Posse de bola: o dilema do São Paulo na semifinal contra o Corinthians

São Paulo teve 65% de posse de bola contra o Cruzeiro (segundo o Footstats), mais do que os 64% que havia somado na goleada por 5×0 sobre o Linense, há uma semana. E não adiantou nada. Não venceu, não fez gols, e o que mais incomodou: não criou boas chances para ganhar. Um chute de Luiz Araújo e uma cabeçada de Pratto foram o máximo que a equipe conseguiu em 90 minutos.

Neste domingo, o rival será o Corinthians, que, neste início da temporada, caracterizou-se por ter melhor rendimento justamente quando tem menos posse de bola. É o que se chama de equipe reativa, aquela que baseia sua estratégia nas reações às propostas do adversário.

Rogério Ceni orienta jogadores em treino do São Paulo antes do clássico (Foto: Erico Leonan / site oficial do São Paulo FC)

Rogério Ceni orienta jogadores em treino do São Paulo antes do clássico (Foto: Erico Leonan / site oficial do São Paulo FC)

Isso poderia criar um dilema: o São Paulo continuaria jogando para ter a bola e, dessa forma, poder facilitar a estratégia do Corinthians? Ou abriria mão desse quesito para obrigar o rival a sair da zona de conforto e ganhar um trunfo na semifinal?

Rogério Ceni é irredutível. Já disse que quer a posse de bola e, se possível, no campo do Corinthians, empurrando-o cada vez mais para trás. O dilema, então, passa a ser outro: o que fazer com a bola nos pés para conseguir vencer a melhor defesa do Paulistão?

O Corinthians sofreu nove gols no torneio – mesmo número do Palmeiras –, um deles de Maicon, no Majestoso da fase de classificação. Naquela partida, as duas estratégias ficaram claras. O São Paulo teve 59% da posse de bola, contra 41% do time de Fábio Carille, mas o número de finalizações foi parecido – 11 a 10 para o Tricolor.

Formação do São Paulo na semifinal: com Cueva, posse de bola deve aumentar (Foto: Arte: GloboEsporte.com)

Formação do São Paulo na semifinal: com Cueva, posse de bola deve aumentar (Foto: Arte: GloboEsporte.com)

Contra uma defesa bem armada, a equipe de Ceni terá de mostrar evolução em aspectos que não funcionaram na última quinta-feira. Um deles é a velocidade de Luiz Araújo para ajudar a quebrar a marcação. O Cruzeiro conseguiu ter cobertura eficiente nas poucas vezes em que o atacante se livrou do primeiro obstáculo. Caberá muito a ele dificultar o sistema defensivo.

Pelo meio, Thiago Mendes e Cícero terão de se aproximar da área, infiltrar de trás na área do Corinthians, aproveitando os espaços que Pratto costuma abrir inteligentemente. E tudo isso ficará facilitado se Cueva estiver em campo. Relacionado, ele pode ser titular ou entrar durante a semifinal.

Na seleção brasileira, Tite costuma avisar a torcida, antes de alguns jogos, do risco de alguns momentos “chatos”. De bola trocada para trás, recuada até para o goleiro se for preciso, para fazer com que ela rode de um lado para o outro e movimente a defesa adversária.

O São Paulo, possivelmente, terá de apelar a esse recurso. Sem pressa e sem se importar com os ruídos de uma arquibancada que não curte passes para trás, mas curte ganhar. E esse, por vezes, será um caminho melhor do que tentar bater contra um muro alvinegro. Até porque o contra-ataque pode ser fatal.

Veja as informações do clássico de ida das semifinais do Paulistão:

Local: Morumbi, São Paulo
Data e horário: domingo, às 19h (de Brasília)
Provável São Paulo: Renan Ribeiro; Araruna, Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes e Cícero; Wellington Nem (Cueva), Lucas Pratto e Luiz Araújo
Desfalques do São Paulo: Sidão, Buffarini, Bruno, Lucas Fernandes e Chavez
Pendurados do São Paulo: Lugano, Breno e Cícero
Provável Corinthians: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Maycon; Jadson, Rodriguinho e Romero; Jô
Desfalque do Corinthians: Giovanni Augusto
Pendurados do Corinthians: Fagner, Jô e Gabriel
Ingressos: clique aqui para saber valores e como comprar
Arbitragem: Luiz Flavio de Oliveira, com Danilo Ricardo Simon Manis e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa
Transmissão: Premiere, Premiere HD e PFCI (com Milton Leite e Luiz Ademar)

Fonte: Globo Esporte

2 comentários em “Posse de bola: o dilema do São Paulo na semifinal contra o Corinthians

  1. Tá na hora de sacar o Cícero do time; até hoje, tirando o jogo em que marcou três gols, ele nunca fez alguma diferença: muito pelo contrário, como no jogo contra o Cruzeiro. Melhor segurar o Tiago ao lado do Jucilei quando o time estiver sendo atacado e colocar mais um atacante pelo lado direito. Afinal, o jogo é em casa e o resultado tem que ser conseguido hoje ou adeus paulista (do meu coração…).
    jogo pra 4.2.3.1!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*