São Paulo mantém marca de sempre valorizar a base nos pontos corridos

O São Paulo é um clube com identidade. No último sábado, em mais uma estreia no Brasileirão, o Tricolor começou a partida diante do Botafogo com dois jogadores revelados em sua base: Antony e Igor Gomes. Desta forma, a equipe do Morumbi manteve a escrita de sempre ter iniciado o principal torneio com país com pelo menos um prata da casa entre os titulares.

Desde 2003, quando a CBF alterou a forma de disputa e padronizou o modelo da Série A do Campeonato Brasileiro, o São Paulo sempre demonstrou valorizar sua categoria de base. É bem verdade que o fato de ter o goleiro Rogério Ceni por tantos anos em seu elenco contribuiu para a marca. Apesar disso, vários nomes da base ajudaram a construir esta história do Tricolor na Série A.

Tricampeão em sequência (2006, 2007 e 2008) e um dos quatro clubes que nunca foram rebaixados no Brasileirão,  ao lado de Cruzeiro, Flamengo e Santos, o Tricolor tem jogadores de peso internacional em sua lista de estreias: Casemiro, Lucas Moura, Júlio Baptista, Denílson e até mesmo o Profeta Hernanes, um dos líderes do atual elenco.

No último sábado, contra o Botafogo, o técnico Cuca colocou o atacante Antony e o meio-campista Igor Gomes entre os titulares. No decorrer da partida, o atacante Toró fez sua estreia como profissional e sua atuação agradou os torcedores que estavam no Morumbi. Vale lembrar que o atual elenco ainda conta com nomes como Luan, Liziero, Helinho, Rodrigo, Walce e Brenner – todos com condições de brigarem por uma vaga no time.

No São Paulo, a base segue sendo prioridade e é vista como o principal ativo do clube, que investe mais de R$ 20 milhões anuais no CT de Cotia para continuar revelando jovens jogadores e manter sua identidade. O Tricolor se vê forte para disputar o Brasileirão e, muito desta ambição, está por conta do talento de seus pratas da casa. 

Confira os nomes da base que iniciaram o Brasileirão pelo Tricolor:

2019 – Igor Gomes e Antony
2018 – Rodrigo Caio, Éder Militão, Lucas Fernandes e Brenner
2017 – Rodrigo Caio, Júnior Tavares, Éder Militão e João Schmidt
2016 – Auro, Lyanco, Lucão, Banguelê e Lucas Fernandes
2015 – Rogério Ceni, Rodrigo Caio, Lucão e Boschilia
2014 – Rogério Ceni, Rodrigo Caio e Boschilia
2013 – Denílson e Rodrigo Caio
2012 – Lucas Moura, Denílson e Casemiro
2011 – Rogério Ceni, Lucas Moura, Wellington e Casemiro
2010 – Rogério Ceni, Jean e Wellington
2009 – Hernanes
2008 – Rogério Ceni
2007 – Rogério Ceni e Hernanes
2006 – Rogério Ceni
2005 – Rogério Ceni, Edcarlos e Diego Tardelli
2004 – Rogério Ceni, Fábio Santos e Fabio Simplício
2003 – Rogério Ceni, Gabriel, Jean, Fabio Simplício, Júlio Baptista e Marco Antônio

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.