Maicon, Pato e outros: reforços não podem significar loucuras!

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, nós, mais do que ninguém, estamos ávidos pela notícia de que o Porto aceitou a proposta do São Paulo e Maicon é Tricolor. Mas as notícias que chegam de Portugal não trazem essa feliz informação e as negociações prosseguem.

Já noticiamos ontem que, em caso de fechamento de negócio, será o maior da história do clube, em termos financeiros.  O título de contratação mais cara da história do São Paulo é de Ganso. Em 2012, o jogador foi comprado do Santos por R$ 23,9 milhões. Agora, apesar de tentar reduzir os 8 milhões de euros (cerca de R$ 30 milhões) pedidos pelo Porto, a diretoria sabe que terá de chegar pelo menos perto do valor. A expectativa tricolor é que saia negócio por cerca de 7 milhões de euros (cerca de R$ 26,5 milhões), superando Ganso.

Maicon tem 28 anos, ou seja, não é um garotinho, e está longe de ser um Oscar ou Dario Pereira. Mas ele, em menos de seis meses, se encaixou como uma luva em nossa defesa e assumiu o papel que antes fora exercido por Diego Lugano. Aliás, o uruguaio foi contratado exatamente por exercer essa liderança, pois ele já se encontra nos estertores de sua carreira.

Comumente, nas Notas dos Jogadores, classifico Maicon como gigante, monstro. Realmente ele tem sido a alma tricolor e seria muito ruim para o clube sua saída. Diria que perderíamos boa parte do nosso potencial para as semifinais da Libertadores.

Deveria criticar os responsáveis por essa contratação, que repetiram o mesmo erro de quando Ricardo Oliveira veio para o São Paulo, em 2006. Ali perdemos o centro-avante na véspera da final contra o Internacional, fato que pode se repetir agora. Mas Maicon foi contratado dois dias antes do encerramento do prazo de inscrições. Era uma incógnita, estava mal no Porto, vinha para compor elenco e a data derradeira do empréstimo foi fixada pelos portugueses. Ou seja: era pegar ou largar. Pegamos.

 

Acho que pagar 7 milhões de euros por um zagueiro de 28 anos é um investimento sólido, por mais que o valor seja exagerado, pois ele pode ser fundamental para conquistarmos a Libertadores. Mas que se pare por aí, que não envolvam mais valores, pois loucura tem limite.

Quanto a Alexandre Pato, apesar de, publicamente, a diretoria negar qualquer negociação – postura absolutamente correta – tenho informação segura que as sondagens prosseguem. E defendo, sim, a contratação de Pato. Claro que com valores racionais, longe do que ele recebia em sua primeira passagem pelo Morumbi, e com valor do passe lá embaixo, já que seu contrato com o Corinthians se encerra em 30 de dezembro e ele, a partir de 30 de junho, pode assinar pré-contrato com qualquer equipe e, se for o caso, vir de graça no fim do ano. Se você pagar por seu passe hoje, o valor seria ínfimo.

Sei que a volta de Pato causa celeuma entre os torcedores, mas é inegável que ele teve um grande ano de 2015, sendo o artilheiro do time. É indolente, meio desligado, mas tendo um técnico enérgico no seu pé, ele funciona.

Sei também que a diretoria está procurando trazer ao menos três reforços para o segundo semestre. Certamente não disputarão a Libertadores, mas se pensa no Brasileiro. O time precisa, sim reforçar seu elenco. Só não deve fazer loucuras que afundem o São Paulo em dívidas impagáveis. Pode usar vários jogadores que temos ali, ganhando bem e rendendo nada, como moedas de troca. Ou com a simples venda. As finanças vem sendo recuperadas, depois das tsunamis provocadas por Juvenal Juvêncio e Carlos Miguel Aidar. Que Leco mantenha o rumo sem desviar a proa.

5 comentários em “Maicon, Pato e outros: reforços não podem significar loucuras!

  1. Sem falar no Denis, nunca vi um goleiro falhar tanto e continuar titular, se conseguirmos chegar numa eventual final contra o Boca ele não vai suportar a pressão e vai entregar o ouro.
    E as Denisetes de plantão, vão dizer que ele é uma cara de grupo, que está na reserva desde 2009, que deu o sangue contra o Palmeiras e bla bla bla.
    Não serve e já provou que não tem condições de ser titular, não assume as falhas, joga a culpa nos companheiros, como no caso do R. Caio (que cara de grupo é esse?), contra o palmeiras ele rebateu errado como sempre e meteu a cara no pé do atacante, enfim se a diretoria liga tanto para opiniões das redes socias ao ponto de contratar e descontratar um jogador no mesmo dia (mais uma lambança dessa diretoria amadora), porque não mandam esse goleiro embora, nunca fez nada pelo SP tá desde 2009 recebendo muito pelo que faz, nas entrevistas só fala merda, quer tomar postura de líder mas é um incoerente.
    Estou analisando dentro de campo e não serve, toda bola na pequena área é um drama, ele não sai do gol, quando sai chega atrasado porque sempre esta mal posicionado, vide o segundo gol do Santos, a bola foi cruzada na pequena área e ele como sempre estava mal posicionado e com o zagueiro lerdo…
    Além de ser um azarado de mão cheia, nosso melhor jogo esse ano foi a goleada no Toluca e o mesmo estava suspenso pela lambança que fez.

  2. Francamente a Diretoria teve praticamente dois meses pra definir esta situação e não tem um plano B, já era pra ter contratado um zagueiro a muito tempo mesmo achando que o Maicon ficaria, mesmo porque contar com R. Caio e Lucão é prova de burrice mesmo, tudo bem que era uma contratação de “pegar ou lagar”, mas com amadores negociando, mesmo porque o jogador prefiriu o SP ao galo, custava por uma cláusula de renovação do contrato por mais 30 dias caso o time chegasse as semifinais? Como já mencionado aconteceu com Ricardo Oliveira em 2006 e perdemos aquela final, mas como nosso diretor é corinthiano não se recordou desse episódio. Pato não, pelo amor de Deus, o pato não é centravante, e de cada 10 oportunidades de gol perde 9, além de estar mais preocupado com revistas, não é substituto para o Calleri, não esqueçam que o Ganso começou a vingar depois de quase 4 anos….

  3. De que adianta fazer loucuras por somente 1 jogador e afundar mais o time numa crise financeira sem precedente, cade os diretores com consenso para nao fazerem loucuras, vamos tentar coisas caseiras mesmo e pq nao nos times que estao fora da libertadores acho que os valores sao menores.
    Acorda porcaria de diretoria.

  4. Paulo, o São Paulo vái até o Porto comprar o Maicon, e o goleiro do Porto , um brasileiro é desligado do time.
    É notório que o São Paulo queria um goleiro de Nome.
    Seria tudo uma grande conicidência, ou uma venda casada?
    O Helton seria um bom goleiro pro São Paulo?

  5. Assino embaixo.
    Caso não dê certo o Maicon, paciência, vamos com Rodrigo Caio, Lugano, Lyanco e Lucão.
    Não se pode torrar dinheiro tão fácil com os recursos do clube.
    Sugiro até experimentar o Joao Schimidt como zagueiro. Ele tem porte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*