Primeiro algoz, Palmeiras pode ser decisivo em saída de Osorio do SP

O São Paulo enfrenta neste domingo (27) o Palmeiras, no Morumbi, às 16h, pelo Brasileirão. O primeiro confronto entre os rivais no Nacional resultou na primeira – e pesada – derrota de Juan Carlos Osorio no clube, por 4 a 0, em seu quarto jogo no comando são-paulino. Na ocasião, o pesado revés desencadeou uma sequência negativa de três partidas sem vitórias. Dessa vez, no reencontro no Morumbi, a partida contra o Palmeiras pode ser decisiva para a saída de Osorio – e por decisão do treinador, e não da diretoria. Um revés contra o concorrente direto a uma vaga no G4 pode ser o que falta para a relação acabar de vez.

Osorio está insatisfeito no São Paulo. O desmanche do elenco, que perdeu oito jogadores desde sua chegada, mostrou ao treinador que a situação real do clube, que vive delicado momento financeiro, é muito pior e totalmente diferente da que lhe foi apresentada no fim de maio, quando aceitou deixar o Atlético Nacional, da Colômbia, para ser o sucessor de Muricy Ramalho no Morumbi. Na última sexta-feira, questionado se confia na diretoria são-paulina, Osorio disse que “pelo que fizeram com o elenco, não”, e expôs pela primeira vez de forma pública que a relação é pior do que se pensava em um momento em que o São Paulo passa por turbulência entre polêmicas de comissões financeiras, valor da dívida e o caso Iago Maidana.

Juan Carlos Osorio também admitiu na sexta-feira que houve conversas com a seleção mexicana e, mais uma vez, não escondeu que tem o sonho de disputar uma Copa do Mundo e que o México lhe oferecece tal oportunidade – falou, porém, que não troca o São Paulo por nenhum clube. Ressaltou que a meta agora é preparar bem o São Paulo não só para o clássico, mas também para a volta contra o Vasco, pela Copa do Brasil, no Rio de Janeiro, na próxima quarta-feira, depois de aplicar 3 a 0 em casa no primeiro jogo pelas quartas de final da Copa do Brasil. Osorio diz que não há chance de se demitir após o clássico, seja qual for o resultado, mas não garante permanência no Morumbi.

Já não há no São Paulo quem acredite que Osorio fique até o término de seu contrato, que se encerra no fim de 2016. Parte da diretoria crê que o treinador fique até o fim de 2015, e outra parte acha que o pedido demissão acontecerá até o fim de outubro, mesmo que o time ainda esteja na Copa do Brasil. A questão é que a seleção mexicana tem o brasileiro Ricardo Ferretti, vice-campeão da Copa Libertadores pelo Tigres, como técnico interino até o fim de outubro. É este o prazo, antes do início das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, que Osorio poderá respeitar antes de deixar o São Paulo.

O resultado contra o Palmeiras é importante por isso. As últimas declarações de Osorio colocaram o São Paulo em alerta. Houve na diretoria quem se irritou com a falta de confiança exposta publicamente e já não defende mais o técnico. O próprio Osorio levou a situação a um limite e agora, em caso de mais uma derrota pesada, por exemplo, pode ganhar mais um argumento para deixar o Morumbi.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X PALMEIRAS

Data: 27 de setembro de 2015
Horário: 16h (de Brasília)
Local: Morumbi (São Paulo)
Árbitro: Anderson Daronco – RS (FIFA)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho – SP (FIFA) e Marcelo Carvalho Van Gasse – SP (FIFA)

São Paulo: Rogério Ceni; Bruno, Rodrigo Caio, Lucão e Carlinhos; Breno, Thiago Mendes e Ganso; Michel Bastos, Wilder e Pato. Técnico: Juan Carlos Osorio

Palmeiras: Fernando Prass; Lucas, Vitor Hugo, Jackson e Egídio; Tiago Santos e Zé Roberto (Amaral); Gabriel Jesus, Robinho e Rafael Marques; Lucas Barrios. Técnico: Marcelo Oliveira

2 comentários em “Primeiro algoz, Palmeiras pode ser decisivo em saída de Osorio do SP

  1. Independente do resultado hj o Osorio vai sair ate dezembro, se perder para pepas e para o Vasco pode ser que acelere somente sua saida.
    Mas seu Osorio foi traido por essa diretoria vagabunda, tipico marido traido que é ultimo a saber.

  2. Tenho pena do Osório, da para ver nitidamente que está insatisfeito, que é uma pessoa séria sendo tratado como moleque pela nossa diretoria, honestamente, se fosse eu, já teria ido embora a muito tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*