Fim da novela Ganso e eu tiro o chapéu para a diretoria

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, não é de hoje que tenho sido crítico com as atitudes constantes desta diretoria. O continuísmo nunca terá meu apoio e sempre será criticado. As trocas constantes de técnicos, que foram contratados de maneira errada, a benevolência com certos jogadores e a arbitrariedade com outros, enfim, administrativamente este mandado de Juvenal tem sido uma catástrofe.

Mas não posso deixar de cumprimentar toda a diretoria, especialmente Adalberto Batista, e, claro, o presidente Juvenal Juvêncio, por toda a negociação envolvendo Paulo Henrique Ganso, terminando com um final feliz.

Ganso é, para mim, um dos poucos gênios que existem, hoje, no futebol. Entendo que Messi, Neimar, ele e Lucas, nesta ordem, são os grandes jogadores do futebol mundial. É fato que Ganso está parado há algum tempo e ficará, ainda, no Refis. Só deve retornar aos campos em novembro. Mas será, certamente, um diferencial em nosso time.

Aliás, é difícil criticar as contratações feitas por esta diretoria. Se os jogadores não vingam, é um outro problema. Mas quem pode negar que Osvaldo foi a sensação do Brasileiro do ano passado no Ceará? E Maicon, um dos melhores meias do campeonato, pelo Figueirense? Cortez foi eleito o melhor lateral do Brasileiro; Jadson era meia da Seleção Brasileira; Fernandinho foi e revelação de 2010; Marlos eleito o melhor jogador do Campeonato Paranaense; e RAfael Toloi? E Luis Fabiano?

Sei que pesam na balança do lado contrário jogadores como Paulo Assunção e Paulo Miranda. Mas o zagueiro está sendo útil e seu futebol vem crescendo jogo após jogo. Então, com ele, nem tudo está perdido.

Ainda nas contratações, Fernandão era desejo de todos, mas não vingou; Marlos não deu certo. Mas foi vendido por R$ 10 milhões; Fernandinho, da mesma forma, saiu por R$ 4 milhões. E a venda de Lucas, por mais de R$ 110 milhões, valor superior ao que vale o próprio Neimar?

E agora outra: Cleber Santana, que havia sido destaque no Santos e estava bem na Europa, aqui foi mal. Mas, emprestado para ali e acolá, foi, agora, vendido ao Flamengo. Além de se livrar de um super-salário de R$ 150 mil mensais, pois mesmo emprestado ao Avaí, o São Paulo arcava com a diferença salarial, ainda vai receber Negueba de graça, por um ano, com opção de compra em definitivo do jogador. Negueba foi uma revelação do Flamengo, é jogador rápido, driblador e já trabalhou com Ney Franco nas Seleções de base. Poderá ser muito útil ano que vem, quando não teremos mais Lucas.

Então, pelo que aconteceu nestes últimos dias, tiro o chapéu para a diretoria. Nunca deixarei de criticar as coisas erradas, mas sei reconhecer a coisas certas. E nessa negociação envolvendo Ganso, me enchi de orgulho por ver que o São Paulo ainda sabe agir – e ser respeitado – como um time grande, que nunca deixou de ser.

6 comentários em “Fim da novela Ganso e eu tiro o chapéu para a diretoria

  1. Paulo, os dirigentes do Santos mostraram uma face “coronelista”, em relação à essa negociação do Ganso. Pra eles que se intitulam “homens de negócios”, pois são “grandes executivos” no cenário brasileiro, observo se tratar de “torcedores” totalmente sem noção de que a mercadoria em questão é um ser humano. “Viajaram legal na maionese”. Depois que fizeram o Ganso jogar pela Libertadores, sem condições plenas, 10 dias após realizar uma cirurgia no joelho, contra o Corinthians, percebi o “quanto” é profissional essa “portentosa” diretoria santista. Além disso, se você me permite Paulo, é inacreditável observar as “críticas” relativas ao “caso Ganso”, proferidas pelos profissionais de imprensa, que em sua maioria é composta por “jornalistas torcedores” e, portanto, inacreditavelmente “parciais” em suas manifestações, através de seus respectivos órgãos comunicativos,por exemplo, o sr. Luis Carlos Quartarolo (jovem pan e em seu Blog no site uol). Aliás, os jornalistas declarados ou enrustidos, tidos como “sãopaulinos” se omitem ou emitem declarações contrárias à sua própria instituição de futebol preferida. Vide Flavio Prado (jovem pan), Victor Birner (uol), Bruno Prado (105 FM). Sabe-se lá por qual motivo! Felizmente, esses “profissionais da bola” não seduz tão facilmente meus pensamentos críticos à respeito dos fatos, motivo pelo qual opto por escrever esse pequeno desabafo em seu site, pelo competente e correto profissional que você é. Nem tanto por concordar com a maioria de seus comentários, mas sim, pela certeza de que seu posicionamento se dará através dos fatos reais em questão e não pela sua opção clubística. Abs!

  2. Eu ja tinha escrito aqui, no Tricolornaweb, que a diretoria não estava buscando jogadores no lixo. Exceto pelos nomes que voce citou mais o Maicon (não vi nem ouvi falar desse sucesso dele no Figueirense), os outros jogadores chegaram com boa fama.

    Essa diretoria tem prejudicado o time de duas formas: forçando a barra para os técnicos promoverem novatos e deixando posições descobertas. O time iniciou o Brasileirao/2011 apenas com o Rhodolfo de zagueiro titular. No brasileirao deste ano, o time ficou sem atacantes em varias partidas.

    Reconheço a necessidade de precionar o técnico para aproveitar os egressos de Cotia (que é outro acerto dessa gestão), caso contrario, os técnicos se acomodam e apenas pedem contratações. Mas tem de fazer isso direito. Minha sugestão: obrigar o técnico a dar oportunidade paara os jovens antes de contratar. Se técnico, Rene Simoes e Milton Cruz concordarem que o novato nao esta pronto, entao partem para a contratacao.

  3. Paulo, esta diretoria é péssima pela falta de comando, por desautorizar treinadores, por contratar jogadores ridículos (muito mais do que esses que vc citou). Tem Xandão, Renato Silva o outro zagueiro do Barueri que eu esqueci o nome, Rivaldo (piada), e por aí vai; por demitir o Carpegiani depois do jogo e depois mudar de idéia, deixando no cargo um técnico desautorizado por meses; por discutir em público problemas com o Leão (deixando um treinador enfraquecido no cargo por outros tantos meses). Todos esses erros levaram o SPFC a ser chamado por você mesmo, há pouco mais de um mês, de 4 força do estado. Portanto, me desculpe mas a sua incoerência vai me levar a deixar de frequentar o seu site.

    • Não é falta de coerência, meu amigo. Apenas tiro o chapéu para a diretoria por esta contratação. Leia com atenção o editorial e veja que não retiro as críticas que sempre fiz a ela. Mas se você quer deixar de frequentar o site, paciência. Bom proveito em outros “que tenham opinião mais coerentes” por aí.

  4. Desta vez concordo em gênero número e grau. Não é de hj que esta diretoria vem tentando contratar o q há de melhor no mercado.
    Não estou defendendo re-eleições “ad eternum”. Só que os jogadores contratados (os citados e muuuitos outros: laterais direitos e esquerdos, avantes tipo Willian José) chegam a não jogam o mesmo futebol pelo qual foi contratado. Até o próprio LF, com ótima proporção de gols marcados por número de jogos, fora a vitória sobre o curintia, seus gols ainda não foram aqueles que decidem alguma coisa importante; aliás, muitas vezes observo ele andando em campo, parecendo desligado da partida (qdo não entra de forma violenta em algum adversário e é suspenso. Acho que a “zona de conforto” no tricolor é muito grande, o que faz com que os atletas se acomodam apesar da aparente concorrência de qualidade. A direção técnica poderia dar uma pensada nisto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*