Primeiro turno digno das tradições do São Paulo

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, vou me permitir comentar o todo e não ficar preso à partida deste domingo, quando o São Paulo venceu a Chapecoense, no Morumbi e sagrou-se campeão simbólico do primeiro turno.

Aliás, posso falar do jogo deste domingo sim. Marcamos um gol no comecinho da partida, poderíamos ter partido para cima e decidido logo o jogo, mas o time perdeu a pegada, desconcentrou e a Chapecoense dominou o time misto do São Paulo. Dominou mas não ofereceu um único risco a Sidão. Por que não criou chances? Sim, criou, mas encontrou em Arboleda e Bruno Alves uma zaga que mais parecia o Muro de Berlim, absolutamente impenetrável. Sem contar que Jucilei, na cabeça de área, cortava tudo.

No segundo tempo, continuando a ser dominado, Aguirre colocou três titulares – Hudson, Rojas e Nenê – e em cinco minutos resolveu a situação, com linda jogada de Rojas para Hudson completar para o gol.

Agora falarei do primeiro turno. Quem é que, em sã consciência, entre todos nós – eu que escrevo e vocês que me leem – imaginaria, no início do ano, que terminaríamos o 1º turno na liderança, três pontos a frente do segundo colocado? A previsão era que estaríamos com mais  uma no perdido, brigando o tempo todo para não cair.

Quando começou o Brasileiro passamos a crer que poderíamos nos estabilizar na faixa do meio da tabela, entre o décimo e o décimo sexto lugar. Afinal, depois de ganharmos por um magro 1 a 0 do Paraná no Morumbi, empatarmos contra Ceará e Fluminense fora, empatar com o Atlético-MG no Morumbi, empatar com o Bahia na Fonte Nova e só voltar a vencer na sexta partida, ou seja, no clássico contra o Santos, no Morumbi, quem ousaria dizer que teríamos melhor sorte no Brasileiro?

Mas com o tempo o time foi tomando corpo, Aguirre, conhecendo mais seus jogadores e já tendo arrumado a defesa, deixou de jogar com três zagueiros e três volantes, passou a ter dois volantes e um meia, com três homens de ataque e a coisa foi melhorando.

Indiscutível o mérito da diretoria que fez contratações pontuais, eu diria cirúrgicas, e que entraram como luvas no time. Casos e Everton e Rojas, por exemplo. E assim será, também, com Bruno Peres. Sem contar as aquisições de Nenê e Diego Souza, muito contestadas num primeiro momento – eu lancei a campanha #ForaDiegoSouza – mas hoje vimos que eu estava errado e Raí estava certo. Que bom!

O São Paulo não joga o futebol dos sonhos, não tem aquela técnica apurada, não domina o jogo para sufocar os adversários e meter grandes goleadas. Mas o São Paulo está jogando um futebol preciso, moderno, eficiente e de muita marcação, com contra-ataques mortais.

Aguirre, eu nunca fui defensor do seu trabalho e quando fiquei sabendo, e noticiei, que você seria o novo técnico do São Paulo temi pela nossa sorte. Mesmo assim te apoiei, pois seria injusto te crucificar sem conhecer a fundo seu trabalho. Me desculpe por um dia ter duvidado dele. Obrigado pelo que você fez para e pelo São Paulo. Você – e aqui vou incluir Raí, Ricardo Rocha e Lugano – então, vocês resgataram o orgulho do torcedor são-paulino, que andava cabisbaixo, torcendo para a segunda-feira nunca chegar, pois seria alvo de chacota. Vocês colocaram o São Paulo no patamar de onde ele nunca deveria ter saído.

Não sei se seremos campeões. Não sei o que vai acontecer quarta-feira, contra o Paraná. Mas o caminho para o título está pavimentado e eu tinha que colocar para fora meu sentimento, que é de um torcedor maluco, apaixonado, alucinado e que hoje está rindo à tôa, pois o São Paulo voltou a ser o São Paulo de sempre.

Vamos, São Paulo!

9 comentários em “Primeiro turno digno das tradições do São Paulo

  1. É um SP trabalhador… está me representando em campo, jogando com amor pela camisa!

    Título é um sonho sim! E real!

    Mas espero também que o projeto seja de longo prazo. Temos que buscar jogadores com o mesmo perfil Éverton Felipe, jovem, com muitos minutos jogados na série A, passagem por seleção de base… Achei o custo bom, e que pode trazer frutos em campo, mas também financeiros.

  2. Boa noite tricolores!!
    Não dá para não se empolgar, o time está em um caminho certo, não dá pra cravar que seremos campeões mas a porta está aberta na nossa frente, mas ela é estreita, só passa um e teremos aí uns cinco ou seis querendo passar, vou listar aqui os 7 jogos que, na minha opinião, serão chave: Santos na Vila, ATM em Minas, Inter em Porto Alegre, Curica em Itaquera, Palmeiras, Grêmio e Flamengo em casa, com certeza esses serão os mais difíceis, nesses jogos perderemos alguns pontos mas, se ganharmos o máximo de pontos que pudermos o título não deve escapar.

  3. Time com padrão uruguaio de jogar futebol. Forte no sistema defensivo e matreiro no ataque. É muita entrega e muita dedicação. Jogando dessa forma, pode até perder, porque faz parte, não existe time imbatível, mas vai sair de campo aplaudido. Deixamos para trás aqueles tempos de futebol blasé, do falso rótulo de soberano. O que se vê agora, é um time aplicado, que pode não ser um primor de técnica, mas que é 100% guerreiro. # segueolíder.

  4. Ontem brincamos com fogo,
    e isso nao deve acontecer sabemos as consequencias.
    As alas sao nosso caminho nos contra ataques,
    e vem funcionando e muito bem,
    o meio so’ temos Nene, e ele e’ anos luz a frente
    do apatico Shaylon, este e LFernandes nao tem vibracao
    e jogador sem vibracao nao serve, ai’ nao tem nenhum Ganso,
    jogadores fracos. Enfim, Aguirre junto com Rai. Lugano e Ricardo
    sao nosso suporte junto com comissao tecnica e torcida.
    Daqui para a frente e’ jogo a jogo sem descanso pra nada.

  5. Nas primeiras rodadas comentei que ficaria feliz se nossa defesa tomasse menos de um gol por jogo, o que por si só nos levaria a uma posição entre quinto e oitavo colocado.
    Aguirre nos surpreendeu positivamente e faz o time jogar coletivamente e com grande eficiência.
    Se ainda não recuperamos nosso DNA do toque refinado e ataque mortal, pois o futebol mudou, temos de volta as vitórias e a liderança com que nos acostumamos. Este é o nosso lugar.

  6. O Aguirre surpreendeu muita gente , fechar o primeiro turno nesta colocação era impensável , acho que nem ele acreditava nisso, seu trabalho é muito bom , com os pés no chão e parece que mantém o elenco assim tbm além do rodízio que motiva os reservas.
    Everton e Rojas elevaram o patamar do time e são fundamentais nesta campanha.
    Inegável que existe um ambiente favorável dentro do clube que provavelmente deve ser méritos da diretoria de futebol (Raí, Ricardo, Lugano e Pássaro) e até do Leco (nem acredito que escrevi isso), que dão toda a retaguarda necessária à equipe .
    Ainda tem 57 pontos em disputa e acredito que começaremos o segundo turno sendo um time muito mais sólido e sabendo e preparado do que o SPFC que iniciou o primeiro turno .
    Agora somos o time a ser batido e os jogos naturalmente passarão a ter maiores dificuldades tanto com quem está na briga quanto com os que estão caindo.
    O caminho além de pavimentado está iluminado e a equipe tem que aproveitar esse momento.
    Vamos SPFC !!!

  7. Essa é nossa Identidade!!!!

    Essa foi abpalavra mais usada por Raí em sua apresentação e vem cumprindo com louvor!!!

    Essa é nossa IDENTIDADE!!!!!

  8. Paulo Pontes , este time é cara dos times do Muricy de 2007/2008 , esperamos que no fim do ano o final seja o mesmo e soltamos o grito de campeão que esta entalado a 10 anos na garganta , o sonho pode se tornar realidade , agora que queremos o título nada e menos que isso.

    É trabalhar focado e com humildade pra fechar esta semana com mais 6 pontos vencendo Paraná e Ceara. O Sonho esta vivo .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*