Sem ir ao campo, Ceni usa período sem jogos para recuperar pé direito

Já passaram-se 45 dias do choque entre Rogério Ceni e Alexandre Pato, mas o impacto foi tão forte que o trauma no pé direito ainda interfere no dia a dia do goleiro do São Paulo. Enquanto o elenco realizou o primeiro coletivo em Cotia, o camisa 01 tem trabalhado apenas internamente.

A recuperação ainda não aconteceu totalmente porque ele não teve tempo para tratar da forma adequada. Nas últimas semanas, todo jogo era decisivo e Ceni fez de tudo para não ficar fora. Agora, com a folga no calendário devido às eliminações no Paulistão e Libertadores, o capitão e o departamento médico decidiram usar os dias livres para tentar resolver o problema.

Aos 40 anos, o goleiro-artilheiro não gosta de ficar sem os trabalhos de campo. Mas, por enquanto, fisioterapia e exercícios aeróbicos têm sido a rotina do ídolo são-paulino.

– A partir deste final de semana ou no começo da próxima, temos de começar o treino no campo, por conta do Campeonato Brasileiro. A partir do treino dele na próxima semana, que vamos ver como ele vai se sentir. Se ainda sentir dores, vamos ter de intensificar o tratamento para ele se recuperar – afirmou o médico José Sanchez.

Além do Mito, essa intertemporada forçada do Tricolor servirá para outros jogadores adquirirem condições de jogo. Osvaldo, Aloísio e Ganso são alguns dos que estão em tratamento no Reffis.

Segundo Haroldo Lamounier, preparador de goleiros do clube, após as atividades no gramado, Rogério Ceni costumava ficar com o pé direito inchado. O trauma aconteceu porque o capitão chutou com força a sola da chuteira de Pato, no clássico com o Corinthians da primeira fase do Paulistão.

– O Rogério já está bem melhor do que antes e está recuperando bem. Mas com os movimentos bruscos realizados no gramado durante o treinamento, ainda pode sentir um pouco – declarou Haroldo.

Todo o trabalho é feito para o goleiro ficar 100% para o Brasileirão.

Recuperação do trauma no pé direito

– Trauma no pé
Diante do Corinthians, no dia 31/3, pelo Paulista, Ceni chocou-se com Pato, na área, e o juiz marcou pênalti. Após o duelo, o médico do clube, José Sanchez, disse que o atleta sequer conseguia colocar o pé direito no chão. Fez exames no mesmo dia, que detectaram um trauma no local.

– No sacrifício?
Contra o The Strongest (BOL), fora de casa, quatro dias depois, foi ausência nos treinos para se recuperar. Viajou com o elenco, fez tratamento no hotel e atuou. Até balançou as redes, com o pé direito, mas reclamou de dores.

– Período no Reffis
Após o confronto na Bolívia, Ceni ficou fora contra Botafogo, União Barbarense e XV de Piracicaba. Tratou-se no Reffis, até aos domingos, e se resguardou para encarar o Galo. Atuou e fez gol, com o pé direito.

– De olho nas decisões
Ceni ficou fora da última rodada no Paulistão e também fez tratamento.

– Sequência de jogos
Voltou contra o Penapolense e se manteve no time nos jogos diante do Galo, pelas oitavas da Libertadores, e contra o Corinthians, na semi do Estadual. Ceni fez poucas atividades no campo. Após as eliminações, ficou no Reffis e não treinou  no gramado.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*