Rogério perde pênalti e São Paulo cai diante do Criciúma no Morumbi

A chance de o São Paulo sair da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro ficou para a próxima oportunidade. No jogo de homenagem a Lêonidas da Silva, o Tricolor atuou com um manto retrô histórico que não fez alusão aos 90 minutos do confronto desta quinta-feira, diante do Criciúma, no Morumbi, em que o time paulista foi derrotado por 2 a 1, com direito a pênalti perdido por Rogério Ceni.

Marcel e Lins fizeram para os visitantes. Aloísio marcou para o Tricolor. Com o resultado, o São Paulo permanece na 18ª posição, com 18 pontos conquistados. Já o Criciúma subiu na tabela e chegou aos 23.

 

VISITANTE INDIGESTO!

Joga, descansa, joga, descansa e joga novamente. Esse foi o cronograma do São Paulo de domingo até esta quinta. Sem tempo para treinar, Autuori teve de ajustar a equipe no papo. Nessas circunstâncias, o desgaste fala mais alto e, por conta disso, o treinador poupou o meia Ganso e deu oportunidade a Negueba de iniciar sua primeira partida entre os titulares do Tricolor.

À exceção do desgaste, a atmosfera estava propícia para o clube paulista. Uma vitória bastaria para o time sair da zona de rebaixamento. Além disso, o Tricolor homenageou o centenário de Leônidas da Silva, ídolo que tem a fama de ter inventado o gol de bicicleta. A viúva do ex-jogador, Dona Albertina, recebeu das mãos de Ceni uma placa de prata, enquanto Luis Fabiano deu uma camisa retrô, modelo utilizado pelos atletas nesta quinta, também em alusão à época.

Em campo, as duas equipes entraram com três atacantes. Em busca da vitória, o mandante foi à frente e conseguiu jogadas esporádicas. Já os visitantes optaram pelos contra-ataques. Se lá atrás Galatto fez boas defesas, no setor ofensivo o time também aproveitou uma bobeira de Rodrigo Caio. O volante, que foi recuado para ser zagueiro, fez pênalti em Marllon. Na cobrança, Marcel bateu forte no meio do gol. Lamentos a Ceni, que se deslocou e não conseguiu impedir o tento do time catarinense.

Atrás do placar, a equipe se mandou em busca do empate. Negueba e Aloísio alternaram o posicionamento. O primeiro, mais incisivo, tentou jogadas individuais e sofreu várias faltas. Como Autuori gosta de exemplificar, “sobrou volúpia e faltou lucidez”. Muitas bolas alçadas e poucas chances reais. Luis Fabiano até arriscou belo chute, mas parou na boa defesa do goleiro adversário. Mas, em rápido contra-ataque, os catarinenses mostraram porque também estão em ascensão no Nacional e conseguiram duas vitórias nos últimos dois jogos.

Paulo Miranda, que sofreu um corte na cabeça após dividida, estava fora de campo para trocar de camisa, pois o sangue estava escorrendo ao uniforme. Com o jogador fora, o Criciúma soube aproveitar a fragilidade da defesa para aumentar o placar, com Lins, de cabeça. Na comemoração, fingiu estar tocando um cavaquinho.

Nos minutos finais, abafa do time paulista, que reclamou de pênalti no último lance, após a bola ter desviado, supostamente, na mão de um beque adversário. Após o apito final, jogadores foram reclamar deste lance e também do segundo gol dos visitantes.

NÃO É ASSIM QUE COBRA, CENI!

Na etapa final, Jadson ficou no intervalo e deu lugar a Ganso. Mas quem assustou foi o Criciúma, que logo aos 30 segundos acertou uma bola na trave com Lins. O Tricolor iniciou uma “blitz” para diminuir o marcador, mas parou em suas próprias limitações. Do outro lado, bem postado em campo e optando por jogadas em velocidade, os catarinenses criaram boas oportunidades. Marcel quase ampliou, mas Ceni agarrou.

Melhor em campo, mas nervoso, o time tricolor teve uma grande oportunidade. Negueba recuperou a bola, lançou Aloísio, que sofreu pênalti de Galatto. O atacante pegou a bola para bater, mas Ceni, o capitão, foi até a marca da cal. Na cobrança, outro erro. Dos últimos quatro pênaltis cobrados, nenhum foi convertido em gol.

Contudo, a esperança voltou após gol de Aloísio, em chute rasteiro de fora da área. A equipe paulista manteve o ímpeto, mas o nervosismo e o desgaste não foram superados para que o time pudesse sair da zona de rebaixamento.

PRÓXIMOS JOGOS

Na última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, o São Paulo viaja para o Sul do país para encarar o Coritiba, às 16h, neste domingo. Já o Criciúma enfrenta o Botafogo, em casa, no mesmo dia, mas às 18h30.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1X2 CRICIÚMA

Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data-Hora: 5/9/2013 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Wágner Reway (MT)
Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO)

Gols: Marcel, aos 22’1/1°T (0-1); Lins, aos 41’/1°T (0-2); Aloísio, aos 24’/2°T (1-2)
Cartões amarelos: Matheus Ferraz, Galatto, Douglas, João Vitor e Cassiano (Criciúma)
Cartões vermelhos: Nenhum
Público e renda: 33.738 pagantes / R$ 347.657,00

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Toloi e Reinaldo; Wellington, Fabrício (Lucas Evangelista, 11’/2°T) e Jadson (Ganso, intervalo); Negueba (Osvaldo, 36’/2°T), Aloísio e Luis Fabiano. Técnico: Paulo Autuori.

CRICIÚMA: Galatto; Sueliton, Matheus Ferraz, Leonardo e Marlon (Gilson, 16’/2°T); Elton, João Vitor, Serginho; Lins, Marcel (Douglas, 32’/2°T) e Cassiano (Morais, intervalo). Técnico: Sílvio Criciúma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.