São-paulinos exaltam a versatilidade da equipe

Na chegada ao São Paulo, o técnico Ney Franco optou por escalar uma linha com quatro atrás. Em meios aos percalços e as derrotas, mudou a forma de jogar, utilizando-se de três zagueiros. Agora, com os desfalques, retornou ao 4-4-2, posicionamento tático que já lhe rendeu três vitórias consecutivas. Para o beque Rafael Toloi, essa facilidade de se modificar a forma de atuar ao longo do jogo pode ser o trunfo do Tricolor.

– A gente vem fazendo isso (alternar o esquema) dentro das partidas. Dentro do jogo a gente vem jogando no 3-5-2 e variamos para o 4-4-2. É só conversar ali atrás, vermos como a equipe adversária está posicionada para que possamos escolher o melhor – declarou o jogador.

Para facilitar o desempenho da defesa e melhorar os índices do setor, o volante Denilson carrega o fardo desta responsabilidade. Para ele, o fato de o time ter jogadores de qualidade em todas as posições condiciona essa alternância da equipe.

– Na defesa temos jogadores de grande qualidade. Rhodolfo é um dos melhores zagueiros do futebol brasileiro. O Toloi, que é jovem e tem potencial para a Seleção, eu tenho certeza que vai nos ajudar. Os laterais, os defensores… todos vão trabalhar juntos para colocar o São Paulo entre os primeiros – ressaltou o jogador.

Nesta quarta-feira, o técnico Ney Franco fará o trabalho tático que esboça a equipe para o jogo diante do Botafogo. Com a volta de Cortez, Douglas pode retornar para a sua posição de origem, a lateral direita, condicionando o Paulo Miranda ao banco, caso o treinador mantenha o 4-4-2. Se optar pelo 3-5-2, algum jogador do meio de campo pode dar espaço para o beque.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*