Por vaga no G-4, São Paulo tenta encerrar jejum em São Januário

O discurso dos jogadores do São Paulo antes do duelo contra o Vasco, que será disputado nesta quarta-feira, em São Januário, está ensaiado: mesmo fora de casa, só três pontos interessam contra um adversário direto na vaga pelo G-4.

Com a vaga na Libertadores definida como a principal meta até o fim da temporada, o Tricolor terá de quebrar um jejum de quatro anos sem vitórias no estádio vascaíno para diminuir a distância para o time carioca na tabela. Além disso, precisa superar a oscilação que tanto tem atrapalhado o time na competição. Em novembro de 2008 (veja o vídeo acima), Jorge Wagner e Hugo marcaram os gols da vitória por 2 a 1 – Madson marcou o gol do Vasco. Na ocasião, o tabu estava do outro lado, já que o São Paulo havia completado sete jogos de invencibilidade sobre o rival no torneio.

Sem ter entrado no G-4 em nenhuma rodada até aqui, o zagueiro Paulo Miranda pede uma postura diferente da equipe. Uma vitória deixa o Tricolor um ponto atrás do rival, mas uma derrota aumenta a distância para sete, restando nove rodadas.

– Agora tem de ser diferente, estamos lutando faz tempo para tirar a diferença do Vasco. Temos que encarar como uma decisão. Vai ser um jogo difícil, mas temos condições de chegar lá e fazer um bom resultado. O time é um concorrente à vaga no G-4, precisamos tirar a distância de pontos. Estamos focados. Empate está descartado, vamos pensando na vitória – disse o jogador, que deve atuar improvisado na lateral direita.

O volante Wellington também lamenta a oscilação do time – especialmente o aproveitamento ruim fora de casa (somente 28,5%, pouco se comparado aos 73% dos pontos conquistados em casa). Assim como Paulo Miranda, ele sabe da importância do duelo contra o Vasco, e acredita que a falta de atenção muitas vezes foi determinante para ocasionar tropeços da equipe. Mesmo com uma vitória, os jogadores evitam estipular uma data para entrar no G-4.

– Temos de ter mais atenção em determinados momentos. Não só a gente… Às vezes o árbitro marca um pênalti duvidoso, uma expulsão. Todos têm de ter uma atenção maior, especialmente fora de casa. Contra o Vasco, será uma final como todos os jogos. Entramos como se fosse o último. Nosso objetivo é subir um degrau de cada vez. Não adianta pensar na frente se não vencermos o próximo – disse o volante.

Caso perca, no entanto, os atletas acreditam que não há motivo para perder as esperanças de garantir a vaga no Brasileirão. Nas últimas rodadas, o Tricolor ainda faz confrontos diretos contra Fluminense e Grêmio, que brigam diretamente pelo título. Na Sul-Americana, que também dá vaga na Libertadores ao campeão, a equipe empatou com o LDU de Loja, no Equador, e tenta garantir a vaga nas quartas de final no jogo de volta, no Morumbi.

– Ainda faltam dez rodadas. Tudo pode acontecer, vamos enfrentar o Vasco pensando só na vitória. Se acontecer essa derrota, temos mais nove rodadas para conseguir o G-4. A concentração tem de ser maior, o campeonato está acabando. Cada vitória vai ser importante. Temos que manter o foco para vencer em todas as partidas – disse Paulo Miranda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*