Rodrigo Caio é a chave de esquema do São Paulo e esperança para o futuro

Zagueiro ou volante? Rodrigo Caio cansou de responder a essa pergunta desde que passou a ser titular da defesa do São Paulo em 2013. Agora, o jovem de 20 anos assume a responsabilidade: fará, mais uma vez, as duas funções às 18h30 deste sábado, no Morumbi.

Quando entrar em campo para enfrentar o Criciúma pela 13 rodada do Campeonato Brasileiro, Rodrigo terá a chance de provar para a torcida que deixou a irregularidade para trás. Ele será líbero no 3-5-2 que deve iniciar o confronto. E será volante, como a torcida costuma pedir, para implantar o 4-4-2.

Com a maturidade que foi obrigado a ter ao sair do interior de São Paulo para tentar a sorte no futebol, o zagueiro e volante sabe que não poderá vacilar na dupla função. Qualquer erro será fatal.

– Esse posicionamento exige mais concentração, porque sempre estou saindo com a bola no meio, onde é fatal. Se eu perder a bola ou errar o passe, o time vai sofrer contra-ataques. O Muricy (Ramalho) cobra muito, fala que eu tenho que me concentrar bastante. Estou fazendo essa função bem e vou sempre me dedicar para fazer melhor – disse Rodrigo ao LANCE!Net.

Se Muricy passa as orientações para o jovem durante os treinos no CT da Barra Funda e nas preleções dos jogos, dentro de campo o papel é cumprido por outra pessoa: Rogério Ceni. E os dois parecem ter boa sintonia para enxergar o jogo.

Na última quarta-feira, Rodrigo Caio estava preso na defesa ao lado de Paulo Miranda e Rafael Toloi mesmo com o Bragantino encolhido. Ceni o chamou e pediu: “Vai para frente!” Rodrigo foi, tabelou com Ganso e Pato e viu o camisa 10 quase marcar golaço por cobertura.

– O Rogério Ceni falou bastante para o Paulo abrir, segurar o atacante e eu sair com a bola dominada. Quando orientam, eu me sinto mais seguro para fazer as coisas. Ele falou para o Paulo segurar, os volantes “espetarem” para eu poder sair. Deu certo e quase saiu um golaço do Ganso – lembrou.

Com respaldo de Muricy e Ceni, Rodrigo precisa provar a eficiência na função para ajudar o presidente Carlos Miguel Aidar. A chave da variação tática também pode ser a que abrirá os cofres para os sonhados R$ 60 milhões entrarem.

 

Fone: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*