Se Ganso não vier, não vou culpar a diretoria

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, a novela Ganso está se estendendo demais e eu mesmo já me confesso um tanto perdido no meio de tantas notícias, entre idas e vindas. Mas o que apurei é básico e simples: O Laor, presidente do  Santos, quer o Ganso no Grêmio; a DIS quer o que for a melhor proposta para ela; o Ganso quer jogar no São Paulo e não admite ir para outro clube no Brasil, que não o Tricolor.

Está claro que o Santos vai dificultar o quanto puder essa transferência. Primeiro porque não pretende vender um de seus principais jogadores para um rival local; segundo porque quer devolver a Ganso o que imagina que ele esteja fazendo com o Santos, ou seja, desrespeitando e forçando sua saída. E o Santos tem o poder de segurar.

Não haverá, aqui, como se criticar a diretoria do São Paulo caso a negociação seja feita com o Grêmio. Sou muito crítico a esta diretoria e tenho externado aqui, constantemente, minhas discordâncias em relação a atitudes tomadas por Juvenal Juvêncio e sua turma. Mas nesse caso não haverá culpa da nossa diretoria.

É bom que todos entendam que o São Paulo fez tudo o que era possível e dentro das regras. Teve autorização do Santos para negociar com os investidores e com o atleta, acertou as bases de salário com Ganso, fechou acordo para a participação da DIS no passe do jogador e, depois de intensa negociação, aceitou pagar a multa integral que cabe ao Santos, ou seja, R$ 23.800.000,00, mesmo sabendo que daqui a três meses, em janeiro, essa multa cairá quase que pela metade. Mas fez isso exatamente para evitar que o Grêmio viesse e depositasse o valor, levando o atleta.

Que culpa tem a diretoria se o Santos, dono do passe, não quer vendê-lo ao São Paulo? Que culpa a diretoria tem se o presidente do Santos está colocando um empecilho após o outro para atravancar a negociação? Hoje, depois de uma extensa reunião, tiveram o disparate de recusar a oferta do São Paulo por encontrar dois pontos na carta de intenções que foi apresentada que não agradaram a diretoria.

Ora, vai ocupar o tempo de quem tem tempo. A diretoria do Santos, sob a presidência de Luis Álvaro, que tem me parecido tão adulta e profissional, está jogando por terra essa imagem e se tornando um timeco de fundo de quintal.

O que é que o Grêmio pode fazer mais do que o São Paulo está fazendo? Oferecer mais que os R$ 23,8 mi, que é o valor da multa? Criar, então, um leilão pelo jogador? Amigos, é uma grande sacanagem da diretoria do Santos e a ela cabem as pedras se algo der errado.

Mas eu ainda continuo confiando na vontade do jogador e na palavra dos homens da DIS, de que Ganso será mesmo do São Paulo. Ou não estamos tratando com homens, mas com sacos de batatas.

9 comentários em “Se Ganso não vier, não vou culpar a diretoria

  1. Já ficou caro demais esse negócio. Agora saiu a notícia de que o Santos quer, além dos R$ 23 mi a vista, perdão de uma dívida de R$ 4 mi por parte do grupo DIS. Em qualquer negociação uma das partes não pode mostrar que está disposto a tudo. Já passou da hora de o S.Paulo abandonar essa negociação. Deixa o Santos ver se o Grêmio tem realmente essa grana toda.

    Toda essa novela por um jogador com problema de lesões? Melhor esperar e procurar opções no fim do ano.

  2. Paulo, o raciocínio está certo, mas nem de longe lembram a grandeza do SPFC.
    Dirigente que não sabe negociar é assim mesmo. A diretoria é fraca até quando tem dinheiro.
    Acho que o José Luis aí emcima, comentou algo verdadeiro.
    Basta querer.
    SE o MPG ou o Eduardo Mesquita Pimenta estivessem no comando, o Ganso já estaria jogando no SPFC.

  3. este investimento é o melhor que esta tendo para um presidente que foi a publico dizer que não sabe o que fazer com o dinheiro em caixa,o ganso no ano que vem jogando em totais condições físicas e estando contente vai ser o melhor jogador brasileiro,vale a pena investir .

  4. Paulo,
    Concordo com vc…mas com uma ressalva a diretoria do São Paulo achou que não teria concorrência nacional na contratação…..fruto da soberba da atual diretoria (“só nos temos dinheiro…)…….e começou a negociação oferecendo valores que notoriamente não seriam aceitos….isso fez com que as negociações fossem longas (já dura mais de 3 semanas) e nesse lapso outros clubes se estruturassem como investidores para tentar a contratação, por exemplo, o Gremio…..abs…….

  5. Sr. Paulo e amigos,

    A negociação é fácil de terminar. Chega-se ao Ganso e a DIS e propõe o seguinte!

    Fevereiro o São Paulo compra a parte do santos pelos R$ 16.000.000,00 certo, e paga-se a porcentagem paro o Ganso referente aos R$ 23.000.000,00 ai nesse embrolho todo quem sai perdendo é o santos… ou será que é difícil de pensar por esse lado!!! É só combinar com o Ganso que para outro time ele não vai a não ser para o Tricolor em fevereiro, o que é combinado não é caro.

    Como dizem que o Ganso só joga em novembro, não custa ele ficar no REFIS fazendo tratamento e chegar em fevereiro comendo a bola…

  6. Paulo, discordo em alguns pontos.

    Todas as negociações em que o Sr. João Paulo de Jesus Lopes esteve envolvido, fracassaram, foi assim com Coates, zagueiro do Nacional, entre outros negócios que emperraram.

    Talvez se tivessem adotado outra forma de negociar, o negócio já poderia ter sido fechado.

    Esse negócio de diretores falando que o jogador ja é do São Paulo não pega bem, bem como o Ney Franco rabiscando seu caderninho com o Ganso no meio de campo.

    Estou achando que o Ganso não virá, sobretudo pelo fato do sr. Jesus Lopes estar negociando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*