São Paulo estuda instalar câmera em local de confusão com o Tigre

O São Paulo estuda a ideia de instalar uma câmera de monitoramento no corredor que liga os dois vestiários do estádio do Morumbi. Após a confusão entre seguranças do clube e jogadores do Tigre, da Argentina, a diretoria levantou a possibilidade e deve colocar o plano em prática. O local não possui vigilância porque é uma área privativa para os jogadores.

Hoje, o Morumbi é monitorado por câmeras em praticamente todas as áreas comuns, inibindo a ação de vândalos e torcedores mais exaltados. O corredor de ligação entre os vestiários tem cerca de 40 metros de extensão e é estreito. De acordo com jogadores do Tigre, os seguranças teriam encurralado a delegação argentina e ameaçado até com uma arma de fogo. O Boletim de Ocorrência registrado na sede do DECRADI (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância) não tem essa informação.

O Tricolor contesta a versão e diz que os rivais buscaram a confusão porque queriam melar a partida. Diante da gravidade dos fatos, o clube busca a solução para aplicar um monitoramento da região, mesmo acreditando que a briga da última quarta-feira foi um fato isolado.

– Temos mais de 80 câmeras espalhadas pelo Morumbi, monitoramento completo. Mas, com isso, talvez sejamos obrigados a colocar uma câmera ali, não há problema algum. Vamos ver esta possibilidade. Nunca houve algo assim nesses anos todos do nosso estádio, e dificilmente vai acontecer de novo – afirmou José Francisco Manssur, assessor da presidência do São Paulo.

O único vídeo que registra a briga tem quatro minutos de duração e foi feito pelo goleiro reserva do Tigre, Agustín Cousillas. No entanto, as imagens não foram divulgadas e estão em poder da AFA (Associação de Futebol da Argentina). O clube argentino vai pedir à Conmebol a impugnação da partida, já que julga ter provas suficientes para incriminar os são-paulinos. O Tricolor rebate e vai enviar um ofício com sua versão dos fatos.

A Confederação Sul-Americana apura os fatos para aplicar as sanções previstas no regulamento da competição, que é baseado no da Taça Libertadores. Uma reunião do Comitê Executivo da entidade, na próxima quinta-feira (20), deve definir as possíveis punições aos clubes. Todas as decisões são centralizadas no presidente Nicolas Leoz, no vice Eugenio Figueredo e nos diretores representantes dos países integrantes do órgão. O representante brasileiro é Marco Polo Del Nero, vice da CBF.

A Conmebol, porém, já declarou o São Paulo campeão – o presidente Nicolas Leoz entregou a taça pessoalmente aos tricolores. O porta-voz do órgão, Nestor Benítez, avisou que as reclamações de Tricolor e Tigre serão analisadas.

– Muito triste o que se passou no Morumbi, e o papel da Conmebol é investigar todos os acontecimentos e aplicar as punições necessárias. Os dois clubes podem se manifestar, e a entidade vai analisar cuidadosamente as reclamações – disse.

O São Paulo não teme qualquer sanção em relação à briga entre os seguranças tricolores e os jogadores do Tigre. Com total convicção de que foram os argentinos que iniciaram a confusão, o clube paulista apenas se preocupa com uma possível punição pela invasão de torcedores no gramado do Morumbi.

Como o jogo acabou antes do previsto, o Tricolor não conseguiu organizar um cordão de seguranças que iria formar 15 minutos antes do término do duelo. Sem esse isolamento, ficou fácil para os torcedores pularem pelo fosso e invadirem o gramado.

Fonte: Globo Esporte

2 comentários em “São Paulo estuda instalar câmera em local de confusão com o Tigre

  1. O jornalismo investigativo morreu e foi enterrado numa cova bem funda.
    Estamos numa era de incompetentes jornalistas, principalmente do UOL e da ESPN, que só sabem sentar a bunda em suas cadeiras e escrever o que eles acham, de acordo com a conveniência de suas paixões clubísticas ou então do interesse escuso de terceiros.
    Li e ouvi muita bobagem até agora nesse episódio, mas nenhuma reportagem séria e investigativa que tentasse realmente apurar o fatos.
    Ninguém fala nada que desde dos 2 x 0 o banco do time de merda da argentina, estava querendo brigar com os gandulas do Morumbi. Eles estavam procurando um motivo para para tumultuar e que tudo estava com cara de premeditação. Para se ter uma dimensão dos absurdos, quem assistiu pela TV ouviu que o técnico deles no fim do primeiro tempo acusava Rogério Ceni de agressão no meio de confusão. Justo Rogério Ceni? Esse episódio foi convenientemente esquecido.
    Agora, TODOS os jornalistas falam de uma suposta filmagem que foi feita por um jogador argentino. Ora, será que ninguém tem a capacidade de questionar o porquê de um jogador ter um celular naquela hora? Ele teve tempo naquela confusão para pegar um celular para gravar? Ah, ele estava com ele? Jogadores de futebol, mesmo sendo reservas, levam celulares para o gramado? Estranho e mais estranho ainda, que ninguém questiona isso em público.

    • Régis, concordo integralmente com você, mas sou obrigado a dizer que, parte da culpa desta “falta” de investigação da imprensa é do próprio São Paulo. A diretoria fechou completamente a questão e, ainda que seja para beneficiar o clube e mostrar que os argentinos só quiseram tumultuar o tempo todo, nosso trabalho é impedido. Então repito o que você disse: eles procuraram arrumar encrenca o tempo todo, pois são um time pior do que de várzea. Mas nossa diretoria também se supera em algumas atitudes protecionistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*