Real deixa acordo apalavrado por Militão; SPFC poderá levar R$ 27 milhões

Depois de uma primeira reunião na semana passada que se encerrou sem um desfecho positivo, o Real Madrid driblou a resistência inicial e deixou apalavrada em conversa na última segunda-feira a chegada de Éder Militão, do Porto, ao Santiago Bernabéu, em junho. O negócio giraria em torno de 50 milhões de euros (R$ 213 milhões), cifra da multa rescisória do defensor. A informação foi inicialmente dada pelo SporTV e diário AS.

Em caso de confirmação do acordo verbal, conforme o UOL Esporte publicou anteriormente, o São Paulo lucrará alto com o negócio. A equipe tricolor tem direito a 10% de uma futura venda e ainda 3% de mecanismo de solidariedade por sua formação, faturando, assim, praticamente R$ 27 milhões (cotação atual) com a transação.

O estafe de Militão desembarcou em peso nesta semana no Porto para encaminhar o assunto e adiantar as tratativas. Além dos agentes Ulisses Jorge e Gil Bahia, que cuidam mais diretamente da carreira do jovem jogador de 20 anos, ainda estiveram na cidade os empresários Carlos Meinberg Neto, Giuliano Bertolucci e Lucca Bertolucci.

Parte deles acompanhou, inclusive, o jogo do Porto com o Leixões, pela Taça de Portugal, na última terça.

A ofensiva do Real Madrid é capitaneada pelo diretor de futebol do clube, Juni Calafat, figura conhecida no mercado brasileiro, responsável por diversas contratações e muito próximo a Ronaldo Fenômeno, Kaká e outros nomes. O cartola recebeu carta branca do presidente Florentino Pérez para avançar no negócio.

A princípio, no primeiro encontro entre as partes, o estafe de Militão manifestou uma preocupação inicial com a falta de espaço no elenco do Real Madrid, que conta atualmente com o espanhol Sergio Ramos e o francês Varane na defesa. Calafat, no entanto, insistiu que o ex-são-paulino terá tempo de jogo e citou o exemplo de Vinícius Jr., ex-Flamengo.

Ele aposta que Militão não encontrará qualquer dificuldade em conseguir um lugar no grupo merengue.

O discurso animador e a disponibilidade dos espanhóis em pagar a multa rescisória foram fundamentais para que o Real Madrid saltasse à frente da concorrência que vem da Premier League, com Manchester United, Liverpool e Everton. Nenhum deles sinalizou com os mesmos números até aqui.

Conforme revelado anteriormente pela reportagem, o Porto tentou renovar o contrato de Militão para aumentar a sua multa rescisória, porém, ouviu uma resposta negativa por parte dos representantes do atleta.

Ele desembarcou na última janela de transferências europeia e assegurou rapidamente a sua vaga no time, sendo eleito o melhor defensor do país nos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro. Ao seu lado na zaga dos portugueses, atua o ex-corintiano Felipe.

Com contrato até 2023, Militão pode deixar o Porto com três títulos na bagagem: Liga Portuguesa, Taça de Portugal e Taça da Liga. Ele soma 24 partidas na temporada, com dois gols e três assistências.

 

Fonte: Uol

Um comentário em “Real deixa acordo apalavrado por Militão; SPFC poderá levar R$ 27 milhões

  1. Amadorismo da diretoria, deveriam ter renovado o contrato antes dele começar a atuar no profissional, poderia sair agora ou em julho por no mínimo 30 milhões de euros.

    Vindo dessa diretoria, não é novidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.