Seguranças do São Paulo lamentam dúvidas por invasão: ‘Muito triste’

Conselheiros e pessoas ligadas à oposição do São Paulo, como o ex-CEO Alexandre Bourgeois, alegaram na tarde do último sábado que a entrada dos torcedores no CT da Barra Funda havia sido permitida pela atual diretoria. OLANCE!, então, ouviu seguranças da portaria do local, que relataram o drama vivido por quase uma hora.

– Como podem falar isso, rapaz? É um absurdo. Tinha polícia, um monte de segurança e passaram por cima de tudo, o portão está quebrado, é só ver. Eles chegam e invadem, não pensam que a gente pode perder emprego e a vida – lamentou um dos seguranças, anonimamente.

Outro funcionário do CT mostrou como o motor de um dos portões automáticos ficou depois de ser forçado pelos invasores, sem a rodinha e inutilizado. Um cone está sendo usado para que a folha não se mova com o vento e acerte os carros que entram e saem.

– Estamos aqui para isso, é nosso trabalho, né? É claro que faz parte, mas é muito triste saber que falam isso (que os seguranças foram orientados a deixar os torcedores entrarem). É só ver que o motor está quebrado, não é brincadeira – concluiu o segundo segurança.

Abrir o CT para a torcida tumultuar e depois vitimizar o elenco e a diretoria me parece mais uma manobra estratégica do Sr. Tabule. Triste!

Até o fechamento desta reportagem, Alexandre Bourgeois não havia atendido às ligações para explicar as denúncias sobre o São Paulo ter permitido a entrada dos torcedores no CT da Barra Funda. Outro que falou em “abrir o CT” foi Ruy Maurício Barbosa, ex-diretor de marketing do clube paulista, que também não atendeu às ligações.

Fonte: Lance

Um comentário em “Seguranças do São Paulo lamentam dúvidas por invasão: ‘Muito triste’

  1. Por ai ja mostram que são covardes, falam mas não assumem.
    Gente desse tipo é que estão acabando com o São Paulo FC, estamos nos nivelando por baixo.
    Como eu ja disse varias vezes o São Paulo FC tem que fazer uma limpeza geral, a começar pelo CD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*