Rogério Ceni joga pela classificação e contra fim de história

Quando a bola rolar no Independência, Rogério Ceni somará 82 jogos na Copa Libertadores. É o brasileiro que mais vezes entrou em campo na competição. Quando a bola parar de rolar, se o São Paulo tiver sido eliminado pelo Atlético-MG, a partida deve ter sido a última do goleiro na competição que ele, assim como todo torcedor são-paulino, mais gosta de jogar.

Aos 40 anos, o camisa 01 tem contrato até dezembro e dificilmente vai renovar por outra temporada. Ele sabe que é possível que o duelo que começa às 22h (com transmissão em tempo real pelo LANCE!Net) marque o fim da história dele na Libertadores, mas o capitão pensa pelo lado positivo e acredita na classificação.

– Todo jogo pode ser o último da vida da gente. Eu espero que não seja. Estamos trabalhando para reverter a situação. O Atlético-MG tem a vantagem, é uma equipe muito boa, mas o São Paulo pode reverter – afirmou o goleiro, ao canal de televisão ESPN Brasil.

Por ser ídolo do clube, esse assunto faz parte na concentração. Os outros jogadores, além da vontade natural em partidas decisivas, dizem que levam isso a campo também e querem ajudar a estender a trajetória de Ceni no torneio.

História que começou em 1993, e com título, quando ainda era reserva de Zetti. O primeiro dos 81 jogos que tem até o momento só veio a ser disputado em 2004. Ele soma 14 gols no torneio e é o maior artilheiro do São Paulo na competição.

Esta é a décima que Rogério Ceni participa da Libertadores. O segundo brasileiro que mais esteve em campo foi Manga, goleiro que defendeu Botafogo, Inter e Nacional (URU), nas décadas de 60 e 70.

Alguns dos momentos importantes de Rogério Ceni na Libertadores:

Univ. Católica 2×0 São Paulo
26/5/1993 – Do banco, vê o Tricolor ser bicampeão da Libertadores.

Alianza Lima 1×2 São Paulo
11/2/2004 – Em sua estreia no torneio, marca um gol de falta.

São Paulo 4×0 Tigres
1/6/2005 – Marca dois de falta pelas quartas de final, no Morumbi.

São Paulo 4×0 Atlético-PR
14/7/2005 – Levanta o troféu de campeão da Libertadores.

Internacional 2×2 São Paulo
16/8/2006 – Falha diante do Inter e Tricolor fica com o vice daquele ano.

Once Caldas 2×1 São Paulo
25/2/10 – Marca de falta e se torna o maior artilheiro do clube no torneio.

São Paulo 2×0 Atlético-MG
17/4/2013 – Abre, de pênalti, a vitória que deu a vaga nas oitavas.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*