São Paulo reduz valor, mas terá de pagar R$ 2,7 mi a Orlando City por Kaká

O São Paulo foi condenado na Justiça e terá de pagar R$ 2,7 milhões ao Orlando City referentes ao empréstimo de Kaká em 2014. A decisão, embora condenatória, não chega a ser uma derrota para o clube Morumbi: os americanos pediam na ação cerca de R$ 14 milhões, e chegaram até a tentar um acordo como moeda de troca pra contratar Paulo Henrique Ganso – foi recusado.

O Orlando cobrava o valor de R$ 1,74 milhão, referente a 20% do aumento nas bilheterias do São Paulo das partidas como mandante que tiveram a participação de Kaká, mas ainda pedia uma multa diária de 10 mil dólares, referentes a mais de 365 dias. A alegação era de que o clube brasileiro teria atrasado a prestação de contas; as multas totalizariam mais de R$ 12 milhões. O clube dos EUA chegou a oferecer “trocar” o perdão dessa dívida por uma eventual contratação de Ganso, oferta recusada.

Na decisão, o juiz Rogério de Castro Sampaio considerou o valor abusivo. Na decisão, afirma ser absurdo que a obrigação acessória (multa), que tem o objetivo de forçar o pagamento da dívida, seja maior do que a obrigação principal, a própria divida.

Com isso, o magistrado ajustou a cobrança para 29 dias – o valor chega, então, a pouco mais de 900 mil reais, valor inferior à dívida de R$ 1,7 milhão, e que eleva o total para pouco menos de R$ 2,7 milhões.

Procurado pela reportagem, o São Paulo afirmou, através de seu departamento de comunicação, que foi notificado e irá recorrer da decisão.

Internamente, pessoas ligadas à diretoria são-paulina iniciaram uma apuração para descobrir se houve algum erro administrativo na época do contrato, ainda na gestão do ex-presidente Carlos Miguel Aidar.

Em sua segunda passagem pelo São Paulo, Kaká atuou em 24 partidas, marcando três gols.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*