Santos sai frente, mas São Paulo busca empate em clássico cheio de reservas

O São Paulo não conseguiu voltar a vencer um clássico estadual, mas pelo menos conseguiu sair da Vila Belmiro com um ponto neste domingo. Um gol de Alan Kardec aos 37 do segundo tempo garantiu o empate em 1 a 1, depois de Joel ter aberto o placar para os donos da casa neste domingo.

As duas equipes entraram em campo muito desfalcadas. Os problemas para Dorival Junior no Santos foram os cinco atletas convocados para a seleção brasileira: Ricardo Oliveira, Lucas Lima e Gabriel na principal; Thiago Maia e Zeca na olímpica. O treinador ainda optou por uma outra mudança entre os titulares: Vitor Bueno no lugar de Serginho.

No São Paulo, a principal baixa foi Paulo Henrique Ganso, suspenso por ter levado o terceiro cartão amarelo na última rodada. Mas o técnico Edgardo Bauza também não contou Rodrigo Caio, que defende a seleção olímpica, Mena, que está com o Chile, e Lyanco, que serve à Sérvia. Isso sem falar nos desfalques por lesão: Renan Ribeiro, Breno, Rogério, Wilder e Wesley.

Com o resultado, o São Paulo chega a 18 pontos e assume a liderança do Grupo C. A pontuação é a mesma do Audax, mas o time leva vantagem no saldo de gols. O Santos tem agora 23 e permanece em segundo no Grupo A. O São Bento também soma 23 pontos, mas tem dois gols a mais de saldo.

Na próxima rodada, o Santos buscará o primeiro lugar do seu grupo diante da Ferroviária. O jogo será na quarta-feira, novamente na Vila Belmiro. Já o São Paulo jogará na quarta, fora de casa, diante do Linense.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 1 SÃO PAULO

Data: 27/03/2016
Horário: 18h30 (de Brasília)
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Luiz Alberto Andrini Nogueira
Público pagante: 6.239 torcedores
Renda: R$ 171.980,00
Cartões amarelos: Lucas Fernandes (São Paulo); Neto Berola (Santos)
Gols: Joel (Santos), aos 14 do 1º tempo; Alan Kardec (São Paulo), aos 37 do 2º tempo

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Caju; Renato (Alison), Léo Cittadini (Serginho), Rafael Longuine e Vitor Bueno (Neto Berola); Paulinho e Joel.
Técnico: Dorival Júnior

SÃO PAULO: Denis, Bruno, Lugano, Maicon e Carlinhos; Hudson, Thiago Mendes (Kelvin), João Schmidt, Centurión (Lucas Fernandes) e Daniel (Alan Kardec); Calleri.
Técnico: Edgardo Bauza

FASES DO JOGO

  • Primeiro tempoMesmo jogando na casa do adversário, o São Paulo começou o jogo melhor, buscando tocar a bola quando a tinha nos pés e marcando forte desde o campo de ataque, dificultando a saída de jogo do time da casa. Aos poucos, porém, o Santos foi encontrando os espaços para articular jogadas, principalmente pelos lados do campo. Paulinho se movimentou bastante e mudou algumas vezes o posicionamento para tentar ajudar o Santos, que conseguiu criar algumas boas chances de gol. A melhor delas foi aos 30 minutos, quando uma troca rápida de passes culminou em uma chegada pela esquerda de Caju, que cruzou rasteiro para a área. Joel se esticou para tentar completar, mas não conseguiu. Três minutos depois, Joel balançou as redes, aproveitando rebote de um chute de Rafael Longuine que explodiu no travessão. Mas o lance foi invalidado porque o atacante estava em posição de impedimento.
  • Segundo tempoO São Paulo voltou do intervalo com Lucas Fernandes no lugar de Centurión, em uma tentativa de aumentar a produtividade do sistema ofensivo, que pouco envolveu o rival durante os primeiros 45 minutos. Até deu algum resultado, já que o time conseguiu se articular mais perto da área adversária e criou, aos dez minutos, sua melhor chance até então com Daniel, que cortou para o meio diante da marcação de Victor Ferraz e bateu de fora da área. A bola passou muito perto do gol. Mas foi justamente no momento em que o São Paulo começava a viver seu melhor momento que o Santos abriu o placar: aos 14 minutos, Joel recebeu de Léo Cittadini pela esquerda, invadiu a área e bateu no ângulo. O Santos cresceu muito em seguida e ficou bem perto de ampliar, encaixando novas oportunidades de marcar. Mas Denis apareceu bem em todas elas e evitou que isso acontecesse. Principalmente em um belo voleio de Paulinho dentro da área. O São Paulo se segurou e, aos poucos, voltou a se lançar ao ataque. Alan Kardec

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*