São Paulo mantém espinha dorsal para a disputa do Brasileirão

O São Paulo promete grandes reformulações nessa parada para a Copa América, mas podemos dizer que uma ‘espinha dorsal’ do clube está mantida, pelo menos no Brasileirão, caso nenhum dos jogadores saia para o futebol internacional.

O goleiro Tiago Volpi, o zagueiro Bruno Alves, o lateral esquerdo Reinaldo, os meias Hernanes, Hudson e Tchê Tchê e os atacantes Toró e Pato, já realizaram mais de sete partidas com o São Paulo no Brasileirão e não podem mais atuar na competição por outra equipe. Essa situação dificulta muito a saída desses atletas para o futebol nacional, fortalecendo ainda mais a importância desses jogadores para o Tricolor.

Desses seis jogadores, Volpi e Bruno Alves foram quem mais entraram em campo nesta temporada. O goleiro, que veio do Querétaro (MEX) no começo deste ano, participou de 30 partidas do Tricolor na temporada. Já o zagueiro, que está no clube desde agosto de 2017, vindo do Figueirense, realizou 28 partidas no ano.

Vale destacar a situação de Reinaldo e Hudson, dois jogadores muito criticados pela torcida, que já realizaram nove partidas pelo Tricolor no torneio. O lateral esquerdo é criticado pela torcida pela falta de pontaria nos cruzamentos e o temperamento esquentado dentro de campo. Já o volante é contestado pela passividade dentro de campo e sucessivos erros defensivos. Ele costuma ser o capitão do São Paulo.

Tchê Tchê chegou como homem de confiança de Cuca, que já havia treinado o jogador no Palmeiras em 2016. O polivalente atleta, que pode jogar de volante ou lateral, tem a confiança do treinador, que desde que chegou, não tirou Tchê Tchê do time titular. Toró, jovem aposta da base, vem agradando o treinador e ganhou a vaga de titular da equipe paulista.

Hernanes e Alexandre Pato podem ser considerados os únicos dessa lista como ‘intocáveis’ para a torcida são-paulina. Os dois são os vice-artilheiros da equipe no ano, com três gols cada. O meia chegou no começo desta temporada como principal jogador do time no ano, mas demorou para entrar em forma. Com uma preparação física diferenciada, vem jogando aos poucos.

Alexandre Pato chegou com muita expectativa e começou bem. Em dez jogos, sendo nove como titular, Pato se movimentou, puxou a marcação e deixou a sua marca como um jogador importante para o São Paulo, convencendo Cuca, que era contrário a sua contratação.

 

Fonte: Lance

2 comentários em “São Paulo mantém espinha dorsal para a disputa do Brasileirão

  1. “Hernanes e Alexandre Pato podem ser considerados os únicos dessa lista como ‘intocáveis’ para a torcida são-paulina. Os dois são os vice-artilheiros da equipe no ano, com três gols cada.”
    Estamos no final do 1º semestre e estes são os vice-artilheiros. O Pablo deve ser o artilheiro. O Pablo se contundiu, o Pato chegou há pouco tempo e o Hernanes demorou a entrar em forma. Mas é muito pouco para um clube grande ( sera´? ) com um elenco de mais de trinta jogadores. Algumas vezes, um único jogador chega a fazer três gols em uma partida.

  2. Espinha dorsal, os caras não jogam recebendo, imagine agora que veio a tona direito de imagem atrasada, sei não se continuar assim esse ano quebra a escrita, serie B na certa,.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.