São Paulo promete festa sem muita pompa para Ganso

Durante toda a última semana, o torcedor do São Paulo acompanhou com apreensão a novela Paulo Henrique Ganso. Com o meia contratado, o clube volta a priorizar o Campeonato Brasileiro e promete uma festa de apresentação sem tanta pompa para o seu novo camisa 8.

Neste domingo, às16h, o São Paulo recebe o Cruzeiro e pode, dependendo dos resultados, encostar na zona de classificação para a Copa Libertadores. Se vencer e contar com uma derrota do Vasco, que está em crise e visita a Ponte Preta, o clube tricolor vai aos 42 pontos, contra 43 do time cruzmaltino.

Em campo, Ney Franco deve contar com força máxima, apesar das dores que Luís Fabiano acusou ao voltar da seleção brasileira. O treinador teve uma semana inteira para trabalhar com o elenco (exceção feita a Luís Fabiano e Lucas, que estavam na seleção) e ficou longe dos holofotes da imprensa, que se concentrou no caso Ganso.

Só que o meia, que já se integrou ao elenco e iniciou as sessões de fisioterapia, não deve mais roubar tanta atenção do time. Ao contrário do que se poderia esperar, ele não vai ter uma apresentação como a de Luís Fabiano, que chegou ao clube em um evento só para ele no Morumbi, com direito a show de luzes e a presença de Rogério Ceni.

Neste domingo, a programação começa com uma entrevista coletiva de Paulo Henrique Ganso, que vai ao gramado do Morumbi por volta das 15h. Desde sábado o São Paulo já faz a pré-venda da camisa 8 em seu site oficial. Segundo Julio Casares, vice de comunicação e marketing do clube, a Reebok teve de limpar seu estoque para atender à demanda, e a diretoria espera bons números de público e de venda na megaloja do estádio.

A dúvida agora gira em torno do tempo que levará para que a mesma camisa seja vista em campo. Ganso tem uma lesão na coxa esquerda desde o fim de agosto. A diretoria chegou a prever um retorno em 15 dias, mas os exames mostraram um problema maior.

Rene Abdalla, médico que acompanhou Ganso nas avaliações, disse ao diário Lance! que o meia pode voltar só em dois meses, porque tem ainda uma deficiência muscular. José Sanchez, também médico do São Paulo, foi mais cauteloso na projeção.

“Temos de esperar a evolução. Não vamos falar em tempo, pois este tipo de recuperação é no dia a dia, semana a semana. Se tudo ocorrer bem, a gente espera que brevemente ele tenha condições de participar dos treinos com os demais atletas”, disse Sanchez.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*