hipótese de que, no jogo de ontem, no lugar do Toró, estivesse com a nove do S.Paulo o Suarez. E então: o que de diferente o Suarez teria feito do que o Toró fez? Quantas bolas teriam chegado nele? Quantas bolas teriam sido cruzadas em condições dele guardá-las? O S.Paulo precisa de um time todo e não de um centroavante.
    Só para ilustrar a importância do nome do centroavante, quando o S.Paulo contratou o Prato, defendi aqui que era um gasto desnecessário porque tínhamos o Gilberto e que, se as bolas chegassem, ele mesmo as guardaria. Não deu outra: gastaram milhões com o Prato e o Gilberto jogando 15% do tempo do titular marcou o mesmo número de gols. Calculem o custo benefício.
    Só pra lembrar, quando contrataram o Pato a conversa era que precisavam de um camisa 9 e que o Pato daria conta desse recado; que ele já teria exercido a contento a função no próprio S.Paulo, etc. etc.etc.
    “Não … o Pato fica perdido “enfiado” entre os zagueiros”…
    Balela! O Pato jogou muito bem na função sem ficar parado entre os zagueiros no jogo contra o Goiás. Ficou flutuando atrás dos volantes adversários e trocando de posição com o Toró e o time foi muito bem até o Cuca inventar de mexer no intervalo do jogo.
    Acho que as mídias sociais precisam ajudar a melhorar o time participando sempre; emitindo opiniões, sim, mas pensado antes de emití-las…

    • Excelente comentário.De fato, está faltando alguém que pense o jogo.
      O problema é que tem gente que acha que entende de futebol, mas, no fundo, tem uma visão bastante simplista das quatro linhas.
      Inclusive, há gente que sente falta do Ganso, que, como sabido, não está conseguindo jogar no glorioso FluminenC.

  3. O time iniciou a partida mal escado e essa derrota, como o empate contra o Flamengo, tem um culpado Cuca.
    Não consigo entender esse time com 3 volantes e 2 péssimos lateirais
    Iniciamos com a escalaçao do Igor Vinicius, o cara é mto fraco. O hudson é titular por ali
    Reinaldo, precisa de uns dias no banco pra reaprender a jogar bola
    Everton, esta jogando na posição errada.
    Time medonho, mas consegue ir pra libertadores, será dificil tirar o brasilerio da porcada.

  4. O Cuca está me lembrando o Luxemburgo: escala o time totalmente errado, conserta a besteira que fez no intervalo, o time melhora e depois o treineiro sai contando vantagem: “as mexidas que fiz no intervalo surtiram efeito”.

    Pombas, se o time for escalado direito, sem invencionices, não precisa arrumar as besteiras no intervalo.

  5. Será que o Nenê não está treinando bem? o que acontece que ele não entra nos jogos?
    Poderia muito bem entrar 1º tempo com o Nenê no meio e Hudson na lateral e partir para 2º etapa com Hernanes no lugar do Nenê…

    • Não concordo que vai virar o Rodrigo Condomínio.

      Mas tem que vender.

      Jogador que passa mais tempo no departamento médico tem que ser vendido.

      Está mais para Pedrinho ex-Vasco.

  6. Fica cada vez mais evidente que o São Paulo precisa iniciar o jogo com um jogador de criação, Hernanes se já estiver nas condições físicas adequada ou até o Higor Gomes, outro fato a se destacar é que durante o segundo tempo, Cuca trocou o posicionamento de Hudson e Tchê Tchê, com o ultimo vindo fazer a lateral e melhorou muito o time, com uma marcação mais forte pelo meio e uma transição mais rápida pelo lado.., e por ultimo destacar o jovem Walce que mostrou muita segurança e o Volpi vem se firmando na meta tricolor…
    Saudações tricolores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.