Planejamento do São Paulo começa a falhar e receber questionamentos

Cerca de cem dias de trabalho depois, o planejamento do São Paulo para a temporada de 2016 não só ainda não deu resultados, como preocupa. Apesar da confiança da diretoria no trabalho do técnico Edgardo Bauza, o início do ano é marcado por problemas das mais variadas origens.

Quando foi eleito presidente em outubro do ano passado para substituir Carlos Miguel Aidar, que renunciara ao cargo, Carlos Augusto de Barros e Silva tinha o otimismo no rosto e previa harmonia nos meses seguintes. Não aconteceu.

O São Paulo voltou ontem da Venezuela tendo praticamente a obrigação de fazer 100% de aproveitamento no returno da fase de grupos para não ser eliminado da Libertadores. O empate por 1 a 1 contra o modesto Trujillanos voltou a externar a dificuldade que o Tricolor tem para apresentar um futebol consistente.

É de se pesar o pouco tempo de trabalho do argentino Bauza à frente do clube, mas os resultados estão bem abaixo do esperado, fruto de vexames em casa, como nas derrotas para o The Strongest (BOL) e São Bernardo. Para se ter uma ideia, os bolivianos não venciam um jogo como visitante na Libertadores desde 1982. O São Paulo de Leco conseguiu essa proeza, mesmo tendo mantido a base do time do ano passado.

Aliás, isso pode ser uma das razões do problema. Após a derrota de 6 a 1 para o Corinthians, no fim do Campeonato Brasileiro do ano passado, Leco acenou com a necessidade de uma reformulação. Ela não foi feita. Foram seis reforços contratados e um deles, Kieza, já saiu. Um fracasso quase sem precedentes na história do clube: ele jogou dois jogos.

– Temos que levar algumas coisas em consideração, o São Paulo teve um ano terrível em 2015. Nesse ano terrível, comecei com Muricy, apostei em Milton Cruz e (Juan Carlos) Osorio e depois em Milton Cruz e ainda teve Doriva. Bauza está fazendo um bom trabalho, acreditamos na classificação, mas sabemos que temos que ganhar três partidas. Valera (palco do jogo contra o Trujillanos) foi um drama que não esperávamos – tentou explicar o vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro.

Trujillianos x São Paulo
O Trujillanos arrancou empate do Tricolor (Foto: JUAN BARRETO/AFP)

Na análise da diretoria, ainda há jogadores insatisfeitos e por isso foram feitas cobranças nos últimos dias. Houve reação contra o River Plate (ARG), no empate por 1 a 1, em Buenos Aires, mas a equipe voltou a cair depois, com derrota para o Palmeiras e empate na Venezuela.

A gangorra de resultado e comportamento é um problema antigo do São Paulo e faz com que os atletas repitam o coro de que é preciso dar um algo mais. Parece batido.

Enquanto isso, o técnico Bauza espera ao menos chegar até o meio do ano para que receba três reforços que ele pretende indicar. Até lá, é preciso força para arrumar a casa, que anda pra lá de bagunçada.

Fonte: Lance

9 comentários em “Planejamento do São Paulo começa a falhar e receber questionamentos

  1. “Começa a falhar” é boa; se não fosse trágica. Na realidade o que falhou foi o planejamento todo, a começar por quem o fez; passando por quem contratou o técnico (péssimo) e os jogadores recém contratados (com as exceções do Calleri e Mena). A meu ver, passavam a borracha em tudo que foi feito e começava de novo. Primeiramente dispensando o Antaíde – já que o Leco foi eleito não dá para dispensá-lo também, o Gustavo 3% e o treinador. Em seguida pensar-se ia no futuro, já que pra este ano não tem mais nada a fazer, e contrataria um técnico para preparar um bom time para disputar títulos no ano que vem. Dar-se-ia publicidade deste trabalho para que nós, torcedores, acompanhássemos a evolução do trabalho do técnico e jogadores sem aquela urgência de levantar taças. Aproveitar-se-ia a janela de transferência do meio do ano para vender alguns jogadores já desacreditados no time e priorizaria a formação de um time já com o aproveitamento do que temos de melhor no sub 20 (4 ou 5 bons jogadores que, se corretamente aproveitados poderão vir a ser ótimos profissionais, ajudar o time a melhorar e produzir riquezas num futuro próximo para ajudar na economia do clube.
    Acredito que se poderia apostar no Jardine, desde que, a nova diretoria lhe transmitisse poder e confiança em seu trabalho e o acompanhasse no dia a dia do time. Ele é um jovem estudioso; já mostrou que sabe montar um time (muito diferente do Bauza) e, parece, ter estrela para fazer sucesso.
    Pra quem fica cobrando, aí vai minha contribuição…

  2. Concordo, Thal Caló. Mesmo sabendo que haverá um risco enorme de demissão, deste que parece ser um bom profissional, caso os mesmos jogadores indolentes, permaneçam. Porque ela (diretoria) nunca assumirá a culpa.

  3. Planejamento todo errado, culpa 100% de quem cuida do futebol do clube, ou seja, Ataíde.
    Já faz o quê? 3 anos que esse cara está fazendo o planejamento da equipe? Errou todos e a cada ano que passa, fica pior.
    Só a substituição dele por um bom profissional já traria um alívio gigante. DEMITAM O ATAÍDE COM URGÊNCIA!

  4. Técnico fraco, jogadores compostos em sua maioria por vagabundos e ou medíocres, vice presidente de futebol uma aberração de incompetência e um presidente banana, esse é o SPFC de hj.

  5. Acredito que o trabalho de Bausa é contestado hoje mais por sua insistência em Centurion do que pelos próprios resultados. Sabemos todos que qualquer treinador que viesse não conseguiria fazer este time jogar.
    Os resultados são ruins e tem sim que ser cobrado, mas a diretoria tem que ser cobrada mais ainda, porque quando Bausa chegou já identificou os problemas e pediu os jogadores para tentar construir o time e o que recebeu foi Kelvin, Mena, Kieza…. assim fica difícil, mais um enganado por essa diretoria.
    É hora de mudar, dar chances aqueles que estavam “esquecidos” e deixar de insistir em Centurion, Carlinhos e Kardec, que não dá mais.

    Ou muda ou sai, não tem mais jeito. Se for para insistir em jogadores veteranos porque tem preguiça de ensinar/corrigir jovens jogadores, então que volte o Murici.

  6. O planejamento vem falhando desde a saída do MAC, concordo que o Bauza rem sua parcela de culpa, mas todas as contratações que ele pediu não foram feitas, não foi ele que trouxe Centurion e Wilder empurraram pra ele Mena, Kieza e Kelvin.
    Então não adianta trocar o técnico se a diretoria continua a mesma.
    Trazer quem no lugar do Bauzza?
    Celso Roth, Joel Santana, Renato Gaúcho?

  7. É uma temeridade contratar reforços indicados por Bauza, pois acho que a contratação de um novo técnico será o maior reforço.

    Mais Centurions, Menas, Wilders, Kiezas, Kelvins…..é preferível investir num trabalho com a base do que apostar em jogadores medianos. Tenho certeza que com um salário razoável essa molecada vai correr muito mais que esses marmanjos e canelinhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*