O detalhe e a arbitragem nos tiraram a vitória

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, o São Paulo só empatou com o Corinthians no Morumbi. Digo só empatou porque merecia ganhar. E não era de pouco não. Só não saiu com a vitória porque colocou três bolas na trave no primeiro tempo e teve um pênalti absurdo e escandaloso não marcado aos 46 minutos do segundo tempo. Seria convertido? Não sei. Mas que a chance do cobrador marcar é, em geral, de 90 por cento, contra dez por cento de errar.

Com isso quero dizer que gostei muito do futebol apresentado pelo São Paulo neste domingo. Um futebol ofensivo, com marcação na frente, pressionando o Corinthians em seu campo, com todos os jogadores participando ativamente do jogo e demonstrando a vontade de vencer. Mais do que isso, Juan Carlos Osório mostrou que não tem medo de perder.

Hoje não consigo sequer separar os dois tempos, onde normalmente o time vai bem em um e cai no outro, ou vice versa. O time foi bem no todo da partida. Osório fez substituições que, a meu ver, nem seriam necessárias, mas que acabaram sendo eficientes. Bruno e Carlinhos, que faziam boa partida, foram sacados para entradas de Wesley e Auro. Michel Bastos foi para a ala esquerda. O São Paulo ganhou mais volume de jogo. Com Hudson vulnerável e já “amarelado”, Osório foi mais intrigante e audacioso ainda e colocou Breno, jogando ali, com volante, dando o primeiro combate.

Volto ao primeiro tempo para falar do gol do Corinthians. Como sempre, em falha do adversário. Não consigo ver esse time marcar um gol sem ser em roubada de bola num passe errado do adversário. E assim foi. Contra-ataque, defesa aberta, Rafael Tolói toma um drible e cai sentado, Lucão e Luiz Eduardo não acompanham e o gol sai. Absoluta injustiça.

Menos mal que logo no começo do segundo tempo Luis Fabiano empatou. E o time continuou em cima. Aí entra a arbitragem e deixo a pergunta: fosse o lance em que Uendel espalmou a bola para escanteio no Morumbi, aos 46 minutos, ocorrido no Itaquerão, com o personagem sendo Rafael Tolói, ou Lucão, ou Luiz Eduardo, ou  Breno, ou Michel Bastos, ou Carlinhos, ou Bruno. O árbitro marcaria escanteio ou pênalti. Acho que a resposta é evidente.

Se eu falar que isso demonstra a fragilidade que a diretoria tem nos bastidores da CBF vão falar que estou perseguindo Carlos Miguel Aidar. Que eu o acho um presidente medíocre, isso não resta a dúvida. Mas essa fragilidade junto à CBF começou na era Juvenal Juvêncio e permanece até hoje. Os erros de arbitragem que estão se sucedendo no Morumbi mostram bem o que estou dizendo. E é o tal negócio: se ganhar do Corinthians com juiz já é difícil, imaginem então se permitem que seus jogadores usem as mãos. Aí, dançamos.

10 comentários em “O detalhe e a arbitragem nos tiraram a vitória

  1. Tomara que aquela galera que só aparece aqui nas derrotas tenham visto o jogo. Será que ainda vão chamar o Osório de enganador e dizer que preferem um time retranqueiro?

  2. E difícil mesmo ganhar desse time escroto, os árbitros, a mídia, a CBF e FPF não deixam, precisa fazer uns três gols pra valer um.
    Por isso eles levam vantagem no confronto, afinal, quantos jogos fomos roubados contra esse timeco sujo que é a cara do Brasil?

  3. O árbitro estava muito estranho. Teve também aquele lance no primeiro tempo em que ele nem ia marcar falta e depois, no grito, voltou e deu amarelo. Como pode o sujeito em um momento entender que não foi falta e segundos depois, talvez por conta da marcação do bandeirinha achar que foi uma falta grave, que merece amarelo?
    E o lance em que o Luiz Fabiano tocou na bola em uma jogada de ataque foi muito “menos voluntário” que o do pênalti, mas isso não impediu o arbitro de anular o lance. É esse tipo de lance que estraga o futebol. Todos outros esportes estão mudando, procurando uma forma de evitar erros e malandragens da arbitragem, mas o futebol continua alimentando a palhaçada/roubalheira.

  4. Paulo Pontes

    o APITO AMIGO corintiano sempre existiu desde antes do Juvenal e Aidar, não concordo com sua colocação sobre a “falta influência na CBF pra mudar isso”

    com ou sem, esse time ESCROTO q me nego a dizer o nome sempre teve ajuda dos arbitros, e acredito q a Globo é a maior responsável por essa influência que vc cita do q propriamente a CBF

    E para a Globo, ela só dá atenção para 2 clubes no qual todos já sabem, nada q a diretoria do SPFC fizer irá mudar isso.

  5. Osorio emplacou, na’o tenho duvidas,
    se faz substituico’es incoerentes para alguns,
    seguramente e’ porque treina.
    Arbitragens malukas e traicoeiras como a fifa & cbf,
    os de hoje foram mal tecnicamente os de ontem prepotentes
    e assim vai, o show que estamos acostumados.
    Destaque para o Luiz Fabiano que jogou o que deveria jogar sempre
    como o gringo que sendo meia boca corre sempre e esta’ sempre correndo
    e na’o reclamando nem olhando. Breno tem postura de quem tem personalidade
    mesmo errando. Enfim, assim e’ o meu time que gosto de ver, sem ser omisso se impondo, acredito que o nosso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*