Vampeta defende preço caro e promete pétalas de rosa na estreia de Ceni

Vampeta não se mostrou incomodado com o protesto da torcida do São Paulo. Presidente do Grêmio Audax, o ex-jogador prometeu manter o ingresso da estreia oficial de Rogério Ceni como técnico, no jogo entre a equipe de Osasco e o Tricolor, a R$ 100.

A postura do mandatário fez com que as organizadas do São Paulo e torcedores comuns começassem uma campanha para boicotar a estreia da equipe no Paulista, em 5 de fevereiro, na Arena Barueri.

“Eu achei que era um preço justo, o Rogério é um cara que foi meu companheiro e campeão do mundo. É a chance única, vai ser a estreia do Mito. Não tenho medo de repercussão e boicote. Quem não for, não vai, pronto”, afirmou o ex-jogador, que não considera o valor alto.

“Não é salgado, se você tomar três cervejas no bar sem serviço nenhum vai custar R$ 60”, comparou Vampeta.

Como o mando de jogo é do Audax, a responsabilidade de tabelar as entradas é da equipe de Osasco. O presidente garante que os que forem acompanhar a partida de perto terão um tratamento especial.

“Esse é o ingresso mais barato. Se perguntar quanto é o mais caro, eu não sei. Mas vai ser todo mundo muito bem recebido. Será em Barueri, onde ele fez o centésimo gol contra o meu Corinthians. Vou receber todo mundo com pétalas de rosa e tapete vermelho”, prometeu o ex-jogador.

Ídolo da torcida corintiana, Vampeta sabe que não é benquisto pelos tricolores. Ele acredita, até, que se fosse outro dirigente não haveria tantas críticas.

“É normal, se fosse qualquer outro talvez não tivesse essa repercussão. Mas não estou fazendo isso por rivalidade. É um espetáculo diferente”, disse Vampeta, que garante adotar a mesma estratégia caso fosse o Corinthians.

“Se fosse o Tévez voltando para o Corinthians, era o mesmo remédio. Ou você acha que eu iria enfrentar o Corinthians todo dia com a estreia do Tévez? É todo dia que vou enfrentar o São Paulo com a estreia do maior jogador da história do São Paulo?”, questionou Vampeta.

No entanto, o ex-jogador pretende dar de presente para a população de Osasco uma promoção de ingressos no jogo entre Audax e Corinthians, no dia 19 de fevereiro, pela quarta rodada do Paulista.

“É muito gostosa essa rivalidade. Tem mais ainda, vou lhe falar, se olhar a tabela, duas semanas depois [do jogo contra o São Paulo], eu pego o Corinthians e quero cobrar o ingresso de R$ 50 a R$ 20, porque é aniversário da cidade de Osasco. Vai ser um presente para o município. Vou me reunir com os donos do clube, se eles me derem autorização, vou colocar o ingresso a esse preço”, avisou o ex-jogador.

Antes da estreia oficial no Paulista, Ceni comandará o São Paulo na Florida Cup, um torneio amistoso, a partir do dia 19 de janeiro, nos Estados Unidos. Os torcedores que pregam o boicote ao primeiro jogo do Paulista querem que a estreia oficial de Ceni seja no Morumbi, na semana seguinte, contra a Ponte Preta. A ideia era que o assistente Pintado ficasse no banco contra o Audax.

 

Fonte: Uol

11 comentários em “Vampeta defende preço caro e promete pétalas de rosa na estreia de Ceni

  1. O Vampeta é um imbecil. Pior é que se trata de um imbecil com um ego inchado pela ignorância. Aproveito para assinar em baixo do comentário anterior, da lavra do PAULO RP. A minha perplexidade fica por conta da direção da Radio Jovem Pan, outrora uma emissora que zelava pelo bom nível dos seus jornalistas. Manter em seus quadros um cara imbecilizado, como é o Vampeta, trata-se de afronta a jornalistas sérios e competentes que a emissora dispensou recentemente. Casos de Claudio Carsughi, Luiz Carlos Quartarollo e Marcello Lima. Meus pêsames a Jovem Pan…

  2. O Vampeta vende o peixe dele!
    Enquanto a mídia brasileira continuar dando espaço para suas bravatas, ele vai seguindo com relativo sucesso. Esse sucesso é muito maior do que se vivesse num país sério, onde apologia pelo vício (no caso álcool) pode ser criminalizada. Por aqui, como lemos, ouvimos, assistimos a idiotas, com ou sem diploma de jornalismo, que acham que as fantasias desse senhor (marginal?) devem ser propagadas, ele prospera e chegou a ser dirigente de um clube de futebol, relativamente organizado.
    Qualquer um pode dizer e fazer as besteiras que quiser, desde que respeite o direito dos outros. Esse cidadão (marginal) não se cansa de se vangloriar pela cambalhota que ele, segundo ele mesmo, bêbado, deu na rampa do palácio presidencial, ante o presidente da república, que ficou embasbacado, ante às maiores autoridades do país e à imprensa mundial. E a imprensa brasileira e os curintianos acharam isto o máximo; tanto que vivem re-editando o ato e dando o maior apoio. Me lembro bem da vergonha que senti naquele dia, vendo o fato. Me lembro bem da cara do descontentamento surpreso do presidente, que ainda teve que se fazer de “desentendido”, já que a assistência e os colegas do atleta, de igual nível, ainda o aplaudiam. Lógico que o povão estava felicíssimo com a vitória na copa do mundo e aceitava, naquele momento, tudo que viesse dos “heróis”: e os heróis daquele ano eram brasileiros: não alemães ou ingleses, que são capazes de entender a homenagem que lhes eram prestadas, mas brasileiros.
    E assim, de besteira em besteira, esse cidadão (marginal?) vai levando a vida, cada vez mais bêbado, cada vez mais oportunista…

  3. A que nível o futebol brasileiro chegou: esse indigente moral virou dono de time.
    Viu na contratação do Ceni uma maneira de se promover.
    Os “jornalistas” que ainda dão corda para esse travequeiro também são responsáveis.
    Boicote. Que fique vazio o estádio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*