Para voltar a ser soberano, Tricolor tem de passar pelo Bahia e escrever o 1º capítulo

De todo o elenco do São Paulo, apenas Rogério Ceni e Luis Fabiano já conquistaram títulos pelo clube. Os demais ainda buscam levantar o primeiro troféu. Se no Brasileirão a situação é difícil, já que o Atlético-MG, além de um jogo a menos, tem 14 pontos a mais, a Copa Sul-Americana pode ser o caminho mais realista.

Hoje, diante do Bahia,  o Tricolor tem boas chances de gravar o primeiro capítulo de uma competição que entraria para a história do clube e dos jogadores. Isso porque venceu o primeiro confronto por 2 a 0 e pode até perder por um gol de diferença no Morumbi que vai às oitavas.

Ontem, em evento para jornalistas e convidados, aconteceu o lançamento do filme “Soberano 2”, que retrata o título do Mundial de 2005. Nele, depoimentos de profissionais envolvidos na conquista, o que é motivo de inspiração ao elenco.

– É um título que o São Paulo não tem e a gente quer. Temos um jogo para nos classificarmos e vamos com tudo contra o Bahia. Além de ser inédito, é sempre bom ganhar – afirmou Ademilson, titular até a volta da Luis Fabiano.

Ainda é cedo para falar em taça, mas o título é visto como uma grande oportunidade de o São Paulo fazer o rótulo de soberano, criado por ele mesmo, não ficar apenas no passado, mas também voltar ao presente. Atualmente, já são três temporadas sem ganhar nada, o que aumenta a pressão do grupo.

Enquanto lança um filme que conta a história do passado glorioso, o Tricolor se mexe para tentar voltar a ter o status que teve quando levou a Libertadores, o Mundial e três Brasileiros. Com dificuldade, tem um caminho complicado para buscar o troféu da Sul-Americana. Universidad de Chile e Boca Juniors (ARG), além de dois brasileiros, podem ser adversários antes da final. Do outro lado, muitas possibilidades.

Mas o primeiro passo é o Bahia…

Capítulos para a história

Segunda fase
Hoje, contra o Bahia, o São Paulo tenta avançar na competição. Depois de vencer o primeiro jogo por 2 a 0, espera o Morumbi cheio para garantir a vaga.

Oitavas de final
Nacional (URU) e Liga de Loja (EQU) são os possíveis adversários nesta fase. Os uruguaios têm mais tradição internacional e contam com Recoba.

Quartas de final
Universidad de Chile, atual campeão, é o principal candidato à vaga. Enfrenta o Olímpia (PAR), que hoje vai saber se pega Emelec (EQU) ou San Martin (PER).

Semifinal
O rival mais tradicional é o Boca (ARG), que enfrentará o Independiente (ARG). U. Católica (CHI), Tolima (COL), Atlético-GO e Figueirense correm por fora.

Final
Todos os 16 que estão do outro lado da chave podem chegar à decisão. Cerro Porteño (PAR), Palmeiras e Grêmio são os adversários mais tradicionais.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*