Voo do São Paulo para o Peru levou 13 conselheiros a bordo

O voo da Copa, fretado, que levou a delegação do São Paulo ao Peru nesta semana, para o jogo contra o Cesar Vallejo, válido pela pré-Libertadores, levou 13 conselheiros “convidados” a bordo. A confirmação foi feita pelo Assessor Especial da presidência, Rodrigo Gaspar, em grupo fechado de sócios do São Paulo, as redes sociais.

A explicação veio após soar muito mal a informação que o avião tinha se transformado em “Avião da Alegria”, lembrando os tempos de Juvenal Juvêncio. O ex-presidente usava esse método, levando conselheiros para ali ou acolá como forma de ter, em troca, a garantia de maioria absoluta nas votações do Conselho. Foi graças a esse gesto que conseguiu mudar o estatuto do clube, se “perpetuar” no poder e até eleger, sem esforço algum, Carlos Miguel Aidar como seu sucessor.

Na justificativa de Rodrigo Gaspar, os conselheiros que foram são, em sua maioria, “diretores  que trabalham diariamente no clube, e o fizeram mesmo de lá”. Acrescentou, ainda, que “não houve voo da alegria, compras, bagunça, exageros ou coisa do tipo. Houve sim, uma viagem oficial do SPFC participando da pré libertadores e uma ação de aproximação com um importante parceiro do clube, a Copa Airlines”.

O fato é que a repercussão foi a pior possível. Um grupo de conselheiros garante que vai cobrar na próxima reunião do Conselho Deliberativo explicações para essa viagem. Qual critério utilizado para escolha dos nomes que embarcaram porque, se o voo estava pago e os lugares estavam vagos, houve gasto do clube com estadia e alimentação.

Defende, este grupo de conselheiros, que as vagas existentes no voo deveria ser comercializadas com sócios-torcedores, sócios do clube e torcedores em geral. Eu, particularmente, defendo que o grupo das viagens deve compor, além, é claro, dos jogadores e comissão técnica, dos diretores ligados ao futebol profissional, à comunicação e ao marketing. De resto, não há explicação plausível para a inclusão.

O fato é que, válida ou não a explicação do assessor especial da presidência, o fogo do caldeirão político do clube foi reativado. E assim caminhamos.

 

Paulo Pontes

14 comentários em “Voo do São Paulo para o Peru levou 13 conselheiros a bordo

  1. é só cobrar todas as taxas dos conselheiros que 70% de durangos pede baixa, antigamente todo conselheiro pagava a taxa de conselho, aboliram e começaram a dar os ingressos para o jogo de graça, local em tribuna especial, esfirras etc, tudo isso devia ser cobrado que aqueles que vão puxar o saco do Presidente somem todos, tem um monte de durango que vai lá para comer e beber de graça, ganhar brindes e encher o saco, um monte que não são nem SãoPaulinos, na semana passada anunciaram a venda de lugares neste voo para acompanhar o jogo tentei comprar dois lugares para mim e meu filho disseram que não tinha mais, porém agora fico sabendo da cambada que foi de graça, vamos ver se divulgam quem foi, não sou contra a irem conselheiros desde que cada um pague tudo, viagem , hospedagem e alimentação.

  2. A mim não surpreende! Quando da renúncia do Aidar e do açodamento na marcação da nova eleição, deixei claro o meu entendimento: mais do mesmo. Hoje, na sociedade brasileira, o “mocinho” é o bandido: este sempre leva vantagem no fim…
    E o “faz de conta” da apuração dos malfeitos: alguém acha que pode dar alguma coisa para os bandidos?
    Não; no fim eles acabam bem…

  3. O que deixa perplexo é que alguns desses conselheiros que aproveitaram a mordomia, quando integravam a “oposição” eram críticos das benesses então instituídas… Além do mais, numa situação negativa de caixa, uma atitude como essa caracteriza lesa os cofres da instituição… Quanto a alegação de que trabalham pelo clube, penso que o argumento não tem o menor fundamento. Se o trabalho é ALTRUISTA, não tem que ser remunerado MESMO!

  4. Esse “famoso” Rodrigo Gaspar… qual a experiência profissional deste cara para ser assessor especial da presidência? Mais um que esta lá para mamar nas tetas do nosso SPFC e comer umas esfihas do Habib’s de graça… Vergonha! Herdeiros do JJ… Saudade dos tempos que o conselho era formado por notáveis e cardeais!

    • Apenas para colocar as coisas em seu devido lugar, o Rodrigo Gaspar é conselheiro eleito e de excelente reputação. Fiquei muito contente, inclusive, quando soube que ele fora indicado para o cargo. É pessoa muito séria.

  5. Acho muito simples de acabar com a farra: a aprovação de um normativo disciplinando a proibição de viagens, vantagens pra conselheiros ou quem quer que seja.

  6. E como relembrar é viver.

    O nosso excelentíssimo Sr. ex presidente Carlos Miguel Aidar continua passeando pelos corredores do Morumbi como se nada tivesse acontecido.

    E a gravação contendo toda a safadeza e roubo realizada no clube não deram em NADA, mais uma grande pizza meia calabreza meia muzzarela.
    Parabén Sr. ópico blum

  7. 200 sem vergonhas

    50% de não são paulinos

    50% velho escroto que já deveria ter se aposentado já que não faz NADA para mudar a situação do clube.

    hoje é 50% e já que a velharada não faz nada, a tendencia é termos o nosso clube comandado por palmeirenses e curintianos dentre de poucos anos. Infelizmente.

  8. Todos farinha do mesmo saco, o pernicioso legado deixado por JJ somente deixará de existir quando a estrutura do futebol for independente do viciado quadro associativo, uma vez que este é composto por quase 50% de não são paulinos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*