Rodrigo Caio termina como o zagueiro com mais desarmes no Brasileiro

Num ano cheio de polêmicas, onde o São Paulo brigou por um longo tempo contra o rebaixamento, Rodrigo Caio conseguiu dar a volta por cima e terminar a temporada com alguns bons números individuais. Apesar de não ter vivido uma grande fase como artilheiro – marcou apenas um gol em 52 jogos, contra quatro anotados em 2016 – o jogador fechou o Brasileirão com boas estatísticas defensivas.

Décimo maior passador do campeonato, com 1527 passes certos, o zagueiro foi o atleta de sua posição que mais desarmou, com 51 roubos de bola, segundo o Footstats, um a mais que Alemão, do Avaí, e seis a mais que Balbuena, do Corinthians, e Marllon, da Ponte Preta.

Rodrigo Caio aparece bem posicionado também no ranking de interceptações. O defensor aparece em 4º entre os zagueiros, com 15 antecipações. Quem liderou este fundamento foi o paraguaio do Corinthians, com 20. Novamente Alemão, e seu companheiro de zaga, Betão, dividem a 2ª colocação, com 17.

 

Fonte: Lance

7 comentários em “Rodrigo Caio termina como o zagueiro com mais desarmes no Brasileiro

  1. Está aí um bom parâmetro para avaliar um atleta: seus números.
    Ficar perseguindo o cara porque reconheceu uma falta não faz o time crescer. Tivesse o time caído, haveria muita gente dizendo que o cara não presta.

  2. Não vou dizer que o Rodrigo Caio fez um grande campeonato, tendo em vista os números do time. Entretanto, seus números pessoais, mesmo jogando em diversas formações de zaga e laterais, falam por si e mostram que ele não é o perna de pau que alguns insistem em querer acreditar. Talvez, com o time mais equilibrado e numa melhor fase, ele possa nos surpreender favoravelmente ainda…

  3. Fez um grande campeonato. A zaga está ajustada com Rodrigo Caio e Arboleda, só não temos reservas, se o Breno voltar a zaga estará perfeita. Vamos ver se esse ano o Rodrigo sai, todo janela ele está com o pé fora do tricolor e acaba não dando em nada. Eu não gostaria da venda dele, vai ser uma peça que não vamos conseguir repor, mas tem o lado profissional tbm, se ele desejar sair tem que liberar, fez muito por nós esse ano.

    • Será que você está falando do campeonato brasileiro de 2017?

      O São Paulo tomou 49 gols no campeonato e você diz que a zaga está ajustada?

      Sua conta não está fechando amigão.

      • Nos últimos jogos sim, João. O R. Ceni jogava muito aberto, marcação alta, tomava 469 gols a cada jogo. Quando eu tiver um tempo (hoje ainda) vou pegar os números dos últimos jogos e coloco aqui.

      • Bom, promessa é dívida, vamos lá…

        Considerei só o segundo turno. Tivemos um problema sério com as laterais, o time só ajustou quando tiramos a porcaria do bruno e do bufarini, maior consistência veio mesmo só com o Edmar para fechar a esquerda. Fiz 2 levantamentos:

        1) Atuando com: Militão, Arboleda, R. Caio e Edmiar:

        5 jogos (4 vitórias, 1 empate)

        Aproveitamento: 87%

        Média de gols sofridos: 0,6 por jogo

        2) Atuando com: Militão, Arboleda, R. Caio:

        9 jogos (6 vitórias, 2 empates, 1 derrota)

        Aproveitamento: 74%

        Média de gols sofridos por jogo: 1 por jogo (a média não foi tão espetacular por causa daquele jogo contra o fluminense que fomos goleados, que por sinal foi a ÚNICA derrota desse trio juntos).

        Considerando que a média de gols sofridos no campeonato brasileiro foi de 1,28 por jogo, são números muito bons.

        Eu queria ter feito também um levantamento com e sem Jucilei, porque depois dele o time melhorou muito a solidez, mas ia dar muito trabalho, se eu tiver tempo mais tarde eu faço.

        Considerando tudo, acho que o sistema defensivo está ajustado, sempre é possível melhorar, mas tivemos sim uma grande melhora e o Rodrigo Caio fez um grande campeonato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*