São Paulo tem pior atuação do ano e é eliminado pelo Defensa y Justicia

Os jogadores do São Paulo passaram a semana prometendo títulos na temporada. O lateral-esquerdo Júnior, por exemplo, queria o Campeonato Brasileiro e a Copa Sul-Americana. Bruno, mais confiante, tinha certeza de uma taça. Cueva colocava ser campeão como seu grande sonho no Tricolor. Discursos que foram construídos nos últimos 17 dias, apenas de treinos, e que desmoronaram em 90 minutos na eliminação para o Defensa y Justicia (ARG) na noite desta quinta-feira, com empate em 1 a 1.

Era preciso vencer para chegar à segunda fase da Sul-Americana, depois de empate sem gols na Argentina. Os relatos sobre os treinamentos das duas últimas semanas empolgavam e o início dos tricolores respaldava tudo isso. Com 27 segundos, Pratto abriu o placar, mas viu a arbitragem acertar a marcação de impedimento. E não parecia necessitar preocupação, já que com cinco minutos o placar estava aberto de vez com golaço de Thiago Mendes.

Entraram, então, elementos decisivos para o vexame ser consumado. A displicência são-paulina, a garra dos argentinos e o inconformismo nas arquibancadas. O Defensa subiu a marcação, o ritmo e aos dez já tinha o jogo empatado graças a Castellani. Não fez mais porque por três vezes Renan Ribeiro evitou desastre ainda pior para uma equipe que deveria entregar muito, mas muito mais em campo. Do técnico ao ponta esquerda, literalmente.

Rogério Ceni bancou Neilton, que trabalhara bem no CT da Barra Funda. Perdeu todos os lances e saiu no intervalo. Lucão, outra aposta, falhou por displicência no gol argentino, quase fez gol contra e por pouco não deu ainda duas “assistências” para os rivais. Os atacantes, por mais que Pratto se matasse, não voltavam para recompor, principalmente Cueva, deixando o Defensa à vontade para tocar a bola. Aliás, o modestíssimo time argentino esteve à vontade para tudo.

Ganhou todas as divididas, pegou todos os rebotes e viu sua torcida encher a área dos visitantes em quantidade e qualidade na festa. Rogério Ceni tentou deixar o time mais ofensivo, como deveria ter feito desde o início, mas ao tirar Bruno e lançar Luiz Araújo acabou perdendo sua única arma em bom funcionamento: Thiago Mendes preso na lateral direita tornou-se mais um.

Eliminado do Paulistão pelo Corinthians e da Copa do Brasil pelo Cruzeiro, o São Paulo agora só tem mais uma chance de cumprir a promessa de título feita nessa semana. O Campeonato Brasileiro, e somente ele até dezembro, começa no domingo, contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte. As esperanças, porém, já estão no fim.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 1 DEFENSA y JUSTICIA-ARG
Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data-Hora: 11/5/2017 – 21h45
Árbitro: Ulisses Merelles (PAR)
Auxiliares: Roberto Cañete (PAR) e Dario Gaona (PAR)
Público/renda: 14.999 pagantes/R$ 346.827,00
Cartões amarelos: Júnior Tavares e Lucão (SAO), Cardona (DEF)
Cartões vermelhos: Barboza, aos 48’/2ºT (2º Amarelo)
Gols: Thiago Mendes (5’/1ºT) (1-0), Castellani (10’/1ºT) (1-1)

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Bruno (Luiz Araújo, aos 17’/2ºT), Lucão, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; Jucilei, João Schmidt e Thiago Mendes; Cueva (Thomaz, aos 31’/2ºT), Neilton (Gilberto, no intervalo) e Pratto. Técnico: Rogério Ceni.

DEFENSA y JUSTICIA: Arias; Barboza, Bareiro e Cardona; Rivero, Delgado, Castellani (Elizari, aos 16’/2ºT), Miranda e Jonas Gutiérrez; Bouzat (Kaprof, aos 34’/2ºT) e Ríos (Fredes, aos 30’/2ºT). Técnico: Sebastián Beccacece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*