Jogo de Campinas serviu para vermos o elenco

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, o São Paulo “B” empatou com a Ponte em Campinas em 0 a 0, neste domingo. Mais do que o resultado, o fato de Ney Franco ter escalado o time completamente reserva, com o desta de Paulo Henrique Ganso começando a partida, e Cañete entrando no decorrer do jogo, foi muito bom para que a torcida pudesse ver o elenco que tem.

Não há dúvida que estamos bem servidos de goleiro. Ao menos neste momento Denis é um bom reserva para Rogério Ceni. Não sei se em 2014, quando o M1TO parar, isso vai continuar, mas para hoje não temos problemas.

Já Douglas me irritou profundamente. Nitidamente revoltado por ter sido escalado neste jogo, fez tudo com má vontade, deu passes medonhos, cometeu erros grotescos e provou, com esse futebol, que Paulo Miranda é super titular da lateral direita.

A dupla de zaga formada por João Filipe e Edson Silva deu conta do recado. Muito mais por conta de João Filipe, que fez uma partida espetacular, que do lento Edson Silva.

Já Henrique Miranda, em quem sempre apostei minhas fichas, mais uma vez me decepcionou. Não é  a primeira vez que ele aparece como titular, e não me lembro uma única vez que eu possa dizer que ele tenha ido bem.

No meio de campo parece claro que Paulo Assunção só serve para compor elenco, mas não pode almejar o posto de titular; que Casemiro até mostra boa vontade, mas está longe de ser aquele garoto que surgiu dos juniores e parecia que seria um novo talento no Morumbi. Maicon é bom para compor elenco, o mesmo podemos dizer de Cícero. Mas não mais do que isso.

Paulo Henrique Ganso está visivelmente fora de forma e de ritmo. Tem um toque especial, mostra que é craque, mas falta  jogo para ele, e a promessa fica para 2013, onde será fundamental para o nosso time.

Cañete entrou no segundo tempo e, claro, seria prematuro tecer qualquer comentário sobre suas qualidades, depois de um ano parado, e totalmente sem ritmo. Mas deu mostras de que procura o jogo, parte para cima, faz a tabela, tem bons dribles, como se joga no futebol argentino.

Já no ataque, não há mais o que esperar de Willian José. Não consegue amortecer uma bola, dominar, fazer a tabela. O jogo todo viveu de uma tabelinha com Casemiro. Nem chutar ao gol, característica sua pela potência que tem, ele conseguiu. Não vai fazer falta ao elenco.

E agora quero destacar Lucas Faria. Garoto e lateral direito, foi colocado na lateral esquerda, por necessidade do jogo, e se deu muito bem. Marcou em cima, partiu para a frente, abriu par a virar opção. É um garoto para ser bem melhor observado. Acho que tem futuro.

Concluindo, achei válida a estratégia de Ney Franco em colocar o time reserva em campo, preservando os titulares para o jogo de quarta-feira, pela Sul-Americana. Ali vale título.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*