São Paulo repete o placar de Salvador e avança na Sul-Americana

Após um sonolento primeiro tempo, o São Paulo despertou na etapa final, derrotou o Bahia por 2 a 0, nesta terça-feira, no Morumbi, e está classificado para a fase de oitavas de final da Copa Sul-Americana.

Transformando “a água em vinho”, o Tricolor paulista deixou a má atuação dos primeiros 45 minutos no intervalo e voltou com um futebol vistoso. Com gols de Willian José e Maicon, a equipe está garantida na próxima etapa da competição e ainda mantém viva a alternativa de ir à Libertadores pelo caminho mais curto. Já o Bahia, que está na zona de rebaixamento do Brasileiro, só tem o torneio nacional ao longo do ano.

 

Etapa inicial sonolenta

Com a vantagem conquistada no primeiro jogo, o São Paulo esperou as ações ofensivas do Bahia. Sem o lateral Douglas, machucado, o técnico Ney Franco optou por escalar a equipe no 4-4-2, com Paulo Miranda pela direita. Já o Tricolor baiano, que necessitava reverter o resultado, atuou somente com o Fahel de volante, três homens no meio e só o Junior na frente. E a opção tática surtiu efeito.

O meia Mancini arriscou chutes de longe distância, saindo do lado direito e partindo em direção ao meio. Contudo, a melhor chance do Bahia saiu dos pés de Lulinha. Caindo pelas costas de Paulo Miranda, o camisa 21 aproveitou a bobeira de Maicon e emendou de direita no canto esquerdo de Ceni. A bola passou rente à trave, mas saiu pela linha de fundo.

O time paulista não conseguia chegar com qualidade na frente. Com dois atacantes flutuantes, Lucas e Ademilson, a zaga baiana conseguia jogar mais adiantada e não se preocupar com o miolo da defesa. Para ajudar nesse defeito, Cícero apareceu mais por ali. E foi dele as duas melhores chances. A primeira, aos 16 minutos, ele chutou com força da entrada da área, obrigando Marcelo Lomba a fazer uma grande defesa. Já no final do primeiro tempo, ele recebeu bom passe da esquerda e, frente a frente com o gol, não conseguiu o domínio, perdendo boa chance.

Monótono, o primeiro tempo terminou sem acréscimos.

Tricolor paulista acorda e joga bem

Na etapa final, as duas equipes mexeram. No Bahia, Vander entrou na vaga de Gabriel, ao passo que Osvaldo deixou Ademilson no vestiário. E a troca no Sampa surtiu efeito. Com Osvaldo bastante incisivo, o time se soltou mais. O atleta deu uma maior mobilidade ao ataque. Cícero arriscou chute de longe, enquanto que Maicon aparecia como homem-supresa na área. A proposta perdurou durante seis minutos.

O Bahia novamente ditou as jogadas ofensivas, mas parou nas deficiências técnicas de seus atletas. Os chutes de longa distância não saíam com a direção correta, acarrentando pouco trabalho para Rogério Ceni.

O técnico Ney Franco, então, para reter mais a bola no ataque, escalou Willian José no lugar de Jadson, que deixou o campo sob vaias da torcida. E a alteração foi imediata. Oito minutos em campo, o artilheiro pegou uma bola da intermediária, limpou o zagueiro e emendou de longe, acertando o ângulo direito de Lomba. Golaço do camisa 19.

O tento animou o Tricolor paulista, desconcertando o seu rival. O Bahia, que necessitava de três gols para avançar, adiantou ainda mais a equipe, deixando espaço pelos lados do cantos. E, em uma dessas jogadas, Osvaldo levou pela direita, tirou Diones da jogada e achou Maicon na área. O meia chutou, a bola desviou na zaga, enganou Lomba e morreu no fundo da rede.

Com o agregado de 4 a 0, o São Paulo ficou solto em campo. Paulo Miranda, que atuou improvisado pelo lado direito, quase marcou um gol de cobertura na sua ex-equipe. Aquela equipe com o futebol pragmático e monótono da primeira etapa deu lugar a um time mais rápido, agressivo e mais aprazível de se ver em campo.

Osvaldo ainda teve tempo de perder um gol cara a cara com Lomba. Tentando um lance de efeito, o atacante deu uma letra. Lomba se esticou todo e conseguiu bloquear outro gol.

Classificado, o São Paulo aguarda o confronto entre Nacional (URU) e Liga de Loja (EQU) para saber quem será o seu adversário nas oitavas de final. O primeiro confronto acontece na cidade de Loja, no próximo dia 28. Já a partida de volta ainda não tem data definida. Com isso, o Tricolor volta as atenções para o Brasileiro, cujo próximo jogo é diante do Corinthians, no Pacaembu, às 16h do próximo domingo. O Bahia, que encabeça a zona de rebaixamento, recebe o Atlético-GO, no mesmo dia, às 18h30.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO  2 X 0 BAHIA

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 21/8/2012 – 21h15 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-DF)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Carlos Berkenbrock (Fifa-SC)
Renda/Público: R$ 193.586/10.097 pagantes
Cartões Amarelos: Rafael Toloi; Lulinha
Cartões Vermelhos: –
GOLS: Willian José, aos 19’/2ºT (1-0) e Maicon, aos 24’/2ºT (2-0)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi (Edson Silva, 25’/2ºT), Rhodolfo e Cortez; Denilson, Maicon, Cícero e Jadson (Willian José, 11’2ºT); Lucas e Ademilson (Osvaldo, intervalo). Técnico: Ney Franco.

BAHIA: Marcelo Lomba; Diones, Titi, Danny Morais e Victor Lemos; Fahel, Mancini, Gabriel (Vander, intervalo), Lulinha e Zé Roberto; Junior (Ciro, 6’2ºT). Técnico: Caio Junior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*