‘Temido’ e ‘perigoso’, São Paulo encara La U pela Sul-Americana

O São Paulo encara nesta quarta-feira a Universidad de Chile, às 21h50 (horário de Brasília), pelo jogo de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana, buscando dar mais um passo rumo à próxima Libertadores. Sem Luis Fabiano e Paulo Miranda, o técnico Ney Franco ainda não divulgou os substitutos dos jogadores para o jogo. Na equipe chilena, o técnico Jorge Sampaoli também faz mistérios. Matías Rodríguez está com problemas físicos, enquanto Roberto Cereceda pode roubar a vaga de Guillermo Marino.

A partida de volta está marcada para o dia 7, na quarta-feira. Por conta do show da Lady Gaga no Morumbi, o Tricolor optou por fazer o jogo no Pacaembu.

CAUTELA E DÚVIDAS NA ESCALAÇÃO

Atual campeã da Sul-Americana, a equipe não é a mesma. O técnico Jorge Sampaoli prioriza o toque de bola rápido, em detrimento dos chutes ao gol. Por conta disso, a equipe tem pecado nas finalizações. Tido como objetivo principal, o treinador não escondeu a importância de conquistar o bicampeonato da competição e prezou respeito para com a equipe do São Paulo.

– São Paulo é uma equipe muito poderosa e que sempre será protagonista, porque tem um grande poder econômico. Junto com o Grêmio, são os rivais mais complicados nesta Copa. A tendência é a de que o São Paulo está em crescimento. Nas partidas em que vimos, é uma equipe muito forte nos investimentos, que pode reter os seus principais atletas e comprar outros caros. Sempre será um protagonista – analisou Sampaoli, contextualizando com a recente contratação de Ganso.

O treinador, contundo, ainda não confirmou os titulares para o jogo. A perspectiva é que mantenha a equipe que venceu o Emelec por 1 a 0, fora de casa, na última partida dos Azuis pela Sul-Americana. O defensor Matías Rodríguez pode ficar fora do jogo por conta de problemas físicos. Já Cereceda pode assumir a posição de Marino, à frente da zaga. Sampaoli ainda fez questão de ressaltar o poderio do adversário.

– Tirando Neymar, é uma equipe mais perigosa do que o Santos. É a equipe mais difícil que enfrentamos nos últimos tempos – completou o treinador.

O goleiro Jhonny Herrera, que já teve passagem pelo Corinthians, pode desfalcar a equipe. O arqueiro está sendo julgado por conta da morte de Macarena Casassús Matamala. Na ocasião, no final de 2009, Herrera estava alcoolizado e dirigia o seu veículo quando a atropelou.

O TEMIDO E ‘PERIGOSO’

Disputando duas competições simultâneas que dão vaga à próxima Libertadores, o São Paulo já está em território chileno para o primeiro jogo das quartas de final. Sem Luis Fabiano, poupado, e Paulo Miranda, com uma entorse no joelho esquerdo, o Tricolor ressalta a qualidade do elenco em busca do bom resultado.

– A gente espera uma dificuldade enorme. O time dos caras é bom, o último campeão da Sul-americana. Não é à toa que estão aí brigando de novo. Temos que respeitá-los, mas nosso grupo é muito forte também e vamos buscar o resultado fora de casa – declarou Wellington, antes de embarcar ao Chile.

Versátil, o lateral-direito Douglas pode ocupar uma vaga no meio de campo ou na lateral-direita. Caso jogue no meio, Paulo Assunção é o mais cotado para assumir a lateral-direita. Se o técnico preferir escalá-lo na direita, o meia Maicon entra na equipe, congestionando mais o setor e deixando Lucas e Osvaldo abertos pelos flancos do ataque. Rodrigo Caio corre por fora para iniciar o jogo na lateral-direita.

Temido pelo adversário, o Tricolor quer manter o tabu de nunca ter perdido para chilenos. As equipes já se enfrentaram quatro vezes na história. O Tricolor acumula duas vitórias e dois empates.

FICHA TÉCNICA
UNIVERSIDAD DE CHILE X SÃO PAULO

Local: Estádio Nacional de Chile, em Santiago (CHI)
Data/horário: 31/10/2012, às 21h50 (horário de Brasília)
Árbitro: Martín Vázquez (URU)
Auxiliares: Miguel A.Nievas (URU) e Marcelo Costa (URU)

UNIVERSIDAD DE CHILE: Jhonny Herrera (Paul Garcés); O.González, José Rojas, E.Mena e M.Rodríguez; G.Marino (Cereceda), C.Aránguiz, G.Lorenzetti e S.Martínez; E.Gutiérrez e S.Ubilla. Técnico: Jorge Sampaoli.

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Assunção (Douglas), Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Wellington, Jadson e Douglas (Maicon), Lucas e Osvaldo. Técnico: Ney Franco.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*