Titularidade no SP faz João Schmidt sonhar com Rio-2016 e agradecer Bauza

Há dois meses o volante João Schmidt, 22, estava de saída para o Avaí por empréstimo. O técnico Edgardo Bauza vetou o negócio, trabalhou o atleta que não vinha sendo aproveitado e, agora, vê a aposta virar titular em nova posição no São Paulo. Na quarta-feira, Schmidt foi decisivo na vitória sobre o River Plate por 2 a 1 apesar de ter sido expulso a poucos minutos do fim.

A boa sequência como titular do São Paulo faz o jovem agora pensar em recuperar o espaço na seleção de base e sonhar com participação na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro, entre julho e agosto. Schmidt surgiu como grande promessa do São Paulo quando foi promovido ao elenco profissional, em 2011, e até o fim de 2012 vestia a braçadeira de capitão da seleção sub-20 – mesma geração que hoje representa o sub-23 da seleção brasileira.

“Voltar a ir para a seleção é um sonho, ainda mais para a Olimpíada, mas meu pensamento é no São Paulo, continuar fazendo boas partidas para ajudar o clube e me firmar como titular”, disse, ao UOL Esporte. “Me motiva bastante ter chances de disputar a Olimpíada, ainda mais no meu país, mas estou 100% pensando no São Paulo. A seleção é uma consequência do meu trabalho no clube”, completou.

Recuperar a vaga na seleção brasileira não é tarefa fácil. Hoje os quatro volantes bem cotados para a Olimpíada são Walace (Grêmio), Rafael Alcântara (Barcelona), Fred (Shakhtar Donetsk) e Rodrigo Caio, amigo que cresceu ao lado de Schmidt na base do São Paulo. Para o novo volante titular do clube do Morumbi, a parceria pode até ajudar na eventual volta à seleção.

“Acho que sim pelo nosso entrosamento que temos, mas acredito que as coisas vão acontecer na hora cera. Se for pra ter uma oportunidade na Olimpíada, será muito bem vinda”, diz.

Schmidt tem 100% dos direitos econômicos pertencentes ao São Paulo, foi promovido ao elenco principal em 2011, não conseguiu conquistar espaço até 2014 e acabou emprestado por uma temporada ao Vitória de Setúbal, de Portugal, onde se destacou e virou artilheiro do time. Segundo volante de origem pela boa qualidade técnica com a bola nos pés, agora ele se torna primeiro volante nas mãos de Edgardo Bauza. Schmidt agradece.

“Acredito que ele tem muita participação no meu crescimento, não só por ter me colocado em uma posição que estou conseguindo fazer boas partidas, mas por também ser meu primeiro técnico no São Paulo a me dar uma sequencia de jogos e em jogos importantes. Com isso venho tendo confiança e tenho muito mais pra ajudar”, afirma o volante.

O cartão vermelho contra o River Plate tira de João Schmidt a oportunidade de decidir a vaga na Libertadores contra o The Strongest, na Bolívia, na próxima semana – o São Paulo precisa apenas de um empate para chegar às oitavas de final.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*