Peso a menos: vaga antecipada alivia são-paulinos para semifinal

A classificação antecipada para a próxima edição da Libertadores, garantida com a vitória de domingo sobre o Santos, diminuiu a pressão sobre o elenco do São Paulo antes do compromisso decisivo contra o Atlético Nacional, nesta quarta-feira, pela segunda semifinal da Copa Sul-americana. Afinal, através desta competição apenas o título assegura vaga para o principal torneio do continente.

“Podemos dizer que foi um peso que a gente tirou”, disse o volante Hudson, admitindo que a pressão para avançar à decisão da Sul-americana seria ainda maior se a situação no Campeonato Brasileiro ficasse difícil. “É claro que ainda vamos buscar o vice-campeonato (nacional), mas já temos essa garantia de ir para Libertadores. É um campeonato que o São Paulo está acostumado a disputar, era nosso grande objetivo”, justificou.

A garantia de terminar no mínimo em quarto lugar no Brasileiro não significa, entretanto, que a equipe não tenha ambição de vencer a Sul-americana, até porque o torneio é a última chance de título na temporada. Para chegar à decisão, será preciso vencer por dois gols de diferença, já que o jogo de ida, em Medellín, foi vencido por 1 a 0 pelo Atlético Nacional.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Hudson admitiu que classificação garantida diminui peso sobre os jogadores antes de partida decisiva

“Acredito que será um jogo de superação. Um jogo em que a gente tem que evitar tomar gol pra não criar dificuldade maior, que vai ser decidido nos detalhes. Não podemos cometer erros bobos, porque as chances de fazer gol serão raras. Vamos ter que concluir com perfeição e evitar tomar gol. Mas, aliado à dedicação tática e à técnica, temos o brilho de jogadores decisivos”, opinou Hudson, respeitoso à qualidade adversária.

“A escola colombiana é muito boa, não é uma escola somente de força física. Ela tem jogadores de qualidade, não à toa fizeram uma ótima campanha na última Copa. São jogadores que sabem jogar e que conhecem muito bem as equipes brasileiras. O treinador deles falou do goleiro até os reservas do nosso time. Conhecem muito bem a gente, sabem como nos anular. Nossa preocupação é tentar superar isso para vencê-los”, observou.

Caso consiga evitar a eliminação, o São Paulo terá pela frente na final Boca Juniors ou River Plate. No primeiro duelo entre os dois times argentinos, houve empate sem gol. Em 2012, quando chegou à decisão pela primeira vez – e ficou com o título -, a equipe brasileira também enfrentou um clube da Argentina, mas de menor expressão: o Tigre, que abandonou a segunda partida no intervalo, depois de confusão nos vestiários do Morumbi.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*