São Paulo cria regras contra atraso e para fortalecer grupo até em refeições

Se o treino do São Paulo estiver marcado para às 9h30, como nos últimos dois dias, o horário de chegada ao CT da Barra Funda é 8h30. Sempre uma hora antes: 30 minutos para serem apresentados à atividade do dia, e outros 30 para reforço muscular.

Cada minuto custa 100 reais ao bolso do atrasadinho. Esse é um dos itens de um manual disciplinar da comissão técnica. Rogério Ceni e seus auxiliares tentam que o companheirismo seja a marca de suas relações com os jogadores, mas também há cobranças como contrapartidas.

A partir de agora, sempre que o clube estiver fora da cidade, a refeição não começa enquanto todos não estiverem presentes. A comissão técnica acredita que estimula o grupo a ter compromisso com seus companheiros. E há apenas uma mesa, enorme, onde todos comem.

Será assim, por exemplo, em Londrina, onde a equipe enfrentará o PSTC na próxima quarta-feira, pela Copa do Brasil.

As refeições também viraram um ponto de encontro mais frequente no CT. Quando o treino é de manhã, os jogadores almoçam juntos. Se as atividades são feitas à tarde, é no jantar que se reúnem. Rogério Ceni acredita que o entrosamento fora de campo pode ser um fator de desequilíbrio a favor do São Paulo na temporada.

– Eu só posso agradecer todo o empenho e a dedicação de todos. Não tenho um A para falar de qualquer jogador – afirmou o treinador.

Chegar uma hora antes do início do treino tem uma explicação: a rotina de atividades com essa comissão técnica mudou. Os antes chamados “treinos físicos” não existem mais. Diariamente, meia hora antes da hora marcada para o treino, o grupo todo tem de estar no Reffis, e então são aplicados exercícios específicos a cada um, personalizados. Em campo, praticamente só bola.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*