São Paulo aposta em tecnologia e tem ajuda de tripé para bater The Strongest

Um novo elemento tem chamado atenção nos treinos do São Paulo no CT da Barra Funda. Não é nenhum reforço tampouco um garoto promovido das categorias de base. Trata-se de um tripé, auxílio ao trabalho da comissão técnica e do departamento de análise de desempenho.

O equipamento custou cerca de 5 mil dólares (R$ 18 mil) tem alcance entre 9,5 e 10 metros de altura. Uma câmera presa à sua extremidade capta imagens de todos os treinos da equipe. Elas são arquivadas e utilizadas para análises.

Na última terça-feira, por exemplo, o tripé foi “espectador” da atividade comandada por Edgardo Bauza para aprimorar seu sistema defensivo em preparação para o jogo diante do The Strongest, quinta-feira, em La Paz. Além de uma câmera tradicional, outra de alcance mais aberto auxiliou no trabalho. Como o treino foi realizado em metade do campo, o responsável pela captação das imagens, Romildo Lopes, nem precisou erguer o tripé em sua altura máxima.

A intenção de Bauza era preencher o meio-campo para travar a criação ofensiva do rival. Tudo feito com muita sincronia entre as linhas defensiva e de meio-campo. A saída de bola dos titulares tinha que ser rápida e pelas laterais. Com as imagens aéreas, além de poder constatar o êxito da movimentação, a comissão técnica consegue detectar se o jogador que não está participando diretamente da disputa de bola está fazendo a movimentação correta, ou parado.

tripé câmera treino São Paulo (Foto: Érico Leonan/www.saopaulofc.net)Romildo posiciona câmera antes do treino de Bauza (Foto: Érico Leonan/www.saopaulofc.net)

– As imagens ficam à disposição do Bauza. Se ele quiser rever determinada movimentação tática, se atingiu o objetivo, pode mostrar para o atleta individual ou coletivamente para corrigir alguma coisa. Será usado com muita frequência, em todos os treinos que acharem conveniente – explicou o diretor executivo de futebol Gustavo Vieira de Oliveira.

Antes, o São Paulo só conseguia ter imagens mais abertas quando treinava no Campo 1 do CT, pois usava a pequena arquibancada ao lado para filmar. Ainda assim, com mais limitações.

Nesta quarta, em atividade fechada, Bauza deverá recorrer novamente ao auxílio tecnológico para definir a equipe que entrará em campo contra o The Strongest. O São Paulo precisa de uma vitória ou um empate para conseguir a classificação na Libertadores.

A tecnologia é uma tendência no São Paulo. Uma obsessão dessa diretoria, que finalmente tem conseguido reaproximar o departamento de futebol, pelo menos em termos de aparelhamento, dos mais modernos do país.

Além do tripé, a comissão técnica tem usado o SportsCode, software que a alimenta de estatísticas em tempo real durante os jogos. Placas de vídeo para associar esses números a imagens foram adquiridas recentemente. Ainda nem chegaram.

Edgardo Bauza Thiago Mendes São Paulo (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)Edgardo Bauza orienta marcação do time próximo a Thiago Mendes (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

– Poderemos ver qualitativamente as iniciativas de cada item. Se eu quiser ver todas as finalizações, os princípios de contra-ataque, as transições. É mais que o número frio estatístico – explicou Gustavo Oliveira.

Outra aquisição recente, que chegou na última terça-feira ao clube, é aquela espécie de “top” que jogadores de clubes como Palmeiras e Flamengo, entre outros, usam por baixo da camisa. Trata-se de um GPS relacionado ao deslocamento dos atletas pelo campo de jogo.

– Ele funciona por satélite e tem precisão muito grande, nos dá informações de atividades físicas com alta e baixa intensidade. Você pode desdobrar esses dados para velocidade, intensidade, impacto físico, e cruzar as informações. Ele tem um acelerômetro que também detecta o salto vertical, movimento que gera um desgaste grande – disse o executivo.

O São Paulo tem convicção de que modernizar seu departamento de futebol será importante para retomar o caminho das vitórias. Um dos próximos passos deverá ser rechear o departamento, que hoje conta com o analista de desempenho Felipe Batista, além de Romildo Lopes, que opera e capta as imagens, ambos ligados a Gustavo Oliveira e ao coordenador técnico Rene Weber.

 

Fonte: Globo Esporte

4 comentários em “São Paulo aposta em tecnologia e tem ajuda de tripé para bater The Strongest

  1. vou repetir de novo : esse nao é um jogo comum é uma questão de honra tem que ganhar de todo jeito dessas bolivianas , se perde sera a maior vergonha da historia do soberano os jogadores nao terão valor algum .

    sem essa papo de difícil é ganhar e ganhar e pronto tem que ter vergonha na cara

    chegou a hora de dar a resposta para essas bolivianas

    colocar o video no vestiário bauza para pilhar os jogadores

    pra sempre soberano

  2. Toda inovação tecnológica é louvável… o mundo está globalizado e não se admite mais administrar na base do empirismo. Contudo, estamos tratando de jogador de futebol, com limitações técnicas. Convém lembrar que nenhum equipamento do mundo faria um atleta brasileiro ser mais veloz que Bolt… então, concluindo, sem bons jogadores, não adianta investir em tecnologia.

  3. Acho fundamental adotar novos métodos de análise. Todos os esportes do mundo estão partindo para esse tipo de trabalho e quem não fizer vai ficar para trás.
    Agora, precisa fazer direito, capacitando profissionais habilitados a tirar os dados corretos da tecnologia e transformá-los em conhecimento.

  4. Meus Deus quanta besteira, tripé, só tem servido para gozações, pq o que isso esta ajudando o time, para mim nada, pq o time nao joga bola como se deve, ate times sem expressao nenhuma como Audax, RedBull, S Bernando esta melhor que nós, e sem muito dinheiro, sem tecnologia esta virando piada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*