Paulo Miranda comemora confiança após ter sido rejeitado pelo clube

Paulo Miranda é atualmente um dos atletas mais respeitados por Ney Franco no elenco do São Paulo. O zagueiro superou desconfiança da própria diretoria, que certa vez o retirou da concentração e o impediu de jogar, permaneceu no clube e deu a volta por cima, correspondendo às necessidades da equipe quando preciso.

“É uma fase nova na minha vida. Todos aqui estão me apoiando e passando bastante confiança. Venho procurando fazer o que o professor pede. Tendo o Rogério Ceni ali atrás para me orientar e passar segurança, fica maisfácil. Tenho certeza de que, daqui a pouco, as coisas só tendem a melhorar para mim”, comemora.

O beque era titular sob comando de Emerson Leão, antecessor de Ney Franco, e foi responsabilizado pela eliminação frente ao Santos na semifinal do Campeonato Paulista. Ele estava relacionado para o jogo seguinte, mas foi retirado da concentração a mando da diretoria e a contragosto do treinador.

Após a chegada de Ney Franco, Paulo Miranda também não recebia oportunidade entre os titulares até Douglas se machucar. Sem um lateral direito confiável no momento, o treinador optou por improvisar em duas partidas o zagueiro, que atuou bem e, depois, chegou a ser escalado até do lado esquerdo, em clássico contra o Corinthians.

“O que me chamou atenção foi o lado emocional do jogador. Passando por todas essas dificuldades, não se entregou. Poderia ter cavado saída e não fez isso. Poderia ter se escondido no departamento médico, mas foi a campo. Como treinador, eu o valorizo muito mais ainda agora, porque me ajudou quando precisei dele”, destacou Ney Franco, recentemente.

No domingo, o treinador surpreendeu ao escalar o camisa 13 como titular. A ideia inicial era que ele atuasse como lateral direito para dar liberdade às subidas de Douglas, porém a disposição tática do Santos o forçou a jogar como terceiro zagueiro, ao lado de Rafael Toloi e Rhodolfo, o qual virou dúvida para a partida desta quarta-feira, contra o Atlético-MG, por conta de fadiga muscular.

De prontidão caso seja chamado, Paulo Miranda se lembra também dos companheiros. “Temos Edson Silva, Luiz Eduardo, João Filipe. Estamos preparados para tudo”, comentou o defensor, que em nada lembra aquele antes rejeitado pela diretoria.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*