Sem Luis Fabiano, defesa vira trunfo do São Paulo para chegar ao título

O desfalque de Luis Fabiano preocupa o São Paulo para a decisão da Copa Sul-Americana, dia 12, contra o Tigre, da Argentina. Mas o setor que tem sido primordial na boa campanha da equipe até agora na competição é a defesa. Foram apenas dois gols sofridos em nove partidas, o que garantiu a classificação em pelo menos duas fases, e a vantagem de precisar de uma vitória simples no Morumbi para conquistar o título, na quarta-feira.

Com exceção da primeira fase, contra o Bahia, e das quartas de final, diante da atual campeã, a Universidad de Chile, as passagens do Tricolor não foram tão tranquilas. No duelo nacional, foram duas vitórias por 2 a 0. Já La U levou um baile em duas partidas: 2 a 0 e 5 a 0.

No entanto, nas oitavas de final, contra a desconhecida LDU de Loja, e na semifinal, diante do frágil time chileno da Universidad Católica, o roteiro se repetiu. Empates por 1 a 1 nos campos dos adversários, e por 0 a 0 no Morumbi. Os gols marcados fora de casa, e a segurança da defesa no Morumbi, garantiram a classificação, já que o time não foi capaz de furar as retrancas dos rivais.

Na decisão, como o gol marcado na casa do rival não tem mais peso, o São Paulo precisa vencer por qualquer placar, assim como qualquer empate leva o jogo para a prorrogação. Se Ney Franco vive um dilema na frente, e não sabe se escalará Cícero ou Willian José no lugar de Luis Fabiano, atrás a formação está mais do que confirmada: a experiência de Rogério Ceni no gol, as boas fases de Paulo Miranda e Cortez nas laterais, o entrosamento de Toloi e Rhodolfo na zaga e a proteção de Denilson e Wellington.

– É importante não sofrermos gols, mas o mérito é de toda equipe, não apenas da parte defensiva. Você vê o Lucas e o Osvaldo ajudando a marcar, e até o Luis fazendo isso – defendeu Toloi, que de quebra ainda é vice-artilheiro do time na Sul-Americana, com dois gols.

– Se sobrar uma bolinha na final, espero que eu possa concluir em gol e ajudar o time a sair com o título.

O zagueiro é visto pela diretoria como uma das principais contratações feitas em 2012. Ganhou a confiança de todos com seu jeito sério e duro de atuar. Na Bombonera, trocou tapas com os atacantes adversários durante toda a partida, e não se intimidou. Ao seu lado, Rhodolfo viveu um momento mais irregular, mas também tem feito boas atuações nesta reta final.

A eficiência da defesa é um dos orgulhos da comissão técnica, já que no início do ano, ainda sob o comando de Emerson Leão, o Tricolor tinha uma zaga pouco confiável. Além da chegada de Toloi, o trabalho de Ney Franco também foi importante. O time teve a terceira melhor defesa do Brasileirão, e a melhor do segundo turno.

Líder do setor, Rogério Ceni conta com o apoio de mais de 60 mil são-paulinos para dar a volta olímpica. Todos os ingressos para a decisão já foram vendidos.

– A torcida será o combustível para nossa equipe, acredito que os são-paulinos vão fazer a diferença na quarta-feira.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*