Para vencer Danubio, SP tem cinco lições a tirar da estreia dos uruguaios

O time do São Paulo já está definido; o esquema tático também. Nesta quarta-feira, no Morumbi, às 22h, é praticamente necessária uma vitória diante do Danubio (URU), para afastar o clima pesado deixado pela derrota no clássico contra o Corinthians e reabilitar o time na Libertadores.

Os uruguaios são os “patinhos feios” em um grupo que tem além dos próprios São Paulo e Corinthians o San Lorenzo (ARG), atual campeão da América. Foi contra os argentinos, na estreia da Libertadores, que os jogadores do Danubio mostraram que podem dar algum trabalho.

O time comandado por Leonardo Ramos, atual campeão urugaio, segue algumas tradições históricas dentro do clube: dessa primeira partida, há cinco lições a serem tiradas que podem ajudar na conquista da vitória são-paulina, fundamental para trazer a tranquilidade de volta ao Morumbi.

1)     Manter a bola e pressionar o adversário

O Danubio é, tradicionalmente, uma equipe que tem como uma de suas marcas um futebol de toque de bola, ofensivo. Contra o San Lorenzo, foi mais ao ataque durante a maior parte do jogo e  foi só perdeu de virada por  2 a 1, ao tomar dois gols em cinco minutos no segundo tempo.

A formação não é defensiva: o meio de campo tem os meias Ignacio Gonzalez e Marcelo Tabaréz, alimentando os atacantes Fornaroli e Matías Castro. Segundo o jornal uruguaio El País, a escalação será repetida no Morumbi. Para não passar o mesmo aperto que o San Lorenzo, é fundamental que o São Paulo deixe o adversário sem a bola o máximo de tempo possível, e pressione no campo de ataque.

Felizmente para Muricy Ramalho, posse de bola é uma característica marcante de sua equipe até agora em 2015 – mesmo na derrota contra o Corinthians, teve mais a bola do que o alvinegro. Manter o controle do jogo é essencial para evitar as rápidas descidas dos uruguaios.

2)     Apertar o ritmo nos minutos finais

O Danubio jogou apenas duas vezes pelo Clausura (segundo turno do Campeonato Uruguaio) em 2015. O São Paulo, por outro lado, tem seis partidas pelo Paulistão. Contra o San Lorenzo, os uruguaios deram sinais de que estavam um nível abaixo fisicamente: sofreram muita pressão no fim da segunda etapa, e acabaram sofrendo os dois gols.

Do lado são-paulino, Muricy vem atribuindo o bom desempenho no Paulista à boa pré-temporada, e disse que não há, até agora, nenhum sinal de cansaço nos seus jogadores. Aumentar a pressão nos minutos finais do jogo pode ser um bom caminho no Morumbi.

3)     Usar a experiência e a catimba

Uruguaios costumam ser mestres da catimba, mas o time do Danubio é extremamente jovem. No ataque, Fornaroli é o mais experiente, com 27 anos; com a mesma idade, o volante Pereira é o jogador mais velho dentre os titulares do meio de campo.

Com atletas experientes, com bagagem internacional e de Libertadores como Rogério, Michel Bastos e Luis Fabiano, o São Paulo tem mais condições de administrar o jogo, evitar o desespero e tirar os adversários da zona de conforto.

4)     Utilizar a bola aérea

Com 1,83m e 1,84m respectivamente, os zagueiros Formiliano e de los Santos são os jogadores mais altos dentre os titulares do Danubio. O São Paulo, por outro lado, tem Toloi, Doria, Ganso, Luis Fabiano, Souza e, no banco, Alan Kardec – todos com altura igual ou superior.

Povoar a área com esses jogadores nas bolas aéreas é uma excelente opção para Muricy. Foi de cabeça que o San Lorenzo marcou o gol da virada contra os uruguaios em Montevidéu. No decorrer da semana, o treinador são-paulino treinou bastante bolas paradas ofensivas.

5)     Explorar o lado direito

O Danubio vai ao Morumbi desfalcado de seu lateral esquerdo titular: Guillermo Cotugno está finalizando transferência para o futebol russo e não foi sequer relacionado. O substituto, segundo a imprensa uruguaia, será Matias Velazquez, que é lateral direito de origem e também atua como zagueiro.

Diante de um adversário com uma improvisação no setor, Muricy pode apostar no ofensivo lateral Bruno, além de colocar Michel Bastos, um jogador com mais drible e velocidade do que Ganso, para explorar seu lado direito.

Sem nenhum ponto, o São Paulo é, atualmente, o lanterna do grupo na Libertadores. Para deixar a incômoda posição, precisa de uma vitória.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X DANUBIO-URU

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 25 de fevereiro de 2015, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Enrique Osses (CHI)
Assistentes: Francisco Mondria (CHI) e Claudio Rios (CHI)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Dória e Reinaldo; Denilson, Souza, Ganso e Michel Bastos; Alexandre Pato e Luis Fabiano
Técnico: Muricy Ramalho

DANUBIO: Franco Torgnascioli; Agustín Peña, Matías de los Santos, Fabricio Formiliano e Matías Velásquez; Hamilton Pereira, Ignacio González e Leandro Sosa; Marcelo Tabárez, Matías Castro e Bruno Fornaroli
Técnico: Leonardo Ramos

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*