São Paulo se prepara para janela de transferências

A diretoria do São Paulo tem se preparado para enfrentar a próxima janela de transferências internacionais. O mercado de países como Espanha e Itália abre em julho, enquanto Inglaterra e França iniciam em junho. A expectativa é de perder jogadores.

O Tricolor acredita que os principais alvos estão no setor defensivo. Além de Éder Militão, que tem contrato até janeiro de 2019 e está com renovação emperrada, Rodrigo Caio e Arboleda podem receber propostas.

O mais provável é que Rodrigo Caio deixe o Tricolor se receber uma oferta vantajosa. Mas Arboleda é prioridade para permanecer. O zagueiro está em alta e recentemente renovou contrato até 2022.

Elenco do São Paulo sofrerá mudanças para o segundo semestre (Foto:  Érico Leonan / saopaulofc.net)

Elenco do São Paulo sofrerá mudanças para o segundo semestre (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

O São Paulo acredita ter no elenco atual os jogadores que seriam as peças de reposição. Principalmente por ter promovido atletas da base ao profissional.

Para o lugar de Cueva, que pode nem voltar a disputar uma partida pelo São Paulo depois da Copa do Mundo, a diretoria vê boas opções no elenco, como Lucas Fernandes e Shaylon, além do titular Nenê.

Revelados na base, Shaylon e Lucas Fernandes estão em busca de espaço com Diego Aguirre. Shaylon, inclusive, teve a saída vetada pelo treinador uruguaio. Seu nome esteve em pauta durante conversas com o Atlético-PR, mas a possibilidade não existe mais.

Leco e Raí no CT do São Paulo (Foto: Maurício Rummens / Estadão Conteúdo)

Leco e Raí no CT do São Paulo (Foto: Maurício Rummens / Estadão Conteúdo)

Aquela máxima de que não existe elenco fechado tem sido considerada pelo São Paulo, mas a intenção é não gastar mais dinheiro – foram investidos até aqui, em 2018, quase R$ 50 milhões em reforços. Exceções serão abertas em caso de oportunidades de mercado.

Fonte: Globo Esporte

8 comentários em “São Paulo se prepara para janela de transferências

  1. Debandada tricolor? Podem levar quase todos. Alguns de graça é caro. Péssimo futebol eu tenho visto na TV. São a alegria dos cu rintianos e porcos.

  2. A mágica do tricampeonato era planejamento!!!

    Já precisa começar a contratar pensando no futuro. Assinar pré contrato para jogador chegar no começo do ano que vem, buscar revelações e jogadores com vontade de ganhar títulos pelo sp

  3. O problema principal em promover os jovens valores é a impaciência da torcida por falta de títulos. Jogadores mais tarimbados comprados pelo clube sofrem menos do que os jovens, que nos primeiros erros já são classificados como medianos e descartáveis.
    Exemplo clássico é o de Raí que chegou ao clube com certa experiência por ter passado por Ponte Preta e Botafogo/SP e mesmo assim precisou de tempo para evoluir e se firmar. Outros exemplos são Hernanes e Jean que também foram revelados pelo clube e estiveram em vias de serem dispensados.

      • Hernanes, só retornou por imposição do JJ e insistência do MAC, porque pelo Muricy ele teria emprestado o Hernanes Ad aeternum ao Santo André.
        Aliás, como disse o colega, Hernanes estava mais para ser dispensado do que ser integrado.
        Muricy nunca foi fã de jogar com a base, quando o fez foi em último caso, ou por pressão da diretoria.
        Tanto que a imposição do JJ para ter Hernanes no elenco foi porque na Libertadores de 2007 o SP foi desclassificado na oitavas contra o Grêmio, com Souza improvisado de médio volante (Mineiro tinha saído no final de 2006) e Muricy não tinha inscrito Hernanes porque não tinha intenção de aproveitá-lo.

    • Mais recente, no início o Lucas sofreu com a pressão também. Depois de subir bem com o Baresi, passou por uma fase ruim com o Leão, e só voltou a jogar bem com o Ney Franco.
      Casemiro não aguentou a pressão e seu futebol sumiu, e acabou sendo negociado.

      Curioso que hoje ele é titular da seleção…

      A torcida precisa entender que o jovem jogador não é cascudo como um veterano e se quer colocar pressão não pode colocar em um garoto.

      • Casemiro não aguentou pressão?
        Casemiro não aguentava eram baladas toda noite e ter que treinar e jogar no dia seguinte. Esse era o problema. Fazia parte do famoso grupinho do “pagodejo” no SP, uma noite de pagode outra de sertanejo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*