Raí trabalha duro nos bastidores para Dorival não ser demitido

A pressão em cima de Dorival Júnior no São Paulo não parte apenas da torcida, que na última semana pediu sua saída em protesto na porta do CT da Barra Funda e também o hostilizou no Morumbi. Internamente, há dirigentes que já perderam a paciência com o técnico e concluíram que o melhor nesse momento é interromper o trabalho e promover André Jardine do Sub-20 para ser interino no profissional enquanto a cúpula do futebol procura por um novo treinador pensando na sequência da temporada.

Mesmo assim, o presidente Leco tem resistido. E talvez o maior responsável por Dorival Júnior ainda ocupar o cargo de técnico da equipe seja Raí. O diretor-executivo, e também um dos maiores ídolos da história do clube, tem aparecido muito pouco publicamente, mas tem trabalhado forte para que Dorival tenha mais tempo para mostrar seu trabalho.

Na última segunda-feira, ao lado de do coordenador de futebol Ricardo Rocha e do superintendente de relações internacionais Diego Lugano, Raí expôs a Leco a sua opinião, reforçou a ideia de que seria um erro demitir Dorival naquele momento e apontou os pontos positivos no que vem sendo feito, apesar da má fase do time.

Em contrapartida, o ex-camisa 10, junto com Ricardo Rocha e Lugano, se comprometeu a buscar entender os motivos pelo qual a equipe não tem conseguido os resultados. Houve uma reunião com os líderes do elenco nesse sentido e foi passado à diretoria, conforme revelou Sidão nessa terça, de que o problema não é técnico, e sim de caráter emocional.

Ainda na noite dessa terça, Raí se reuniu com membros do Conselho Deliberativo e voltou a reforçar seu apoio a Dorival Júnior. Até em uma tentativa de garimpar mais paciência e tolerância para que o técnico ganhe tempo e condições mais tranquilas, o diretor-executivo de futebol procurou se mostrar otimista com o futuro do São Paulo em campo.

Nos últimos dois anos e dez meses, o Tricolor do Morumbi teve seis técnicos e três interinos diferentes. Esse histórico está incomodando Leco, que por conta disso, tem apresentado uma maior resistência em decidir por outra troca no comando. O presidente decidiu ouvir Raí e segurar a pressão.

O cenário atual pode ser resumido com a famosa expressão “me ajuda a te ajudar”. Além da importância natural de uma vitória nessa quarta-feira, contra o CRB, no Morumbi, pela duelo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, Leco torce para que Dorival coloque a equipe nos trilhos e lhe dê argumentos para rebater quem o questiona e seguir apostando em uma continuidade do trabalho.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

7 comentários em “Raí trabalha duro nos bastidores para Dorival não ser demitido

  1. Esse nao e’ o Ray que queria,
    e era seu advogado.
    Perdeu um grande momento para
    fazer jus ao poder que tem, demitindo esse
    trenero mediocre & adepto da mediocridade
    E Ray morre abracado igual, embarcou no bonde errado,
    logo ele que conviveu com tudo do bom e do melhor,
    seu aprendizado com gente tipo TELE nao valeu muito.

  2. Quero explicitar aqui o meu descontentamento com esse início de temporada do SPFC sob o comando de Dorival Jr……mas deixo claro aqui o meu integral apoio a Raí, aos quais não é necessário elencar suas qualidades e caráter, e fundamentalmente seu amor pelo clube. Gostei de como tratou dos casos Hudson e Cueva, e a também contestada comissão montada com ex-jogadores.

    Dito isto, mesmo contrariado, tento entender a manutenção de Dorival Jr nesse momento, e aguardo que seja realizado um projeto com André Jardine para que futuramente tenha condições e apoio para comandar o SPFC.
    No mais, respeito a opinião divergente dos demais integrantes desse espaço.

  3. A verdade é que ele quer sustentar o Dorival porque foi incompetente para contratar os jogadores das posições solicitadas pelo técnico. Ele (Raí) quer que o time renda à força. Além do Dorival ser fraco, ainda não teve os jogadores pedidos… aí fica difícil mesmo.

    • Mais ou menos… eu penso que a necessidade dele blindar o DoriMal deve ser entendida como um escudo para o desempenho do próprio Raí como gestor do futebol. Quando do DoriMal cair, a próxima peça a ser derrubada no tabuleiro será ele próprio. Então, por enquanto, é melhor para ele que as críticas sejam direcionadas ao DoriMal, como uma espécie de escudo. O atual insucesso também poderá ser atribuído a ele, afinal, quem consumou e avalizou as contratações, senão ele. E nesse cenário, é importante para o Lero-Leco manter ambos, e permanecer escondidinho atrás deles, depois de cada insucesso do time. Essa é a minha análise da situação.

    • Parabéns, concordo plenamente, eu iria escrever exatamente isso.
      Está segurando esse arremedo porque ele tem culpa na má fase também, por ter contratado jogadores fracos que o Burrival não queria.
      Está com dor.na consciência não sr. Raí? Esperava mais de vc cara, no campo foi meu maior ídolo, fora dele se mostra um perna de pau!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*