A última bala na espingarda

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, o São Paulo começa vida nova nesta noite. Quando entrar em campo para jogar contra a Ponte Preta, na primeira partida do segundo turno do Brasileiro, encontrará um Morumbi lotado e terá no banco o técnico que foi insistentemente pedido pela torcida desde os tempos de Ney Franco e durante Paulo Autuori: Muricy Ramalho. Aliás, parece que ele nem saiu, que apenas tirou férias.

Essa mexida sacudiu a torcida e deu novo ânimo. Depois da derrota de quinta-feira passada para o Criciúma, com mais de 33 mil pessoas nesse mesmo Morumbi, houve um distanciamento bruto da torcida. Tanto que na segunda-feira menos de mil ingressos haviam sido vendidos. Bastou o anúncio da contratação de Muricy para ocorrer uma avalanche e as vendas dispararem. Em pouco tempo os ingressos se esgotaram.

É esse entusiasmo e essa esperança que farão os jogadores entrarem em campo, tentando apagar o que passou e começando uma nova vida. É, também, a última bala que temos na espingarda. Se não der certo com Muricy, e vou mais longe, se não vencermos hoje, as profecias trágicas para este ano estarão realizadas e o fim será aquele que todos tememos.

Então, á vitória, Tricolor!

3 comentários em “A última bala na espingarda

  1. E isto mesmo, se nao vencermos hoje, acabou.
    E mesmo, nossa ultima bala, na doze.
    MURICI, mechou com o torcedor, o torcedor voltou, acreditando
    numa virada grandiosa.
    Vamos ver se o time acorda, porque senao, podem
    encomendar o caixao, e mandando alguns medalhoes
    mimados praquele lugar.
    Acreditamos, mas tem que ser agora, ja, dsemoro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*