Presidente dá carta branca a Ceni no São Paulo: “Ele vai ser o que quiser”

Rogério Ceni se adiantou a mais um ano de especulações sobre o fim de sua carreira como jogador e anunciou no início deste mês que vai parar de jogar no fim desse ano. A incógnita agora é o que efetivamente fará após deixar os gramados. As possibilidades são inúmeras, principalmente porque no próprio São Paulo as portas estão abertas para a função que desejar, seja para presidir o clube ou para ser o treinador, por exemplo. Quem garante isso é, inclusive, o presidente recém eleito Carlos Miguel Aidar.

– Acho que o Rogério tem o perfil para ser um dos melhores treinadores desse país. Não sei se ele vai querer, é uma coisa que não tenho ideia, mas o que ele enxerga o jogo, o que ele é capaz de verificar, de produzir, ele é um ser diferenciado. Não é à toa que é o que é, o grande ídolo do São Paulo – afirmou o dirigente no “Arena SporTV”.

Rogério Ceni e Muricy Ramalho São Paulo x Botafogo (Foto: Marcos Ribolli)Rogério Ceni recebe três certificados do Livro dos
Recordes no Morumbi (Foto: Marcos Ribolli)

No último domingo, na estreia com vitória do São Paulo no Campeonato Brasileiro, diante do Botafogo, Rogério Ceni recebeu três certificados do Guinness Book, o Livro dos Recordes: jogador que mais vezes atuou por um mesmo time na história do futebol; jogador que mais foi capitão de um mesmo time; e o recorde de 114 gols marcados por um goleiro. Carlos Miguel Aidar voltou a destacar as inúmeras possibilidades do camisa 01.

– Quando eu era candidato, no fim do ano, e ninguém sabia se ele pararia ou não, declarei para todo mundo que ele seria o que quisesse no São Paulo: seria treinador, diretor, vice-presidente para me substituir daqui a três anos, até isso falei, porque ele seria o que quisesse ser, não tenho dúvida disso. Não sei o que ele vai fazer, mas se enveredasse por esse caminho de treinador podia fazer um estágio na Europa com os grandes treinadores, ele fala inglês fluentemente, fala castelhano fluentemente, ele estuda, é diferente, ele não é metido a besta, ele é ótimo, uma figura maravilhosa, tenho uma admiração por ele muito grande, e ele vai ser o que quiser. Se ele quiser vai jogar, se quiser ser dirigente vai ser, treinador vai ter que esperar só o Muricy parar, só para deixar claro – concluiu.

A última partida de Rogério Ceni seria contra o Sport, no dia 7 de dezembro, na Ilha do Retiro, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Mas, antes disso, ele já joga nesta quarta-feira, dia 23, quando o São Paulo enfrenta o CRB em Maceió, no Estádio Rei Pelé, pelo jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.