Reinaldo comemora carinho da torcida e relembra erros do passado

Do banco de reservas Reinaldo ouviu os são-paulinos que compareceram ao estádio do Café, em Londrina, na última quarta-feira, gritarem seu nome, reprovando a atuação de Edimar. Já no último sábado, Dorival Jr resolveu atender ao pedido vindo das arquibancadas e incluiu o lateral-esquerdo entre os titulares. Ao fim do duelo, o treinador recebeu a resposta de seu atleta, responsável pela assistência a Diego Souza, que abriu o placar contra o Botafogo-SP.

Após duas temporadas emprestado – o jogador passou pela Ponte Preta e Chapecoense -, Reinaldo agora saboreia o gosto de ter seu futebol aprovado pela torcida e, aparentemente, pela comissão técnica. Ciente de que a situação atual é bem diferente de quando se despediu do Tricolor, o lateral, no entanto, prefere frear a empolgação e seguir trabalhando de maneira bastante serena.

“Voltei para cá muito tranquilo, porque saí e tive dois anos maravilhosos na minha carreira. Então, voltei muito mais maduro, com experiência e para mostrar meu futebol aqui no São Paulo. Tenho certeza que foi só um jogo, tenho que mostrar muito mais. A tendência é só crescer e meu objetivo é sempre estar lutando, jogando, com raça e vontade, para a torcida não só me apoiar, mas apoiar a equipe inteira”, afirmou Reinaldo.

Apesar de disfrutar da boa fase, o jogador também reconhece que teve de trabalhar duro para dar a volta por cima no São Paulo. Incerto quanto ao seu futuro durante seus períodos de empréstimo, Reinaldo explicou o porquê de não ter dado tão certo em sua primeira passagem pelo Tricolor e também revelou quais medidas adotou para elevar o nível de seu futebol nos últimos dois anos.

“Cheguei no São Paulo após uma excelente temporada no Sport. No São Paulo disputei meu segundo Brasileirão, fui para um time grande. Em time grande sempre haverá cobrança, vão querer mais de você, que você seja um jogador perfeito, ou quase perfeito. Parei, vi o que estava fazendo de errado, concertei, voltei para o São Paulo bem mais maduro, experiente, com a cabeça tranquila para realizar um bom trabalho e ajudar o São Paulo a conquistar seus objetivos”, prosseguiu, antes de citar seus erros cometidos no passado.

“Cometia erros de posicionamento, não tinha muito essa noção. Também tive que começar a chegar lá na frente com mais qualidade, com as pernas e cabeça sempre tranquilas para realizar o cruzamento, porque lá na frente temos que caprichar bem. Foi isso que adquiri na minha carreira, e esses últimos dois anos foram maravilhosos para mim”, finalizou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*