Raí assume herança de Pinotti e minimiza prejuízo com planejamento

O São Paulo agiu rápido assim que Vinicius Pinotti pediu demissão do cargo de executivo de futebol. Na noite dessa quinta-feira o clube já anunciou Raí como sucessor da posição diretiva. A pressa na reposição faz com que as consequências da saída de Pinotti não sejam tão sentidas pelo Tricolor Paulista em um momento que ficar sem o principal articulador na busca por reforços e nas negociações com o atual elenco poderia causar um enorme prejuízo à instituição e comprometer todo o planejamento de 2018.

Raí chega em meio ao turbilhão do mercado, mas não vai pegar terra arrasada. Vinicius Pinotti já deixou encaminhada a contratação do goleiro Jean, atualmente no Bahia, e iniciou conversas na tentativa de acertar com Gustavo Scarpa, meia do Fluminense, e com Jucilei, que terá o vínculo de empréstimo junto aos chineses do Shandong Luneng encerrado no fim de dezembro.

Além disso, por meio de Pinotti, o São Paulo decidiu liberar o goleiro Renan Ribeiro para procurar outro time para jogar na próxima temporada. O ex-executivo também vinha participando das tratativas que envolvem Hudson, volante que pertence ao tricolor até o fim de 2019 e está emprestado ao Cruzeiro. Os mineiros pretendem ficar com o jogador, que tem preço de compra estipulado em 1,5 milhão de euros (cerca de R$ 5,7 milhões) e também sondaram Lucas Pratto, outro atleta valorizado e quem tem sofrido muito assédio.

Ou seja, trabalho para Raí é o que não falta. E o ex-camisa 10 terá pouco tempo para se ambientar a nova função. Para auxiliar o ídolo, o advogado Alexandre Pássaro será essencial. Pássaro é quem normalmente conclui muitas das transações feitas pelo clube, já está acostumado a lidar com o mercado e pode ajudar Raí nesse início.

Resta saber como será a relação de Raí, agora linha de frente do futebol do São Paulo, com Leco. O mandatário tem fama de tomar decisões unilaterais em muitos casos e foi justamente essa falta de sintonia de ideias e a forma de agir de Leco que acabou deteriorando a relação com Vinicius Pinotti, até então braço direito da gestão de Carlos Augusto de Barros e Silva e um dos mais fortes apoiadores de sua campanha eleitoral.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*