Vice em 2014, São Paulo usa Cruzeiro como exemplo para disparar

A tentativa fracassada de ultrapassar o Cruzeiro no Campeonato Brasileiro de 2014 é exemplo para o elenco do São Paulo do que é necessário fazer para terminar como campeão. Depois de assumir a liderança da atual edição no sábado, na sétima rodada, os jogadores agora têm como próxima meta abrir vantagem para ficar com o título no final mesmo se vier a ter tropeços eventuais.

“O Brasileiro premia quem tem maior regularidade. Temos que começar muito bem e, se puder, com mais folga, ir abrindo vantagem. Acredito que tende a ser assim. O Cruzeiro, no ano passado, abriu distância. A gente perseguiu, perseguiu e não conseguiu alcançar. Se abrirmos vantagem, temos grande chance de sermos campeões”, disse o volante Hudson.

De fato, para vencer a competição na temporada passada, o time mineiro – que chegou ao topo na sexta rodada – engatou vitórias consecutivas e não teve a primeira colocação realmente ameaçada. A menor distância para seu primeiro perseguidor, o São Paulo, foi de quatro pontos.

Regularidade, porém, não vem sendo o forte do São Paulo em 2015. A equipe chegou a se recuperar dentro da fase de grupos da Copa Libertadores, mas foi eliminada logo nas oitavas de final, curiosamente pelo Cruzeiro, e caiu também na semifinal do Campeonato Paulista, tendo uma das melhores pontuações da primeira fase da competição estadual.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Hudson participou da campanha vice-campeã do ano passado, quando o São Paulo não alcançou o Cruzeiro

“No início do ano, fomos criticados porque oscilávamos muito. A gente conseguia bons resultados e, depois, outros nem tanto”, reconhece Hudson, convicto de que, se repetir a instabilidade dos outros torneios, o São Paulo não chegará ao sétimo título nacional.

“No Brasil, há equipes muito parecidas. A gente viveu momento crescente na Libertadores, depois logo caiu com a eliminação. Cresceu no Paulista, depois logo caiu. Trouxe desconfiança da torcida, criticas. Com o elenco que a gente tem, as vitórias têm que ser mais frequentes. Tem que manter isso”, receitou.

O palco do próximo compromisso, contra o Avaí, pode ajudar. No Morumbi, o time vem de 12 vitórias consecutivas. “Jogar dentro de casa e conseguir fazer valer nosso mando de campo é importantíssimo. Temos ao todo 19 jogos no Morumbi. Se conseguirmos vencer todos, o que é difícil, a gente dá salto muito grande. No mínimo, fica no G4. Aí, beliscar pontos fora de casa nos deixa mais próximos do título”, avaliou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.