São Paulo empata na Venezuela e está quase fora da Libertadores

O São Paulo jogou mal, viu Ganso perder um pênalti e ficou apenas no empate por 1 a 1 com o Trujillanos, da Venezuela, que complica muito a vida do clube na Copa Libertadores da América. Os comandados de Edgardo Bauza saíram atrás do placar, com gol marcado por Rojas, de cabeça, enquanto Paulo Henrique Ganso marcou o tento de empate.

Com o resultado, as chances de classificação são-paulina no Grupo 1 tornam-se bastante escassas, como o próprio zagueiro Diego Lugano, que afirmou antes do embate que “qualquer decisão perdida seria eliminação”. O Tricolor soma apenas dois pontos, ficando cinco atrás do Strongest, líder da disputa, e três atrás do River Plate.

O clube agora faz uma pausa de três semanas no torneio continental antes de receber os próprios venezuelanos, em embate marcado para o dia 5 de abril, já no estádio do Morumbi. Antes, neste domingo, às 16h (de Brasília), encara o Ituano, no estádio Novelli Júnior, pelo Campeonato Paulista, no qual corre risco de não passar às quartas de final.

O jogo – O São Paulo começou o jogo demonstrando todo o nervosismo que ronda a equipe nesta semana decisiva. Errando passes bobos na saída de bola e dando espaços para os donos da casa, os são-paulinos quase foram vazados logo de cara por Cabezas, mas o centroavante venezuelano não conseguiu concluir bem as oportunidades.

Do outro lado, Thiago Mendes foi o atleta que mais demonstrou vontade, saindo bastante para o jogo e vendo cair no seu pé direito a chance de abrir o placar, mas mandando para fora em lance frente a frente com o goleiro. Mesmo com a oportunidade, porém, os tricolores seguiram sem conseguir impor sua superioridade técnica.

Para piorar, os espaços dados ao adversário conseguiram dar ao adversário a vantagem mínima. Em uma rara descida pelo lado direito, Granados teve muito espaço para pensar, olhar e cruzar na altura da marca do pênalti. Lugano tentu atrapalhar, mas foi facilmente superado por Rojas, que subiu mais alto e cabeceou no canto direito, sem chances para Denis.

Assustados com o golpe, os visitantes passaram a jogar mais bola e logo conseguiram o empate. Bastante ofensivo, o Trujillanos também deu espaço para os são-paulinos circundarem a área até Thiago Mendes cruzar para Paulo Henrique Ganso. Livre na entrada da área, o camisa 10 bateu firme, rasteiro, vencendo o goleiro e levando para o intervalo ao menos um empate.

Na volta para o segundo tempo, os tricolores já sabiam ser muito melhores que o adversário, mas seguiram se entregando facilmente à marcação, sem adiantar suas linhas e pressionar a fraca saída de bola do adversário. Enquanto isso, o canhoto Sosa chamava o jogo para si e buscava alguns lances, mesmo parecendo uma “ilha” de criatividade entre os venezuelanos.

Ganso, a “ilha” pelo lado brasileiro, voltou a ter um de seus lampejos ao achar Carlinhos em meio à defesa adversária. O tricolor ganhou a frente do lateral Granados e caiu, covencendo o juiz de que sofrera pênalti. Nome mais ativo da equipe, o armador pediu a bola e bateu, mas acabou mandando a redonda no travessão.

Depois, o duelo parecia dividida em ataque de um contra defesa de outro, sem participação do meio-campo. Antes do final, cada time teve uma chance claríssima de marcar: Cabezas, dos anfitriões, entrou livre na área e mandou para fora, enquanto Ganso e Rogério, ambos com a bola dominada, não conseguiram passar do bloqueio dos venezuelanos.

FICHA TÉCNICA
TRUJILLANOS-VEN 1 x 1 SÃO PAULO

Local: estádio José Alberto Perez, em Valera (Venezuela)
Data: 16 de março de 2016, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilson Lamouroux (Colômbia)
Assistentes: Alexander Leon e Dionisio Ruiz (ambos da Colômbia)
Cartões amarelos: Paez, Cova e Cabezas (Trujillanos); Rodrigo Caio, Caramelo e Carlinhos (São Paulo)
Gols:
TRUJILLANOS: Rojas, aos 36 minutos do primeiro tempo
SÃO PAULO: Ganso, aos 38 minutos do primeiro tempo

TRUJILLANOS-VEN: Pérez; Granados, Cuevas, Erazo e Paez; Sosa (González), Osorio, Cova, Cabezas e Nieves (Britos); Rojas (Vivas)
Técnico: Horacio Matuszyczk

SÃO PAULO: Denis; Bruno (Caramelo), Lugano, Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes, Centurión (Rogério), Ganso e Carlinhos (Kelvin); Alan Kardec
Técnico: Edgardo Bauza

Um comentário em “São Paulo empata na Venezuela e está quase fora da Libertadores

  1. Com certeza o time mais nojento da historia do spfc !! Que raiva eu aqui passando nervoso e esses merdas andando em campo olha , vou falar uma coisa problema nao e tecnico somente nao e um monte de jogadores estou com medo de rebaixamento no brasileirao!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*