Rodrigo Caio lidera ‘homens de confiança’ de Osorio

Em Porto Alegre, às 16h deste domingo, as esperanças de Juan Carlos Osorio estarão renovadas. Isso tudo porque a carga de desfalques foi reduzida no São Paulo e o técnico contará com a volta de três de seus homens de confiança para tentar bater o Grêmio. E mais: o colombiano pode resgatar o esquema com três zagueiros na Arena do Grêmio para seguir vivo na briga pelo G4 após a 25 rodada.

Breno é um desses “caras” de Osorio. Com ele, o colombiano pode fazer com que o Tricolor seja mais combativo e agressivo em campo na hora de marcar. Assim como Rodrigo Caio, o zagueiro poderá trocar de posição ao longo da partida e se juntar a Thiago Mendes para duelar com Giuliano e Douglas no meio. Caso Bobô for escolhido por Roger Machado no Grêmio, Breno ou Rodrigo voltam à zaga e formam o trio defensivo ao lado do garoto Lucão.

– Eu gosto bastante desse esquema, porque temos laterais que apoiam bastante e zagueiros que sabem sair jogando. Mas acredito que, independentemente do esquema tático, o mais importante é todos de ajudarem dentro de campo. Eu sempre deixei claro que jogo nas duas posições, mas que me sinto mais à vontade jogando de zagueiro aqui no São Paulo. Quero ajudar o time e o professor, esse são meus objetivos – opinou Rodrigo Caio, ao LANCE!.

Osorio precisou abandonar a ideia de usar três zagueiros desde que passou a sofrer com desfalques no setor defensivo. Lucão machucou o calcanhar direito, Luiz Eduardo lesionou o joelho esquerdo, Breno teve problema muscular e Rodrigo passou uma semana com a Seleção Olímpica. Nesse período, Lyanco teve as primeiras chances como titular e Edson Silva era o único parceiro à disposição – e agora nem sequer foi relacionado para o jogo em Porto Alegre.

Para reconstruir a zaga e blindar o São Paulo contra nova série negativa na temporada, o colombiano se apega ainda mais a seus homens de confiança. Prova disso foi a longa conversa com Rodrigo Caio após o treino da última sexta-feira no CT da Barra Funda. Um hábito do treinador, principalmente com os atletas que gostam de discutir futebol, como o próprio zagueiro, Rogério Ceni e até mesmo Alexandre Pato.

– Foi uma conversa muito produtiva. Nós dois conversamos muito sobre o treino de sexta e disse a ele tudo o que eu pensava. Nosso time tinha que mudar a postura. É claro que tem muita qualidade no time, mas sem a bola todos precisam correr e ajudar os companheiros – fora desde a vitória sobre a Ponte Preta.

Confira bate-papo exclusivo com Rodrigo Caio:

O que tirou da semana com a Seleção Olímpica (seis dias de treinos e um amistoso contra a França (1×2), na última terça-feira?
Foi uma semana muito produtiva e é sempre um orgulho poder vestir a camisa da Seleção Brasileira. Infelizmente não conseguimos a vitória, mas acredito muito nessa geração. Nós vamos longe.

Acha que a participação Olimpíada de 2016 no Rio de Janeiro já é algo concreto pra você?
O futebol é muito dinâmico, por isso a cada dia e a cada oportunidade você tem que mostrar o seu melhor. E eu venho fazendo isso. Sempre que tenho a chance de ser convocado procuro mostrar o meu potencial e conquistar meu espaço. A Olimpíada de 2016 é meu maior objetivo a curto prazo.

Sente que o Osorio está mais calmo agora que recebeu a volta de quatro desfalques?
Acho que sim, porque é sempre difícil ficar sem opções. Mas eu não acredito que esse seja o motivo das nossas derrotas. Jogamos contra o Internacional, que é um grande time, com vários desfalques (eram nove baixas) e vencemos. O Campeonato Brasileiro é muito competitivo, e se não competirmos mais, não vamos conseguir os resultados.

O São Paulo gosta de valorizar o trabalho da base em Cotia e hoje a zaga pode ter você, Lucão e Breno. O que isso representa?
É muito bacana isso, porque mostra a força da base do São Paulo. Hoje temos muitos jogadores formados na base atuando no elenco profissional e que têm plenas condições de entrar e mostrar qualidade.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*