Rosário enfrenta o São Paulo em crise e sem técnico

O São Paulo encontrará nesta quarta-feira, às 21h45, no Morumbi, um Rosario Central diferente do enfrentado no dia 12 de abril, há quase um mês, quando os times empataram sem gols na Argentina.

O Tricolor tem pela frente um adversário em crise para tentar evitar a nova tripla eliminação no primeiro semestre. Em 2017, o São Paulo caiu exatamente nas mesmas fases com Rogério Ceni: semifinal do Paulistão, quarta fase da Copa do Brasil e primeira fase da Sul-Americana.

O Rosario chega em crise para o decisivo e segundo jogo, no qual o empate com gols favorece a equipe argentina. Uma nova igualdade em zero a zero leva a decisão da vaga aos pênaltis.

São Paulo e Rosario Central empataram sem gols na Argentina (Foto: Reuters)

São Paulo e Rosario Central empataram sem gols na Argentina (Foto: Reuters)

Leonardo Fernández, técnico no primeiro jogo contra o São Paulo, pediu demissão no último dia 28 de abril, após três derrotas seguidas.

O último jogo dele no comando foi a derrota por 3 a 1 diante do Defensa y Justicia, algoz do Tricolor na Sul-Americana de 2017.

Jornalistas locais apontam Edgardo Bauza, ídolo histórico do clube, como prioridade, mas a informação na imprensa da Argentina é de que ele tem boas chances de assumir a seleção do Equador.

Depois da saída de Fernández, o interino José Chamot assumiu a equipe e também foi derrotado por 4 a 0 para o Arsenal de Sarandí. Neste duelo, no entanto, alguns titulares foram poupados.

  • 12/04 – Rosario Central 0 x 0 São Paulo – Copa Sul-Americana
  • 15/04 – River Plate 2 x 0 Rosario Central – Campeonato Argentino
  • 22/04 – Rosario Central 0 x 2 Racing – Campeonato Argentino
  • 28/04 – Defensa y Justicia 3 x 1 Rosario Central – Campeonato Argentino (Leonardo Fernández pede demissão)
  • 05/05 – Arsenal de Sarandí 4 x 0 Rosario Central – Campeonato Argentino (com o interino José Chamot).
São Paulo terá mudanças contra o Rosario Central (Foto:  Érico Leonan / saopaulofc.net)

São Paulo terá mudanças contra o Rosario Central (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Além disso, Marco Ruben, referência e figura mais representativa do Rosario Central, colocou em xeque seu futuro no clube no último dia 30 de abril.

O atacante de 31 anos fez dois gols em 17 jogos nesta temporada. Ele afirmou não se sentir útil como antigamente e tornou público seu sentimento de frustração diante das seguidas tentativas de jogar bem e ajudar o time. Ruben, no entanto, disse que só tomará essa decisão após o fim da temporada.

– Não me sinto bem, não me sinto cômodo e por mais que eu tente não tenho a confiança que tive em outro momento (…) Não quero dizer com isso que vou sair do clube, mas provavelmente pode ser que tenha chegado ao fim a minha etapa no Central (…) Considero que tenho um papel importante no clube e tenho que estar da melhor maneira para ser útil e ajudar – disse, entre muitas outras declarações.

Além disso, Éder Militão e Nenê, com dores musculares, fazem tratamento e são dúvidas. Anderson Martins, Valdívia e Cueva são candidatos a entrar no time.

Fonte: Globo Esporte

6 comentários em “Rosário enfrenta o São Paulo em crise e sem técnico

  1. São Paulo Necessita desta classificação, mas ligar o Sinal de Alerta para os jogadores não entrarem pensando que já está no Papo e perder em casa.

  2. Agora eu vi vantagem, com os caras lá nessa crise aí abriu uma brecha pra passarmos, mesmo sendo essa ruindade toda que somos hoje.

  3. Putz: os caras tomam de 3 contra o Defensa e Justicia e nossos jogadores ficam de mi mi mi – que é preciso ter cuidado etc, etc, etc.
    Se não enfiarem uns 5 podem se preparar para o desespero de frequentar a zona do rebaixamento no brasileirão!!!

  4. Temos que jogar sem levar em consideração a situação psicológica do adversário. Impor o nosso jogo e com MUITA intensidade.

  5. Pior cenario possivel, eles nao tem nada a perder ja que esta sem treinador e so levando lambada na argentina, entao teremos que ficar mais atentos ainda, pq se nao seremos eliminados por um time em crise e sem treinador, seria a maior vergonha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*