Sem medo de desarmar e finalizar: as estatísticas do São Paulo de Aguirre

Foram apenas cinco jogos, todos por fases eliminatórias de Campeonato Paulista e Copa do Brasil, com três derrotas e duas vitórias. Mas as estatísticas apontam uma cara do São Paulo que o técnico Diego Aguirre está montando: um time com atitude para tentar desarmar e finalizar.

De acordo com os números do Footstats, o Tricolor do treinador uruguaio finalizou mais do que o adversário em quatro partidas. E também em apenas um dos compromissos o rival realizou um número maior de desarmes, indicando uma tendência da equipe.

A única vez que o São Paulo de Aguirre finalizou menos do que o oponente foi na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, em Itaquera, pela semifinal do Campeonato Paulista. Esse apontamento deixa clara, contudo, a postura tricolor nos minutos finais daquele clássico, permanecendo no campo de defesa para proteger o goleiro Sidão e a vantagem adquirida com a vitória por 1 a 0 na ida, no Morumbi – o clube acabou eliminado nos pênaltis.

O São Paulo do substituto de Dorival Júnior só não teve, ao menos, o dobro das finalizações do adversário quando perdeu de Corinthians (7 a 17) e São Caetano (10 contra 8). No jogo de volta das quartas de final do Paulista, contra o São Caetano, no Morumbi, o time venceu por 2 a 0 finalizando mais do que o triplo de vezes do rival (19 contra 6) – veja abaixo os números de cada jogo da equipe com o recém-contratado técnico.

Desarmar muito também tende a ser uma característica com Aguirre. O único compromisso com desempenho inferior no quesito foi exatamente na estreia do técnico, perdendo por 1 a 0 para o São Caetano, no ABC, mas com curtíssima diferença (16 contra 17). Nas duas últimas partidas, com derrotas fora de casa para Corinthians e Atlético-PR, o Tricolor teve mais do que o dobro de desarmes – 32 contra 13 e 16 contra 7, respectivamente.

Na análise separada de outros critérios, o São Paulo de Aguirre não teve maior posse de bola do que os adversários em duas partidas, exatamente as duas diante do Corinthians, pelas semifinais do Paulista.: 43% na vitória por 1 a 0, no Morumbi, e 33% na derrota por 1 a 0, em Itaquera.

Confira abaixo as estatísticas do Footstats de cada um dos cinco jogos do São Paulo sob o comando de Diego Aguirre (em negrito, os números do Tricolor):

São Caetano 1 x 0 São Paulo
Posse de bola 38% x 62%
Finalizações 8 x 10
Finalizações no gol 4 x 3
Finalizações para fora 4 x 7
Desarmes 17 x 16
Passes certos 239 x 406
Passes errados 34 x 38
Cruzamentos certos 2 x 5
Cruzamentos errados 16 x 24

São Paulo 2 x 0 São Caetano
Posse de bola 60% x 40%
Finalizações 19 x 6
Finalizações no gol 6 x 0
Finalizações para fora 13 x 6
Desarmes 20 x 18
Passes certos 384 x 233
Passes errados 58 x 39
Cruzamentos certos 7 x 0
Cruzamentos errados 24 x 19

São Paulo 1 x 0 Corinthians
Posse de bola 43% x 57%
Finalizações 12 x 5
Finalizações no gol 3 x 2
Finalizações para fora 9 x 3
Desarmes 18 x 15
Passes certos 245 x 546
Passes errados 31 x 39
Cruzamentos certos 5 x 1
Cruzamentos errados 23 x 22

Corinthians (5) 1 x 0 (4) São Paulo
Posse de bola 67% x 33%
Finalizações 17 x 7
Finalizações no gol 2 x 3
Finalizações para fora 15 x 4
Desarmes 13 x 32
Passes certos 594 x 176
Passes errados 43 x 40
Cruzamentos certos 6 x 0
Cruzamentos errados 39 x 10

Atlético-PR 2 x 1 São Paulo
Posse de bola 46% x 54%
Finalizações 8 x 16
Finalizações no gol 3 x 2
Finalizações para fora 5 x 14
Desarmes 7 x 16
Passes certos 452 x 437
Passes errados 35 x 41
Cruzamentos certos 6 x 1
Cruzamentos errados 12 x 18

 

Fonte: Lance

3 comentários em “Sem medo de desarmar e finalizar: as estatísticas do São Paulo de Aguirre

    • É o que eu também acho. No futebol, aprendi desde muito cedo, que a ÚNICA estatística que vale mesmo, é a quantidade de bola na caçapa do adversário. De resto, me faz lembrar aquela máxima do Prof. Delfim Neto, ao abordar a razoabilidade da média e da estatística: “se uma pessoa mantiver a cabeça no freezer e os pés dentro do forno, a temperatura média do corpo será boa, mas as extremidades sofrerão prá caramba!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*