Shows do U2 ajudaram SP a descobrir esquema de corrupção

Era para ser motivo de celebração: depois de um ano sem shows, o São Paulo fechou quatro datas em outubro para receber o U2, uma das bandas mais famosas do mundo. Mas a passagem de Bono e companhia pelo Morumbi já rendeu uma demissão e virou alvo de investigação por parte do Conselho de Administração do Tricolor, órgão que ajuda o presidente Leco nas grandes decisões.

Alan Cimerman foi demitido na última quinta-feira do cargo de gerente de marketing. Embora não exista uma justificativa oficial, o Tricolornaweb apurou que ele foi demitido por justa causa e também teve como motivo o valor fechado com os organizadores pelo aluguel do estádio para os shows: R$ 1,9 milhão.

O Tricolor terá direito a R$ 650 mil na primeira noite de apresentação e mais R$ 650 mil na segunda. A partir da terceira, o aluguel cai para R$ 300 mil, mesmo valor da quarta e última noite. “Essa quantia é ridícula. Alguns anos atrás, o preço por dia era de R$ 1,5 milhão”, afirma um dirigente influente.

As polêmicas ligadas à turnê do U2 pelo Morumbi não terminam por aí. Nas últimas semanas, os conselheiros do Tricolor requisitaram ingressos gratuitos, como ocorre em todos os shows – em geral, há uma carga de duas mil entradas para tais solicitações. Foi quando surgiu a notícia de que não haveria cortesias desta vez, causando a fúria dos cartolas.

Iniciou-se então um levantamento para entender o por quê. Então, a própria diretoria descobriu que gente do clube havia bloqueado mais de 15 camarotes. E agora existe uma investigação para confirmar se empresas e pessoas físicas estavam adquirindo espaços nos camarotes pagando por ingressos que não entravam nos cofres do clube.

“A gente imagina que o São Paulo poderia ser lesado em aproximadamente R$ 8 milhões”, afirma um membro da diretoria de Leco. “Felizmente, descobrimos essa situação com alguma antecedência. Mas temos notícia de que alguns camarotes já haviam sido comercializados”.

O U2 vai se apresentar na casa tricolor nos dias 19, 21, 22 e 25 de outubro com o show “The Joshua Tree”. Os ingressos para os três primeiros dias já estão esgotados.

 

Fonte: Uol

5 comentários em “Shows do U2 ajudaram SP a descobrir esquema de corrupção

  1. O tanto de roubalheira que teve lá e ninguém foi preso nem expulso do clube… Até o Aidar só saiu da presidência, mas continua sócio e zanzando pelo Morumbi.

  2. Eu sou do tempo que, além das mensalidades associativa, os conselheiros “pagavam” mensalidade extra para fazer parte do CD. Alegava-se que era para os cafés e lanches servidos durante as reuniões. Nada era gratuito, pelo contrário, muitos que exerciam diretorias ligadas aos Esportes Amadores, ainda colocam $$$ do bolso para ajudar nas despesas dos atletas. O clube mudou muito nesses últimos 25 anos… hoje o objetivo da maioria dos dirigentes é “se servir do São Paulo”…e nisso inclui-se as mais variadas benesses, os voos da alegria, estacionamento garantido, etc., etc…

  3. Vergonha este preço de locação, tem gente roubando ai e muito.
    Quanto a dar ingressos para Conselheiros não deveria existir quem quiser ir que pague o máximo poderia facilitar a compra internamente, nada de graça deveria acontecer no clube até o Presidente deveria pagar afinal ele recebe salário do São Paulo. Se acabar com esta história de ingressos grátis um monte de conselheiro corre dai, tem uma maioria que só vai ai por causa dos ingressos e festas de graça, além do marmitex do Habib’s que levam embora depois dos jogos e festas.

  4. Que vergonha, 300 mil não paga nem o salário do Wesley, o que estão fazendo com o São Paulo, resumindo se não tivessem tirado o agradinho dos conselheiros, a roubalheira iria continuar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*